Relatório Londrina E.C – FUTEBOL FEMININO

Por Rafael Santos de Oliveira

            A equipe base foi feita com base de jogadoras de futsal do Colégio Estadual Tsuru Oguido (Ensino Fundamental e Médio), localizado no Conjunto Santa Rita II, na periferia oeste do município sob o comando do técnico Johnny Gonçalves, porem algumas jogadoras mais experientes como Akiama, Simone, Naruska foram recrutadas para compor o elenco.

            Logo na primeira oportunidade de atuar representando o clube, fez parte do campeonato paranaense de futebol categoria adulta de 2019, apesar da média de idade da equipe ser inferior a 19 anos a campanha foi aceitável, foram seis jogos, cinco derrotas e uma vitória.

Minutos em Campo.

Análise de Jogo: Sistema tático: 4-2-3-1.

Escalação via: chosen11.com

            Ofensivamente atua no 4-2-4 e tem predominância de jogo pelos lados com aproximação das meio-campistas por ambos os lados, a distribuição de jogo é feita com mais facilidade quando a bola atinge o meio de campo ou segundo terço de campo, entretanto a saída de bola próxima da grande área no primeiro terço é precária.

Escalação via: chosen11.com

            Defensivamente atua no 4-5-1 e segue uma lógica de marcação com dois padrões, possui um pós-perda (tentativa de recuperação imediata após perder a posse de bola com o objetivo de retardar a transição adversaria ou retomar a posse de bola) interessante no segundo terço de campo próximo do grande circulo e no primeiro terço próximo da grande área direcionando o adversário para as laterais onde a existe a marcação e cobertura.

Escalação via: chosen11.com

Defesa: Ana Vitória (Suelen), Jennifer (Mayra), Ludmila, Halika e Pepê.

            Ana Vitória e Suelen são goleiras reativas com organização defensiva e pouca saída de bola; a zagueira Ludmila auxilia na saída de bola e a Halika atua como libero na transição defensiva; as laterais Pepê e Mayra atuam avançadas como alas e chegam ao ataque com facilidade atacando espaços.

            Enquanto isso Jennifer atua como base fechando espaços em amplitude pelos lados, usando lançamentos em profundidade para as atacantes que atuam pelos lados e auxiliando na organização de jogo em parceria com Duda.

Meio: Duda, Gabizinha, Thuany (Simone) e Joycinha.

            Duda e Gabizinha são volantes distribuidoras que auxiliam na manutenção da posse de bola tirando a bola da zona de pressão no segundo terço de campo próximo do grande circulo, Thuany vem logo à frente ocupando espaços, buscando associações e temporizando a posse de bola, porem na sua vaga também pode atuar Simone que atua um pouco mais a frente auxiliando na criação de jogadas e chegando à área, Joycinha atua tanto no interior quando nas pontas sendo a jogadora de criatividade.

                         Por mais que a Duda tinha a função de organizar a transição defensiva e bloquear passes, ela tinha a capacidade de ser a primeira jogadora na transição ofensiva quando recuperava a posse de bola, além de ser principal jogadora na saída de bola baixa e curta. A Gabizinha que atuava poucos metros a frente tinha como prioridade ser a jogadora que tirava a bola da zona de pressão e seus lançamentos surtia efeito, principalmente com Simone em campo, a sua velocidade e força física fazia com que ela ganhasse das defensoras mais facilmente.

Transição com aproximação e lançamento nas costas da defesa.

Ataque: Marcela (Naruska) e Carol.

            Marcela atua em amplitude por ambos os lados com o objetivo de romper linhas e acelerar jogadas em profundidade, Carol é a principal atacante da equipe e tem a mobilidade de atuar centralizada ou como segunda atacante se aproximando das meio-campistas, abrindo espaços e movimentando as zagueira, enquanto isso a Naruska que foi artilheira da equipe na competição entrava no decorrer da partida atuando centralizada buscando poucas associações e mais finalizações.

Legenda: Gols em azul e assistências em vermelho.

            Geralmente a Carol iniciava a partida como referencia no ataque e no decorrer do segundo tempo ela era deslocado para o lado direito e Naruska ocupava sua vaga no meio, essa proposta de jogo tinha como objetivo ocupar a grande área adversaria e desse modo até mesmo a Marcela deixava de atuar em amplitude por alguns momentos e chegava à área adversaria com mais frequência.

            Esse modelo de ataque faz com que as três atacantes chegassem a área, a lateral do lado da bola se aproximasse como opção ou suporte ao portador da bola e pelo menos uma meio-campista chegasse ao ataque em linha com Marcela, criando um retângulo e deixando a finalizadora Naruska em condição de finalizar mais facilmente.

Ação ofensiva 2-3 (retângulo)

Conclusão

  • Destaque: Joycinha, meio-campista clássica que tem jogo de aproximação como principal característica e atua tanto pelo meio quanto nas alas com sinergia as extremas e laterais.
  • Fique de Olho: Duda, volante de recuperação e distribuição que auxilia na saída de bola, manutenção da posse de bola e auxilia muito na pressão pós perca.

@Rafinha_Esporte

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s