Sport 0 x 1 São Paulo – Análise tática

Por Pedro Galante e Rafael Santos

Sport e São Paulo fizeram um jogo bastante sonolento na Ilha do Retiro. Os visitantes marcaram cedo e, apesar da pressão, os mandantes não conseguiram responder.

As mudanças de Fernando Diniz

Pressionado, Diniz promoveu quatro mudanças na escalação: os jovens Diego Costa e Léo, substituíram Arboleda e Bruno Alves na zaga; Gabriel Sara completou o meio campo na vaga de Liziero; e Igor Gomes foi para o banco para Luciano jogar.  As alterações buscaram tornar o time mais dinâmico e fluído com a bola no pé.

Gol cedo

Aos seis minutos, Pablo abriu o placar para o São Paulo. Depois de lançamento de Volpi e bom passe de Luciano, o camisa 9 balançou as redes.  Iago Maidana falhou no lance, não fez uma boa leitura ao optar por deixar a bola passar para tentar marcar o adversário ao invés de cortar o passe.

Saída de bola

Perdendo, o Sport impôs uma forte pressão na saída de bola são-paulina. O Tricolor Paulista teve dificuldade em muitos momentos, forçando passes longos sem grande aproveitamento.

Recepção entrelinhas e dificuldade de conclusão

Apesar da dificuldade o São Paulo conseguiu vencer a pressão do Sport algumas vezes, especialmente com Gabriel Sara recebendo e girando para dar continuidade. No entanto, Vitor Bueno e Luciano não estiveram à altura, demoravam para dar prosseguimento a jogada. Pablo também não conseguiu combinar movimentos junto aos meios para criar espaços na defesa adversária.

Dificuldade para criar

O Sport atuou no 4-2-3-1, atacando pelos lados, principalmente com Patric pela direita.  No setor de criação nem Jonathan Gomez e Lucas Mugni, que brigam pela vaga, conseguiram articular boas jogadas.

Na frente, mesmo com Elton sendo uma peça de mobilidade, Marquinhos e Lucas Venuto não fizeram grande partida. As entradas de Hernane e Ronaldo não melhoraram o ataque, que teve sua melhor chance ainda no primeiro tempo após erro de passe do goleiro Tiago Volpi.

Dificuldade para contra-atacar

Na segunda etapa, o São Paulo deixou a saída curta de lado e apostou em ligações diretas. Não teve sucesso nem na primeira nem na segunda bola, fazendo com que o jogo acontecesse em grande parte no seu campo de defesa.

Quando recuperava a bola, até buscava acelerar o contra-ataque, especialmente com Igor Vinicius, mas diante da falta de apoio e movimentação a jogada era lenta, permitindo que o Sport se organizasse.

@pedrosbgalante

@rafinhaesporte

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s