Evolução visível – ANÁLISE TÁTICA DE SANTOS 2 x 0 INTER DE LIMEIRA

Por Rodrigo Costa

            Jesualdo Ferreira resolveu encarar o Inter de Limeira, do técnico Elano, com algumas alterações com relação aos últimos jogos. Pensando em poupar para o clássico contra o Corinthians e também utilizando a partida para testar o elenco e rodar os jogadores. Portanto, a equipe escolhida teve Éverson; Pará, Luiz Felipe, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Pituca e Evandro; Tailson, Raniel e Uribe.

            Na fase defensiva vemos a organização que tem sido costumeira nesse início de trabalho do português à frente do Santos. Marcação por zona no 4-1-4-1 tendo Jobson à frente da zaga e bloco médio, fechando bem os espaços com linhas bem compactas. Desse modo, a Inter não ofereceu qualquer perigo ao Santos na primeira etapa.

san1.jpgOrganização defensiva do Santos. Fonte: SporTV – Edição: Rodrigo Costa

            Com a bola, o Santos dominou a partida. Evoluiu em questões táticas e conseguiu pressionar o adversário (que é fraco) e criar inúmeras chances de gol. Três jogadores foram bastante mencionados após a partida: Jobson, Raniel e Uribe. A construção das jogadas em Lavolpiana teve uma melhora com a entrada de Jobson, que é bem mais técnico que Alison para fazer essa função, tentando e encontrando diversos passes de ruptura (aqueles que ultrapassam as linhas adversárias) e se projetando bem ao ataque. Mas, é menos combativo que o camisa 5. Contra adversários de ataque mais forte Jesualdo deve optar pelo cão de guarda santista.

limeira1Jobson tentou e encontrou vários passes de ruptura. Fonte: SporTV – Edição: Rodrigo Costa

            O desenho tático foi o mesmo da última partida: laterais bem abertos gerando amplitude com os interiores por dentro se aproximando dos laterais e dos atacantes, que se movimentam em várias direções tentando achar espaços entre as linhas, principalmente Raniel. Em números, um 3-2-5 que variava para um 2-3-5 ou 2-1-2-5 dependendo da movimentação de Jobson, que saia da linha dos zagueiros para dar prosseguimento das jogadas na fase de criação.

limeira2Jobson sobe mais que Alison, por exemplo. Na criação, ele chegava até a linha dos meias. Fonte: SporTV – Edição: Rodrigo Costa

            As triangulações pelos lados têm melhorado e os jogadores estão conseguindo absorver as ideias do português aos poucos. Um jogador que tem se beneficiado muito bem nesse início de temporada é Raniel, pelo fato de conseguir se movimentar bem pelo ataque, recuar para dar apoio às jogadas, atacar o espaço em profundidade além de ter bom drible e ser um bom finalizador, tudo isso vimos na jogada do primeiro gol.

limeira3

limeira4Os jogadores fazem com que esses triângulos girem. Por exemplo, Felipe Jonatan passou para Raniel e se movimentou para o espaço vazio no fundo, enquanto isso Raniel cortou para dentro. Fonte: SporTV – Edição: Rodrigo Costa

            Em outros setores da equipe, destaque para a bela atuação de Evandro, comandando o meio campo santista, com bons passes, sendo bastante técnico, apesar de ser um pouco lento. No comando de ataque, algo curioso. Uribe nunca teve tantas chances de mostrar seu futebol até este jogo. Jesualdo o deixou na partida até o final, pois se movimentou muito bem, recuou para se associar, fez bons pivôs e desmarques para receber a bola ou criar espaços para os companheiros, MAS a bola não entra. E dessa vez, a bola chegou. E chegou três vezes. Creio que o problema está na falta de confiança pela situação, pois apesar de não ser um jogador técnico (como vimos nas chances), ele é um bom finalizador e tem uma leitura tática boa como eu citei acima. Resta saber se Jesualdo vai dar mais oportunidades para que o gol saia logo e a “zika” acabe de vez.

limeira5Movimentação feita por Uribe recebendo a bola nas costas da defesa. Fonte: SporTV – Edição: Rodrigo Costa

            O segundo tempo o ritmo foi mais lento, apesar do aspecto físico ter melhorado levemente. Portanto, Jesualdo utilizou a segunda etapa para realizar mais testes. Carlos Sánchez entrou na vaga de Felipe Jonatan, passando Pituca para a lateral esquerda e deixando o meio com Jobson, Evandro e Sánchez, meio campo bastante técnico e móvel. Após, Alison entrou no lugar de Evandro, deslocando Jobson para segundo homem de meio-campo, tendo mais liberdade para chegar ao ataque e criar jogadas na base. Desse modo, encontrando diversas opções para a montagem do meio, seja de acordo com as características do adversário ou montando o “trio ideal”, se assim Jesualdo o preferir.

limeira7Após as mudanças, Santos passou a se defender no 4-4-2 com Sánchez pressionando ao lado de Uribe. Fonte: SporTV – Edição: Rodrigo Costa

            Um bom teste, uma bela exibição na primeira parte, não sofreu na partida e ainda testou vários jogadores e ideias. Ainda teve tempo para a estreia de Renyer, que não deve ser tratado como solução, mas sim com paciência e lapidação. Potencial absurdo, extremamente driblador e só 16 anos.

@costarodrigosfc

Um comentário sobre “Evolução visível – ANÁLISE TÁTICA DE SANTOS 2 x 0 INTER DE LIMEIRA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s