FORA DO EIXO – Os destaques do Brasileirão 2019 longe dos grandes centros

Por Mathaus Pauxis

O Campeonato Brasileiro de 2019 chamou atenção por vários motivos. Flamengo de Jesus arrebentando tudo, Cruzeiro sendo rebaixado, intermediários sonhando com a libertadores e muitos jogadores se destacando em times menos midiáticos. Nesse texto, vamos destacar parte desses jogadores que – por atuarem fora do eixo – podem não ter tido a devida atenção.

Antes de tudo, nenhum time se faz com 11 craques. Alguns dos jogadores podem não ter aparecido bem durante todo o ano, mas no geral mantiveram uma regularidade que chamou a atenção e tiveram, sim, sua importância dentro da equipe no Brasileirão. Serão dois ou três jogadores para cada posição, podendo ter menções honrosas. Então, vamos pra seleção “fora do eixo”.
GOL:
Tadeu (GOIÁS) – Apesar de ter sofrido muitos gols, Tadeu foi um jogador extremamente importante para o Goiás não ter sofrido ainda mais. O arqueiro teve 139 defesas (maior número do campeonato) e passou 10 jogos sem levar gols. Por muitos é considerado o melhor do campeonato.

Jordi (CSA) – Goleiro contestado em outros clubes, mas que foi bem no CSA. Um dos poucos bons destaques do time rebaixado, Jordi foi o segundo goleiro com mais defesas (129) e também ficou sem sofrer gols em nove jogos.

Felipe Alves (FORTALEZA) – Apesar de não ter feito muitas defesas (96) e ter apenas seis jogos sem sofrer, Felipe Alves foi importante para o Fortaleza. Principalmente na hora de construir. É o goleiro com maior número de lançamentos certos (312), tendo também o melhor aproveitamento (53%). Mostrando que goleiro não tem só que defender.

Menções honrosas: Douglas (BAHIA) e Tiepo (CHAPECOENSE).

LATERAL:
Bruno Pacheco (CHAPECOENSE) – O lateral com o maior número de cruzamentos certos do campeonato (56), além de ter dado 42 passes decisivos e ter realizado incríveis 84 desarmes (perdendo apenas para Marcos Rocha, do Palmeiras). Apesar da Chapecoense ter sido rebaixada, Bruno mostrou bastante qualidade.

Eduardo (CHAPECOENSE) – Do outro lado de Bruno estava Eduardo, um bom lateral. Não foi tão impactante no quesito de desarmes (52), mas acertou 41 cruzamentos e deu 38 passes decisivos. Foi melhor que Bruno no quesito de dribles, acertando 47 (representando 66% dos tentados).

Nino Paraíba (BAHIA) – Lateral titular do Bahia, Nino foi bem importante na construção do tricolor. Deu 35 passes decisivos, além de ter acertado 29 cruzamentos. Com quatro assistências e mais três grandes chances criadas, Nino ainda marcou dois gols. Participou diretamente de seis gols no Brasileiro, número superior até de Rafinha (Flamengo), Jorge (Santos) e Guga (Atlético-MG).

Tinga (FORTALEZA) – O lateral artilheiro do Fortaleza foi um dos jogadores com boas notas atuando de lateral. Além de ter marcado 4 gols, Tinga deu outras duas assistências e 22 passes decisivos. O lateral acertou 20 cruzamentos.

Moisés (BAHIA) – Do outro lado de Nino estava Moisés, que realizou 68 desarmes, além de ter dado duas assistências, com outros 25 cruzamentos certos e 29 passes decisivos.

Igor Fernandes (AVAÍ) – Com 52 interceptações Igor Fernandes teve um papel importante na defesa do Avaí. Além disso, o lateral realizou 47 desarmes. Não foi tão participativo no ataque, mas lateral também defende.

Menção honrosa: Gabriel Dias (Fortaleza)
ZAGA:
Rafael Vaz (GOIÁS) – O zagueiro artilheiro foi um dos principais destaques do Goiás na ótima campanha que quase rendeu vaga na Libertadores. Com 268 ações defensivas (interceptações, desarmes, cortes e chutes travados), o jogador garantiu uma boa média do Goiás (apesar de ter sofrido muitos gols em alguns jogos). Além disso, o jogador marcou cinco gols (muitos de bola parada) e deu mais uma assistência. Acertando também incríveis 174 bolas longas (46%), sendo o maior número entre os defensores do campeonato. Vaz ganhou 120 duelos (57%).

Juan Quintero (FORTALEZA) – Quintero também foi um jogador bem importante na construção do Fortaleza, acertando 114 bolas longas (60%) e quase 90% dos mais de 1600 passes. Além disso, teve 269 ações defensivas. Sendo de longe o maior número do time cearense. Ainda marcou um gol. Quintero ganhou 88 duelos, representando 57% dos disputados.

Betão (AVAÍ) – Um dos poucos bons destaques do Avaí, o zagueiro Betão teve 245 ações defensivas. Sendo também o jogador com maior número de passes certos dos catarinenses. Acertou também quase 90 bolas longas (41%). O zagueirão também ganhou 151 duelos (56% dos disputados).

Luiz Otávio (CEARÁ) – O zagueiro do Ceará teve 225 ações defensivas, além de ganhar 139 duelos (58% dos que disputou). Ainda marcou dois gols e deu uma assistência, acertando 88% dos passes e 64 bolas longas (57%).

MEIO-CAMPO:
Juninho (FORTALEZA) – Com 211 bolas longas certas, Juninho tem um índice de acertos parecido com o de goleiros (só perde para Felipe Alves, Cássio e Éverson). Foram impressionantes 79% de acertos. De longe o mais eficiente do Brasileirão. Criou também 10 grandes chances, dando 55 passes decisivos, sendo que seis foram assistências. Marcou três gols. Por ser mais de construção, o meio-campista teve apenas 132 ações defensivas.

Léo Sena (GOIÁS) – Léo Sena acertou 147 bolas longas (70%), criando duas grandes chances e dando 36 passes decisivos. Também teve um índice de 86% dos passes certos (de quase 1400 tentados). Mas se destacou mesmo nos duelos. Ganhando 292 (70%) o jogador foi quem mais levou a melhor nas disputas em todo o campeonato. Teve também 121 ações defensivas.

Gregore (BAHIA) – Com 227 ações defensivas, Gregore se destacou no meio de campo do Bahia sendo o meio de campo que mais desarmou no campeonato todo (102). Perdendo no campeonato apenas para o lateral-direito Marcos Rocha (116). Além disso, acertou 85% dos mais de 2000 passes que tentou, dando quatro assistências e criado três grandes chances, tendo uma média de quase um passe decisivo por jogo. Acertou também 66% das bolas longas (133 certas).

Felipe (FORTALEZA) – Felipe realizou 143 ações defensivas, ganhando também 162 duelos (53%). Acertou 65% das bolas longas (100) e 85% dos mais de 1400 passes, dando uma assistência e 24 passes decisivos.

Fabinho (CEARÁ) – Fabinho teve 175 ações defensivas e mais 212 duelos ganhos. O jogador do Vozão acertou 81 bolas longas e também atingiu um índice de 82% de passes certos(1235). Sendo 19 passes decisivos e uma grande chance criada.

Dawan (CSA) – O jovem volante realizou 167 ações defensivas com 126 duelos ganhos. Não participou muito da construção, tendo apenas 41 bolas longas e 905 passes certos (86%). Sendo 20 deles passes decisivos com uma grande chance criada.

Márcio Araújo (CHAPECOENSE) – Muito criticado em outros clubes, Márcio Araújo acertou 88% dos seus passes tentados (1321 certos), tendo também concluido 90 bolas longas. O volante realizou 161 ações defensivas e também ganhou 141 duelos.

Ricardinho (CEARÁ) – Apesar de algumas críticas, Ricardinho foi o principal criador do Ceará no Brasileirão. Além de ter marcado um gol, o jogador deu mais seis assistências e criou outra seis grandes chances. Também acertou 56 passes decisivos. Ao todo, acertou 81% dos passes (1174 certos), mostrando que também era um jogador que fazia o jogo girar.

Camilo (CHAPE) – Camilo foi o meio-campista criador que mais funcionou na Chape. Criando sete grandes chances e dando outras quatro assistências, o jogador mostrou. Teve também 81% de acerto dos 761 passes tentados. Dos mais de 600 passes certos, 60 foram decisivos (oitavo melhor número do campeonato, melhor até que Arrascaeta). Também marcou um gol.
Galhardo (CEARÁ) – Querendo ou não, foi o jogador que fez o gol da permanência do Vozão e foi apenas um dos 12 gols marcados por Galhardo no Brasileirão. Além disso, o jogador criou quatro grandes chances, dando uma assistência e mais 34 passes decisivos. Era um jogador bem mais de finalização, em alguns momentos jogando quase como atacante. Com isso, acertou 32 chutes ao gol, sendo o oitavo melhor índice do campeonato (mesmo número de chutes certos que Gilberto do Bahia, por exemplo).
ATAQUE:
Michael (GOIÁS) – A grande revelação do Brasileirão 2020 foi quem teve o maior número de dribles certos (123), mas não só isso. Michael não foi só aquele ponta de velocidade, ele conseguiu participar da construção e também da finalização. Deu 38 passes decisivos, mais cinco grandes chances criadas, além de ter dado cinco assistências. Michael também marcou nove gols em 62 finalizações (15% de conversão).
Artur (BAHIA) – Artur foi peça extremamente importante para o Bahia em 2019. O jogador acertou 72 dribles (62%), deu três assistências, critou outras nove grandes chances e mais impressionantes 61 passes decisivos. Além disso, marcou mais sete gols em 47 chutes (15% de conversão). Detalhe: o jogador deu 40 desarmes.
Élber (BAHIA) – Do outro lado de Artur estava Élber, que foi tão importante quanto. O jogador não driblou tanto em quantidade (49), mas acertou a mesma porcentagem (62%). Além disso, deu duas assistências e criou mais sete grandes chances. O atacante também marcou três gols em 24 chutes (13% de conversão).
Osvaldo (FORTALEZA) – Osvaldo já não tem idade para driblar tanto quanto Romarinho, mas foi um dos pilares do Fortaleza. Criando cinco grandes chances e dando cinco assistências, o jogador foi impactante demais e ainda deu 23 passes decisivos. O jogador marcou sete gols em 35 chutes (20% de conversão).
Jonatan Gomez (CSA) – Jonatan Gomez foi um dos poucos destaques do CSA. Com três grandes chances criadas, 40 passes decisivos e mais três assistências, o ponta foi um dos melhores da equipe alagoana. Além disso, o jogador deu 37 desarmes. Marcou cinco gols em 40 chutes (13% de conversão.
Romarinho (FORTALEZA) – Com 81 dribles certos (64% dos tentados), quatro assistências, oito grandes chances criadas e mais 39 passes decisivos, Romarinho foi um dos grandes destaques do Fortaleza em 2019. Além disso, o jogador marcou mais três gols em 21 chutes (14% de conversão).

Everaldo (CHAPECOENSE) – Com 38 finalizações ao gol e 13 gols marcados, Everaldo foi a grande esperança de não rebaixamento da Chapecoense. O jogador teve uma conversão de gols de 15% (chutes tentados por gols marcados). Além disso, deu uma assistência e criou quatro grandes chances, dando outros incríveis 40 passes decisivos. O jogador venceu 235 duelos, sendo 41%. Destaque para os 53 dribles certos do atacante.

Gilberto (BAHIA) – Gilberto ganhou 123 duelos (36%), mas deu três assistências e criou outras três grandes chances, além de mais 18 passes decisivos. Porém, foi marcando gols que se destacou. Balançou as redes 14 vezes, acertando 32 dis 66 chutes ao gol (21% de taxa de conversão).
Wellington Paulista (FORTALEZA) – Wellington Paulista deu três assistências e criou mais seis grandes chances, dando 20 passes decisivos. O centroavante ganhou 117 duelos (45%). Marcou também 13 gols em 56 chutes, sendo 29 deles certos. (23% de taxa de conversão). Foi o artilheiro do Fortaleza e jogador de grande importância.
Rafael Moura (GOIÁS) – Destaque e peça importante ao surpreendente Goiás, Rafael Moura deu uma assistência e outros 15 passes decisivos, além de criar mais uma grande chance. Venceu 126 duelos (41%). O He-Man fez 9 gols em 41 chutes, sendo apenas 15 deles certos (22% de conversão).
Menção honrosa: Leandro Bárcia (Goiás).
E assim está a escalada a seleção Fora do Eixo do Brasileirão 2019
tactical-board.com (2)
Dados: Footstats e SofaScore

Um comentário sobre “FORA DO EIXO – Os destaques do Brasileirão 2019 longe dos grandes centros

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s