A luta pela vaga direta – ANÁLISE TÁTICA DE SÃO PAULO 2 X 1 INTERNACIONAL

Por Pedro Galante

WhatsApp Image 2019-12-05 at 16.18.50

Nos campeonatos de pontos corridos, mesmo depois da definição do campeão, as partidas seguem tendo valor: há de decidir quem cai e quem se classifica para as competições continentais. São Paulo e Internacional disputavam uma final particular pela última vaga direta para a Taça Libertadores. As mesmas equipes, que em 2006, fizeram a final da competição.

O São Paulo, sem Fernando Diniz, suspenso, à beira do campo, foi para a partida com a seguinte escalação: Volpi, Juanfran, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Tchê Tchê; Antony, Dani Alves, Igor Gomes e Vitor Bueno; Pablo. A estratégia era usar um ataque bem móvel para criar espaço na linha de defesa.

O Inter de Zé Ricardo veio com: Lomba, Heitor, Moledo, Cuesta e Uendel; Lindoso; Parede, Edenilson, Nonato e Neilton; Guerrero. A estratégia colorada envolvia uma pressão alta e intensa, ganhando os duelos no meio campo. Com a bola, usar o pivô de Guerrero e explorar a chegada dos pontas, especialmente nas costas dos laterais e infiltrações de Nonato e Edenilson.

Os primeiros minutos de jogo foram bastante equilibrados. O Internacional subia a marcação e pressionava Arboleda e Bruno Alves, que tinham certa dificuldade em iniciar os ataques. O São Paulo foi melhorando conforme Tchê Tchê e Dani Alves foram aparecendo no jogo, ajudando a levar a bola a frente, acionando Igor Gomes e Antony.

E se na última partida, contra o Grêmio, o São Paulo sofreu com a lentidão e falta de movimentos agudos de seus meias, contra o rival colorado foi diferente. Igor Gomes se mostrou muito mais veloz nos espaços curtos e perigosíssimo conduzindo de frente enquanto Antony atacava a linha de defesa partindo da ponta sempre que possível.

Aos 16 minutos, essa exata combinação dá o gol ao São Paulo. Aproveitando o espaço deixado pela linha defensiva do adversário, Igor Gomes deu belo passe para a infiltração de Antony que finalizou na saída de Marcelo Lomba.

spint1Cuesta avança, Uendel não faz a cobertura e Antony infiltra no espaço vazio para marcar. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

O São Paulo cresceu com o gol. O Inter foi diminuindo a intensidade de sua pressão e viu Dani Alves controlar o meio campo. O jogo esteve quase todo concentrado pelo lado direito do ataque tricolor, esquerdo da defesa colorada. Antony, que provavelmente fez sua última partida no Morumbi, pois deve ser vendido para equilibrar as contas, foi muito influente.

spint4Mapas de calor de Igor, Antony e Dani. Os dois primeiros bastante incisivos no ataque e o último construindo as jogadas desde a base. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

O São Paulo voltou do intervalo dominante como vinha sendo. Logo aos quatro minutos, ampliou a vantagem. Em jogada de contra-ataque, Antony deixou Vitor Bueno na cara do gol.

Com um placar folgado, o São Paulo foi cedendo a bola para o Inter. Aos 14, Zé Ricardo colocou D’Alessandro e Nico Lopez nos lugares de Nonato e Neílton e avançou o time para o ataque em um 4-2-3-1, com Lindoso e Edenilson formando a dupla de volantes e D’Alessandro recuando bastante para construir.

spint2Alteração mudou o desenho do meio campo do Inter. Lindoso e Edenilson na base e D’Ale mais avançado. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

Aos 25, o Inter descontou com Guilherme Parede. No início da jogada, D’Alessandro elimina toda linha de meio campo do São Paulo e encontra Guerrero que conduz de frente. Arboleda e Bruno Alves falharam em sua tentativa de interceptação. O peruano finalizou e no rebote Paredes ficou com o gol vazio.

O Inter pressionava e buscava o empate. Liziero entrou na vaga de Vitor Bueno para segurar a bola no meio campo. Antony virou ponta esquerda e Dani Alves ponta direita. Zé Ricardo tornou seu time ainda mais ofensivo com a entrada de Rafael Sobis no lugar do lateral Heitor. Edenilson foi recuado para a lateral direita e D’Alessandro virou volante. Como resposta, Márcio Araújo, que substituía Diniz, trocou Pablo por Luan com o objetivo de preencher o meio campo e proteger a entrada da área. Igor Gomes virou a referência do ataque, mas apenas por alguns minutos, até sair para a entrada de Toró.

spint3Luan entrou no meio campo para proteger a entrada da área. Pelo lado do Inter, Edenilson virou lateral e D’Alessandro ajudava a criar como um volante. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

Nos minutos finais, Rodrigo Moledo virou centroavante ao lado de Guerrero mas o Internacional não conseguiu criar grandes chances a não ser a cabeçada do goleiro Marcelo Lomba no escanteio. Depois de oito minutos de acréscimo, o árbitro encerrou a partida.

O São Paulo selou uma vaga direta importantíssima para a Libertadores, já o Inter terá que disputar duas fases a mais antes de chegar na fase de grupos. A vaga direta é fundamental para dar mais tempo de pré-temporada às equipes e permitir derrotas sem eliminações.

@PedroSBgalante

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s