A qualidade de nunca, o resultado de sempre… – ANÁLISE TÁTICA DE JUVENTUS 1×0 MILAN

Por Ítalo Amorim

WhatsApp Image 2019-11-11 at 20.45.28

            Juventus e Milan se enfrentaram na tarde deste domingo no Juventus Stadium pela décima segunda rodada do Campeonato Italiano. O confronto em si marcava certa instabilidade nas atuações recentes de ambas as equipes, de um lado a Juventus que conseguiu fazer seis pontos nos últimos seis disputados, mas sofreu contra o Genoa em casa e contra o Torino no Derby de Turim, enquanto do outro lado o Milan venceu (e não convenceu) contra a Spal e fez bons minutos na derrota para a Lazio, ambos no San Siro.

– ESCALAÇÕES:

Juventus (4-3-1-2):

WhatsApp Image 2019-11-12 at 16.31.30

Milan (4-3-3):

WhatsApp Image 2019-11-12 at 16.31.28

  • JOGO:

Como em todos os jogos com Stefano Pioli, o Milan iniciou a partida buscando se “camuflar” para se sobrepor as qualidades do adversário. Vamos aos confrontos:

  • Contra o Lecce, explorou infiltrações do elemento surpresa (Hakan – que normalmente atua nas entrelinhas – e Biglia – primeiro volante do modelo no confronto – se destacaram nessas infiltrações) para superar o fortalecimento na frente da área de seu adversário;
  • Contra a Roma, buscou aproximar ao máximo suas linhas para diminuir os passes em ruptura buscando Edin Džeko ou a movimentação nas entrelinhas de Nicolò Zaniolo;
  • Contra a Spal, entendeu que Stefezza não permitiria espaços para Theo Hernandéz explorar e passou a construir no lado direito, sendo Lucas Paquetá o homem entre as linhas de marcação;
  • Contra a Lazio, usou do “feitiço” de Inzaghi para ter o campo à sua disposição, sendo um time muito mais agudo do que costumava ser e não chegando tanto na linha de fundo para não sofrer com contra-ataques;
  • E, finalmente contra a Juventus, subiu suas linhas para limitar o poder de criação de uma equipe de bons passes curtos e de poderio ofensivo qualificado. Limitando o campo de finalização dos bons finalizadores (Cristiano Ronaldo, Higuaín, Bernardeschi e Pjanić.

Essa subida de linhas pôde ser vista tanto no primeiro quanto no segundo tempo, onde o Milan sempre tentava igualar numericamente os atletas no campo da Juventus (mas poucas vezes conseguia, graças ao recuo de Bentancur na direita e/ou Matuidi na esquerda) para recuperar em encaixes individuais ou, caso não fosse possível, ter respaldo defensivo para limitar espaços com sua marcação por zona.

mil1Tentativa do Milan de “encaixotar” a Juventus na sua saída, os jogadores movem-se conforme a direção da bola e tentam ocupar o espaço do atleta da Juventus; o jogador da sobra (no caso Juan Cuadrado, no canto baixo da imagem) e sempre do mezzala ou ponta oposto.

mil 2Lance já da segunda etapa que demonstra duas coisas: a, já dita, tentativa do Milan de encurtar espaços e a “resposta” da Juventus para isso, com Bentancur (7) e Matuidi (8) no campo de defesa e tendo Szczęsny (1) ativo na saída de bola da equipe.

Com progressões limitadas para o time de Maurizio Sarri, o jogo ficou muito mais aberto do que se imaginava. Mesmo sem ter tão ativamente sua principal válvula de escape na temporada (Theo Hernandéz), o Milan soube usar os espaços nas entrelinhas para buscar Hakan e/ou Paquetá e/ou Suso além de permitir infiltrações de Lucas Paquetá como um segundo atacante (sendo Piątek o responsável por levar Bonucci para o seu lado, abrindo um espaço entre os zagueiros dos mandantes).

Ainda que muito bem, o rossonero sofreu quando não recuperou a bola rapidamente, vendo um Juan Cuadrado muito ativo no ataque e munido de um Gonzalo Higuaín muito móvel. Aproximação no seu setor e possibilidade de escape do outro lado, assim Juan Cuadrado recebia com três opções próximas de passe, além de Cristiano Ronaldo como escape do lado oposto.

Se tratando de saída de bola, não foram só os mandantes que sofreram para construir desde o campo de defesa. O Milan, que já sofreu com erros na saída contra Lecce e Roma, adotou duas medidas frente à mesma estrutura: procurar o centroavante para os mezzalas/pontas ganharem a segunda bola ou lançar nos laterais (mais avançados em relação à linha de defesa) para o jogo partir do corredor para dentro. Ficando então:

mil 3Laterais (em azul) posicionam-se para receber a bola na frente da linha de defesa (caso o time utilize a segunda saída), enquanto isso os centrais (numerados em preto) posicionam-se para ter superioridade numérica (3×2) em caso de segunda bola.

            O jogo, bem encaixotado de ambas as partes, só veio ter liberdade para um lado quando Cristiano Ronaldo (lesionado) deu lugar para Paulo Dybala e Bernardeschi deu lugar para Douglas Costa, munindo o lado esquerdo da Juventus com o drible em velocidade do brasileiro e permitindo um jogador mais eficiente nas entrelinhas com o argentino.

            A partir disso o jogo, antes bem aberto, deu lugar para um domínio da velha senhora, domínio esse que deu resultado: troca de passes curtos na frente da área do Milan (mesmo problema visto no primeiro tempo quando a marcação em cima não funcionava) e bola entre Romagnoli e Theo para Dybala. O argentino ataca o espaço, tira de Romagnoli e finaliza à direita de Gigio: Juventus 1-0.

            Depois disso o jogo estacionou, os mandantes souberam regular os avanços do Milan que só levou perigo nas finalizações de média distância de Hakan, sempre com intervenções de Wojciech (que foi essencial para segurar o ímpeto milanista nas duas etapas). Além disso, a Juventus chegou novamente com Dybala em mais um drible curto e o Milan com uma finalização distante do Bennacer… números finais no duelo: Juventus 1-0 Milan.

– PÓS-JOGOS:

            Digamos que nem o acaso protege Stefano Pioli, que visivelmente melhorou sua equipe, mas ainda não consegue fazer disso uma pontuação. Hoje, na décima quarta posição (com quatro pontos da zona de rebaixamento e com onze pontos de distância para o G6), o Milan tem futuro instável e volta aos seus domínios para enfrentar o – também instável – Napoli.

            Já do outro lado, a Juventus de Sarri (que já venceu e convenceu) vive uma natural oscilação nesse início de temporada, mas ainda assim entrega resultados e se encontra, como sempre, no topo da tabela (10V/2E/0D). Enfrentará a Atalanta fora de casa.

@italoamorim08

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s