HUMILHAÇÃO – Análise tática de Barcelona 2×8 Bayern de Munique

Por Daniel Klabunde

Quartas de finais da Uefa Champions League, jogo único, como se fosse a final, mas em Lisboa – Portugal. Vimos um futebol muito abaixo dos Catalães e em alto nível dos Bávaros. Não podemos colocar todo o resultado na conta da pobre apresentação do Barcelona, devemos exaltar a ótima performance do time alemão que vem em alta rotação em toda a temporada.

Com um início de partida eletrizante e com o placar em 1×1 em menos de 8 minutos, já podíamos ver o que nos esperava durante toda a partida, mas ninguém imaginava que seria um placar tão elástico para um time só.

Ambas as equipes possuíam uma marcação no sistema 4-4-2 na organização defensiva, a do Bayern bem mais compacta que a do Barcelona. Os Catalães sofriam muito com as inversões de jogadas sempre nas costas dos laterais Semedo e Alaba, ficando no 1×1, enquanto o Barcelona atacava com o seu tradicional toque de bola.

As duas equipes também efetuavam constantemente a marcação sob pressão em bloco alto, principalmente pelo time alemão, que executou muito bem essa fase do jogo, assim conseguia recuperar rapidamente a bola no campo de defesa do Barça, e o principal na minha opinião, conseguia tirar os espaços e evitar que Messi recebesse a bola em condições de conduzir e atacar a defesa, como sabemos ele é ótimo na condução da bola em velocidade.

hum1

O jogador sinalizado é Thiago, que vai recuperar a bola longa de Ter StegenImagem: InStat / Edição: Daniel Klabunde

Já o Barcelona tentava a mesma marcação pressão em cima do Bayern, mas sem o mesmo sucesso, os Catalães cediam muitos espaços nas laterais, principalmente nas costas de Semedo que sofreu muito com as investidas de Alphonso Davies, o camisa 19 canadense venceu a maioria dos duelos contra o Português, como pudemos ver no quinto gol alemão, onde Alphonso dribla Semedo com facilidade e cruza para o gol de Kimmich.

hum2

Drible de Davies em Semedo gerou espaço nas costas do lateral do Barcelona pois Pique teve que fazer a cobertura. Imagem: InStat / Edição: Daniel Klabunde

Esse gol demonstrou toda a superioridade dos laterais alemães sobre os Catalães, onde o lateral esquerdo tem uma vitória pessoal e cruza o lateral direito completar.

A transição defensiva era diferente das equipes, enquanto o Bayern ficava posicionado no campo de ataque o Barcelona na maioria das vezes recuava e se postava no 4-4-2 em bloco médio, que é aquele bloco que ocupa a faixa central do campo. Neste posicionamento vimos ampla vantagem do time alemão, sua pressão com encaixes muito bem executados tiravam as áreas de ação do Barcelona, fazendo com que saíssem jogando com bolas longas.

Na transição ofensiva, enquanto o Bayern utilizava muito bem Thiago Alcântara na saída Lavolpiana quanto como homem base no meio campo, o Barcelo tentava acionar Messi pois não possuía o terceiro homem de frente para buscar a bola com os meio-campistas. Setien preferiu entrar com um atacante a menos e preencher o meio campo com Sergi Roberto enquanto Vidal fazia a vai e vem entre ataque e defesa, mas sem sucesso.

Essa marcação era desmanchada com os laterais do Bayern sempre posicionados em amplitude total, espaçando a defesa catalã.

hum3

Laterais dando amplitude na transição ofensiva com Thiago sendo o homem base e Goretzka sempre formando um triângulo com dois dos meias-atacantes.

Kimmich e Davies eram tão superiores que podíamos ver várias ultrapassagens até a linha de fundo, sempre no dois contra um pelas laterais, efetuavam o passe e se apresentavam mais a frente para receber e efetuar o cruzamento.

Na organização ofensiva Quique Setien apostou em um 4-4-2 com Messi e Suarez a frente, mas sem poder ofensivo, com os meio-campistas nulos na produção ofensiva e os espaços de Messi bloqueados. Já o Bayern no seu tradicional 4-2-3-1, mas pouco se via essa formação no ataque porque a ordem era pressionar, roubar a bola e buscar o gol o mais rápido possível.

Eram 30 minutos do primeiro tempo e já tínhamos 4×1 no placar para os alemães, sempre em alta rotação, intensidade lá em cima em busca de mais um gol. Foi assim durante toda a partida, diferente do que acontecia com o Barcelona, com muitos erros técnicos individuais, espaços cedidos no meio campo e pelos lados, Semedo não conseguia atacar e nem defender, foi engolido por Alphonso e Perisic, pudemos ver Busquets errando passes e tomadas de decisão que não costuma errar, foi um Barcelona irreconhecível que selou o baixo desempenho na temporada 19/20

Por outro lado um Bayern arrasador, intenso e cruel com os seus adversários, vai em busca de mais um título europeu e que certamente coroará sua ótima temporada.

@dktricolor

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s