1974: O primeiro a gente nunca esquece! VASCO CAMPEÃO BRASILEIRO

Por Rodrygo Vieira do Analise Vasco

WhatsApp Image 2020-04-25 at 14.37.28

O @analisevasco em parceria com o MW Futebol vai começar uma série de textos para relembrar os títulos brasileiros do Gigante da Colina. E para começar, falarei do título de 1974, o ano em que coroou o maior ídolo da história do Vasco, que com apenas 20 anos foi o grande destaque daquele ano, o craque Roberto Dinamite.

Para começarmos a destrinchar aquele ano, precisamos entender a fórmula de disputa. Naquele ano 40 equipes disputavam o título em três fases. A primeira fase era em turno único, com duas chaves cada uma com 20 equipes. Os 10 primeiros se classificavam mais os dois próximos da classificação independente de chave, mais os dois clubes com maior arrecadação. Na segunda fase, quatro grupos com seis clubes e os campeões de cada um iria para a terceira fase. A terceira fase era em formato de quadrangular, com todos se enfrentando e a equipe de melhor campanha na fase final levaria o título. Ufa!

Dentro deste longo campeonato, haviam equipes extremamente qualificadas e bem mais favoritas que o Cruz Maltino. Cruzeiro, Internacional, Santos, Atlético-MG, Palmeiras e São Paulo postulavam como grandes favoritos para levar o título. Correndo, muito por fora, vinha o Vasco que naquele mesmo ano já havia perdido o título do Campeonato Carioca ficando com o vice. O elenco, bastante modesto, e jovem contava com o técnico Mario Travaglini para o Brasileirão daquele ano para conduzir ao título. Eram ao todo 52 jogadores com média de 24, 01 anos. Apesar de jovem contava com jogadores experientes como Andrada, Fidélis e Alcir Portela titulares e fundamentais para a conquista do título.

Na primeira fase do torneio, o Vasco oscilou bastante e teve apenas a 7ª melhor campanha. Em 19 jogos venceu apenas 7, empatou 8 e perdeu 4. Marcou 19 jogos, média de 1 por jogo. Sofreu 13 gols e terminou com 6 gols de saldo positivo. O Gigante da Colina chegou a ficar 5 jogos sem vencer, uma sequencia de 4 empates e e ainda perdeu um clássico para o Fluminense por 2-1. Após esse momento ruim, ficou 4 jogos invictos e isso ajudou a equipe a se manter forte e garantir a vaga para a próxima fase.

Chegando à segunda fase, o Vasco ficou no Grupo 2 ao lado de Vitória, Operário-MS, Corinthians, Atlético-MG e Nacional-AM. E na fase derradeira, os comandados de Travaglini deram as e foram perfeitos terminando a segunda fase invictos, com 3 vitórias e 2 empates. Marcou 7 gols e sofreu nenhum. Andranda, Fidélis, Miguel, Moisés e Alfinete eram perfeitos na retaguarda, enquanto Zanata e Alcir dominavam o meio campo, Roberto decidia lá na frente. Pronto, o esquadrão que começou o campeonato desacreditado estava no quadrangular final. O

Vasco se mostrava forte principalmente em seus domínios, chegava ao quadrangular com a terceira melhor campanha entre os líderes. Agora, nesta fase, não havia espaços para erros, tão pouco apequenar diante dos elencos melhores e estrelados como eram os do Santos, Internacional e Cruzeiro. De cara, o Vasco enfrentou o Santos de pelo em pleno Maracanã, 97.676 testemunharam o garoto Roberto Dinamite decidir uma partida contra a equipe do Rei do futebol, terminou 2-1 para o Vasco. Na segunda partida, empate contra o Cruzeiro, em Minas por 1-1. Na terceira e derradeira partida, o título estava bem encaminhado, abriu 2-0 (Roberto e Zanata) contra o Inter, com uma Maracanã completamente lotado, 118.777 pessoas. Porém, o Colorado empatou  e com isto, a liderança do quadrangular ficou empatada com Vasco e Cruzeiro, ambos com 4 pontos.

Por conta disto, foi necessário mais um jogo extra para decidir quem levaria o título do Brasileirão de 74. O Cruzeiro terminou a terceira fase com a melhor campanha no critério de desempate e por isso, teria o direito de decidir o jogo extra no Mineirão, entretanto no confronto da terceira fase o jogo foi cercado de polêmica e confusão. E assim, o então dirigente Eurico Miranda conseguiu reverter o mando e colocou a partida no Maracanã, que recebeu mais de 112 mil pessoas naquele jogo. A Raposa tinha um verdeiro esquadrão, naquele time jogavam entre outros jogadores, Nelinho, Perfumo, Piazza, Zé Carlos e Dirceu Lopes. Porém, não foram páreos para o Gigante da Colina que venceu a partida por 2-1 com gols de Ademir e Jorginho Carvoeiro. O Brasil era preto e branco, o Brasil era do Vasco da Gama!

. Números do Vasco no Campeonato

. 28 jogos, 12 vitórias, 12 empates e 4 derrotas

. 33 gols pró, 19 gols contra

. Destaque: Roberto Dinamite, 20 anos, atacante, 16 gols (artilheiro do campeonato), 0.62 (média gols/jogo)

. 4ª que mais goleou (2), 6ª que mais venceu (12), 3ª que mais empatou (12), 4ª máximo de jogos sem perder (11)

@vieira_rodrygo e @analisevasco

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s