Analise Tática do Chelsea de Lampard

Por André Freire Almeida

A temporada 2019/2020 dos Blues tem várias peculiaridades. Com a saída do craque Eden Hazard para o Real Madrid e com punição da UEFA, de não poder contratar jogadores na janela de verão, um grande velho conhecido da torcida,Frank Lampard, agora como técnico, têm como missão comandar o plantel azul de Londres para brigar com o poderoso Big Six e tentar cavar uma vaga na próxima Champions Legue.

Além destes elementos, o fato de ser um dos maiores ídolos, se não o maior, na historia de clube que por tradição muda constantemente de comando, sendo onze técnicos nas ultimas dezesseis temporadas, traz muitas perguntas perante o tempo para consolidar seu trabalho e filosofia. Sendo a diversidade de sistemas algo que nunca faltou ao Chelsea, nos últimos anos. Na qual tivemos desde um esquema bem italiano no 3-4-3 campeão com Antonio Conte até o um oscilante 4-2-3-1 – que muitas vezes se transformou para um 4-3-3 com o Special One.

Com tantas dores de cabeça e alguns jogadores voltando de empréstimos, a solução foi usar um dos recursos menos usados durante toda a Era Roman Abramovich que foi os jogadores vindos da base do clube. Jovens jogadores como: Mason Mount, Tammy Abraham, Fikayo Tomori tiveram árduo papel de corresponder às expectativas dos torcedores e do técnico em um dos campeonatos mais disputados do planeta bola.

Com todos esses ingredientes, o Chelsea merece um olhar especial para este final de temporada. Mas, afinal como jogou o time de Lampard e seus comandados?

Conceitos novos, problemas diferentes

Como foi feito no seu ex-clube, Derby Country, implantou-se um sistema de pressão alta sobre seus adversários. Uma marcação individual que fechava as opções de passe de seus oponentes, não fornecendo tempo e espaço para raciocínio, feita pelos homens de frente e meio-campo do time azul de Londres. Assim, forçando o erro e saindo com a bola em seu domínio no terço final do campo, dessa forma gerou-se alguns gols para os Blues.O time até a paralisação da pandemia era o segundo que mais interceptava os passes,perdendo apenas para o Bournemouth, com uma média de 12,5 na Premier Legue, segundo SofaScore

lampard1

Mas nem tudo são flores. Esse estilo tem um grande problema, o “buraco” no meio campo. A pressão alta com um bloco de seis jogadores forneceu em muitos momentos, no segundo terço do campo, espaços para que jogadores do meio campo adversário estivessem livres para avançar de maneira aguda até o fim do campo do Chelsea.Isso se deve porque a linha de zaga permanece,durante o sistema de pressão, afastada do bloco ofensivo.

Para tentar sanar este problema é adotado, um velho e já conhecido, sistema da linha de impedimento. Que nada mais consiste, em forçar o impedimento do adversário perante uma movimentação coordenada da defensiva linha. Todavia, esse estilo exige muita coordenação e entrosamento dos jogadores, porque o erro de um só jogador compromete todo o esquema. Consequentemente, o time sofreu alguns gols devido a estes erros individuais.

lampard2

Nesse caso o erro de Zouma saiu caro para o time azul de Londres, na final da Supercopa da UEFA, o mau posicionamento do francês gerou posteriormente o gol dos Reds.

Momento Ofensivo

O time de azul de Londres se empoe quando o tema é posse de bola. É o terceiro com melhor média, perdendo apenas para City e Liverpool, com 60,1% na Premier Legue. A ligação dos meias e atacantes fez com que o time tivesse a segunda maior média de chute a gol do campeonato inglês. Os 11,6 demonstram a proposta de um jogo ofensivo por parte de Lampard.

No momento que possui o domínio da bola, o time joga em um 4-3-3, tendo um destes meio-campistas jogando de maneira mais recuada, que geralmente é o Jorginho. Ele é uma peça chave no time, fazendo a transição da defesa para o setor de frente como poucos no mundo da bola. Esse motor é acompanhado por uma das revelações da seleção de base da Inglaterra, Mason Mount,jogando como um camisa 10,distribuindo o jogo para seus companheiros e fazendo gols, geralmente pelo lado esquerdo do campo,com ampla liberdade de posicionamento. Fechando a linha de três do meio, temos o francês Kanté, que auxilia o Jorginho no momento de transição defensiva com um ótimo posicionamento,mas que devido a constantes lesões na temporada é substituído hora por Ross Barkley hora por Kovačić.

Estes homens de meio são apoiados pelos laterais que sobem muito. Com a chegada deles pelos lados, temos mais opções de passe pelos flancos do campo.

lampard3

Este é o mapa de calor no campo do Azpilicueta,mesmo com seus 30 anos,o apoio do espanhol ajudou bastante no momento ofensivo do time.
lampard4

Liberdade de movimentação de Mount somado a subida de Marcos Alonso e movimentação de Pedro

Com uma média de seis escanteios por jogo, o time varia bastante suas jogadas de bola parada, tendo jogadas ensaiadas com escanteio curto e cruzamentos para a grande área. Essas jogadas já salvaram bastante a vida dos Blues, como no importante jogo contra o Leicester com dois gols de cabeça do alemão Rüdiger. Por outro lado, os contra ataques dessas bolas na área, já comprometeram alguns resultados.

Outro aspecto tático adotado por Frank Lampard é como os atacantes participam na construção da jogada. Abraham e Giroud saem da área , com o objetivo de gerar espaço atrás deles , que será explorado pelos pontas.

lampard5

O mapa de calor de Abraham mostra como o atacante inglês sai da grande área e ajuda o time nos demais lados do campo

A filosofia de atacar o espaço vazio é bem presente nos jogos do time, a qualidade de lançamento de jogadores como o Jorginho possibilita essa jogada.Para efeito de comparação com o ex-técnico Sarri o time tinha uma média de cinco cruzamentos por jogo,já com o técnico inglês essa media foi para doze.

Daqui a pouco teremos a volta da nossa querida Premier Legue e o Chelsea é um bom time para se observar.Na quarta colocação da tabela o time londrino ainda pode aprontar bastante nessa reta final de temporada.Assim,arrumando os problemas defensivos os Blues podem surpreender bastante no campeonato de pontos corridos mais disputado do mundo.

@andre_freire10

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s