Foi por pouco – ANÁLISE TÁTICA DE AVAÍ 1 x 2 SANTOS

Por Rodrigo Costa

WhatsApp Image 2019-11-07 at 15.37.39

Mais uma partida em que Jorge Sampaoli escalou o Santos no 4-3-3, consolidando esse como o desenho tático mais utilizado da equipe, e também o mais eficiente. O time teve Éverson; Pará, Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Pituca, Sánchez e Felipe Jonatan (ganhando a vaga de Evandro); Marinho, Soteldo e Sasha. O Avaí foi a campo num 3-4-2-1 (3-4-3).

Enfrentando o lanterna da competição no estádio da Ressacada, o Peixe começou o jogo como se tivesse atuando na Vila Belmiro: marcação alta, intensidade, pressão ao adversário e volume ofensivo alto, com isso já estava ganhando por 2 x 0 logo aos 24 minutos. O Santos se instalava todo (menos Éverson) no campo de ataque e de maneira compacta, pois a distancia entre a linhas dos defensores e dos atacantes era pouca, cerca de 30 metros, empurrando o Avaí para o seu próprio campo, que marcava no 5-4-1.

san1.jpgFelipe Jonatan e Sánchez tiveram liberdade para jogar mais à frente. Fonte: InStat – Premiere. Edição: Rodrigo Costa

As bolas paradas ofensivas mais uma vez deram resultado. Geralmente escanteios e faltas laterais ou frontais mais distantes são cobradas em direção aos zagueiros, mas dessa vez a jogada ensaiada foi por baixo (algo que já ocorreu outras vezes na temporada) e que no rebote do chute de Marinho, Sasha mandou para as redes. Já as defensivas, principalmente escanteios, seguem uma marcação mista, ou seja, alguns jogadores marcam espaços na área e outros marcam individualmente um adversário, deixando Soteldo e Marinho na sobra nas pontas da área para a puxada dos contra-ataques.

san2Na sobra, os velozes Marinho e Soteldo, um de cada lado da área. Em vermelho 4 jogadores em marcação zonal e mais 4 jogadores em encaixes individuais. Fonte: InStat – Premiere. Edição: Rodrigo Costa

 Defensivamente o Alvinegro Praiano tinha dois mecanismos que foram bem executados. Quando o Avaí tinha a bola no seu campo de defesa, a equipe santista pressionava a saída de bola em bloco alto de maneira intensa num 4-3-3: Soteldo (esquerda) – Sasha – Marinho (direita) na primeira linha e Felipe Jonatan (esquerda) – Pituca – Sánchez (direita) na segunda linha.

san3Fonte: InStat – Premiere. Edição: Rodrigo Costa

Já quando o Leão da Ilha tinha a bola no seu campo de ataque (fase de criação), o alvinegro se defendia no 4-4-2: Sasha – Soteldo na primeira linha e Felipe Jonatan (esquerda) – Pituca – Sánchez – Marinho (direita) na segunda linha. O lance do segundo gol sai após uma roubada de bola de Sasha, além da “quebra do modelo de jogo” que Marinho oferece ao partir sempre da ponta para o meio, marcando o gol.

san4Fonte: InStat – Premiere. Edição: Rodrigo Costa

O Avaí equilibrou a partida após a entrada de João Paulo (meio-campista) na vaga de Zé Marcos (zagueiro) aos 29 minutos, passando a atuar no 4-3-3, aumentando a posse de bola, criando mais chances e aproveitando a queda na intensidade de marcação do meio santista para diminuir o placar aos 35 minutos. Percebendo isso, Sampaoli sacou Felipe Jonatan no intervalo e voltou com Alison para aumentar o poder de marcação, liberando mais Pituca, que passou a ser segundo homem de meio-campo.

san5Fonte: GloboEsporte.com – Edição: Rodrigo Costa

O jogo ficou equilibrado e truncado no início do segundo tempo. O Santos tinha a bola mas não conseguia finalizar as jogadas, além de começar a ter vários erros de passe (inclusive no lance da expulsão de Gustavo Henrique aos 17 minutos). Com isso, Luiz Felipe entrou na vaga de Soteldo para recompor a zaga e Marinho passou a atuar pela esquerda, com o Santos se defendendo no 4-4-1, Sánchez (direita) – Alison – Pituca – Marinho (esquerda) com Sasha na frente.

san6Fonte: InStat – Premiere. Edição: Rodrigo Costa

Dessa maneira o Avaí cresceu no jogo e empurrou o Santos que não conseguia sair nos contra-ataques nem ter a bola no campo de ataque, mas o domínio do time da Ressacada não se converteu em chances reais de gol, muito por conta do baixo nível técnico da equipe, além da boa marcação santista, fechando bem os espaços. Destaque para Alison nesses quesitos. Aos 40 minutos Léo foi expulso pelo lado do Avaí e assim o jogo retomou ao controle do Santos, que apenas administrou o resultado.

Ajude a melhorar nossas análises táticas! Contribua com o MW Futebol e ajude a manter o acesso gratuito aos nossos textos.

R$10,00

Importante vitória na caminhada para consolidar a vaga na Libertadores de 2020. Destaques especiais para Eduardo Sasha, muito bem no jogo, se movimentando bastante, dando opção de passe e dando sequencia nas jogadas com pivôs e poucos toques na bola, e Marinho, que se prova mais uma vez um jogador importante para abrir defesas fechadas, com o Sampaoli lhe dando liberdade para afunilar as jogadas partindo da ponta direita.

@costarodrigosfc

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s