Pra fugir da Zona – ANÁLISE TÁTICA BOTAFOGO 0x1 FLUMINENSE

Por Guilherme Monteiro  e Jorge Coutinho

WhatsApp Image 2019-10-08 at 08.52.11

Fluminense e Botafogo chegavam ao 365° clássico vovô em momentos opostos, um Flu que após vencer o Grêmio no último domingo saiu da zona de rebaixamento, acalmando os ânimos de seus torcedores e ao longo da semana Marcão foi efetivado no comando tricolor. Já pelo alvinegro, a derrota para o Fortaleza na última segunda, esquentou ainda mais a irritação entre torcida e o técnico Eduardo Barroca, além da derrota, houve protestos por parte dos alvinegros durante a semana, cobrando mais empenho dos atletas e uma forma diferente de Eduardo Barroca escalar a equipe.

Na arquibancada um público pequeno, de 12.404 presentes, sinalizava o mau momento vivido pelas equipes.

No campo, o Flu foi mais eficiente e com uma cabeçada de Yony González saiu o gol da vitória que afasta o tricolor das Laranjeiras da Zona do Rebaixamento.

Escalações: 

WhatsApp Image 2019-10-08 at 08.52.17Imagem: Twitter oficial Rodrigo Coutinho.

Substituições:

Botafogo: 17’- 2° tempo, Luiz Fernando (Pimpão); 17’- 2° tempo, Tanque (Victor Rangel); 30’-2° tempo Bochecha (Léo Valência).

Fluminense: 26’- 2° tempo, Daniel (Guilherme); 31’- 2° tempo, Ganso (Wellington Nem); 37’- 2° tempo, Gilberto (Igor Julião).

O treinador Marcão fez apenas uma substituição em relação ao confronto anterior do Fluminense: saiu Yuri para o retorno do zagueiro Digão. A equipe tricolor voltou a apresentar algumas características marcantes da época em que Fernando Diniz era o treinador. Um trio no meio de campo composto por Allan, Danielzinho e Ganso, mais leve e com certa mobilidade, onde todos tem condições de ajudar tanto no momento ofensivo como no momento defensivo. Os laterais, Gilberto e Caio Henrique, bem abertos, dando amplitude e sendo frequentemente opções de ataque, o Fluminense chegava aoataque com 6-7 jogadores. Allan mais uma vez ditava o ritmo nas saídas de bola, e cumpriu o papel de ser ora o homem entre as duas primeiras linhas, ora entre os zagueiros.

WhatsApp Image 2019-10-08 at 08.52.23Imagem: Laterais do Fluminense dando amplitude e Allan entre os dois zagueiros, Edição Jorge Coutinho.
WhatsApp Image 2019-10-08 at 08.52.28Imagem: Fluminense em momento ofensivo com muitos jogadores no terço final, Edição Jorge Coutinho.

Botafogo buscou dentro de sua limitação impor-se em campo, no entanto vemos os problemas de sempre, com bola uma equipe espaçada nos momentos de organização ofensiva, e nos momentos de pressionar uma equipe nem sempre compacta e que possibilitou o Fluminense, principalmente no 1° tempo sair da pressão e realizar a transição ofensiva. Apesar de não ser a característica da equipe de Eduardo Barroca, o jogo direto, explorando bastante a capacidade física de Vinícius Tanque mais avançado e de Diego Souza, nas zonas médias do campo, foi o que o Botafogo soube mostrar de “mudança”, nos seus conceitos. Vitórias pessoais dos dois foram importante na conquista da segunda bola e levar o Botafogo ao campo de ataque, o problema após isto foi o passe ou a finalização seguinte, onde não havia continuidade ou era mal executada. A transição ataque-defesa era ruim, a equipe demorava a recompor, no entanto, o problema era amortizado pela lentidão nas puxadas de contra-ataque tricolor na 1° etapa. Ainda na defesa, Barroca, buscou variar esquemas (4-2-3-1 e 4-4-2), mas nenhum com muito efeito prático, o Fluminense mantinha a superioridade numérica, especialmente pelos lados do campo.

O Fluminense chegou ao gol aos 34 minutos do primeiro tempo, em jogada que demonstra claramente os traços do DNA desse time ao longo do ano. Jogada inicia ainda atrás com goleiro Muriel que sai com toque curto para Digão, e de pé em pé vai buscando envolver o adversário e achar espaços para avançar.No seu campo defensivo o Fluminensebalança de um lado a outro em busca da melhor opção. Ganso e Danielzinho buscam movimentações e a melhor leitura. Após a saída de bola de Muriel, são quatorze passes até o belo cruzamento de Gilberto. Para Yony fazer o gol eencerrar um jejum de 11 partidas sem marcar.

Vídeo: Gol doFluminense, o gol da vitória.

Embora a assistência do gol do Fluminense tenha ocorrido pelo lado direito, as principais ações da equipe tricolor ocorreu pelo lado esquerdo. Frequentemente o time buscou avançar por esse lado do campo, Yony, Danielzinho e Caio Henrique faziam as passagens, e ainda contavam com apoio do Ganso vindo de frente e até da aproximação de Nenê. É possível visualizar a tendência natural de jogadas pela esquerda através dos números dos dois laterais no jogo e o posicionamento médio do time. Caio Henrique anotou 56 passes corretos (34 no campo do adversário) e 1 cruzamento correto. Já Gilberto foram 40 passes corretos (16 no campo adversário) e 1 cruzamento.

WhatsApp Image 2019-10-08 at 08.52.38Imagem: Origem dos passes e cruzamentos do lateral esquerdo do Fluminense, Caio Henrique, Edição Jorge Coutinho.
WhatsApp Image 2019-10-08 at 08.52.44Imagem: Origem dos passes e cruzamentos do lateral direito do Fluminense, Gilberto, Edição Jorge Coutinho.
WhatsApp Image 2019-10-08 at 08.52.51Imagem: Posicionamento médio do time do Fluminense, Fonte Sofascore.

Na segunda parte, a equipe do Botafogo piorou com as alterações e na base do “abafa” tentou fazer o gol da igualdade, entretanto sem sucesso.

Ganso e GilbertoGansoImagens e Edição: Globo e Guilherme Monteiro/Instat.

A facilidade e a falta ou presença de pressão mal executada na saída de bola, foram preponderantes para o Fluminense sair sem problemas com a bola e realizar sua transição ofensiva.

Yony e JPGilberto e YonyImagens: Globo, Edição: Guilherme Monteiro/Instat.

A Transição e a organização defensiva do Botafogo, apresentou falhas, possibilitando Yony e João Pedro, especialmente no 1° tempo, aparecerem aproveitando os espaços nas costas da zaga alvinegra e com possibilidade de triangular como na imagem 1 e de aparece livre para um avanço do contra-ataque ou finalização (imagem 2).

Falta de apoio botafogoImagem: Globo, Edição: Guilherme Monteiro/Instat.

Este é o maior problema da organização ofensiva do Botafogo, é uma equipe que não se movimenta e quando se movimenta, não dá opções de passe ao portador da bola, com isto são forçados chutões e bolas longas improdutivas. Note também a orientação corporal dos jogadores, totalmente errada para a possibilidade de movimentos de aproximação e opção para o passe curto.

O Fluminense conseguiu controlar bem as ações no segundo tempo, explorando contra-ataques e teve pelo menos três boas oportunidades para fechar o caixão. Yony, W. Nem e Nenê tiveram condições de ampliar o placar. O Botafogo quando conseguiu furar o sistema defensivo, esbarrou em mais uma boa atuação de Muriel.

Vídeo: Chance criada por Yony G.
Video: Chance criada por Nenê.

Marcão ainda precisa ajustar melhor o sistema defensivo, hoje o ponto de desequilíbrio é o lado direito da defesa tricolor que segue exposto. Yony e Nenê ajudam a fechar a segunda linha de meio de campo (corredor) junto com Ganso mais centralizado a direita, e Danielzinho mais centralizado a esquerda. Pela vitalidade física e idade, Yony e Danielzinho se saem melhor que o Nenê e Ganso respectivamente. O treinador opta por trocas de lado entre Yony e Nenê ao longo do jogo. Quando Nenê cai pelo lado direito vem a maior dificuldade em fazer uma transição ataque-defesa mais rápida, e por diversos momentos Gilberto fica exposto por conta da linha quebrada ou por Nenê soltar a marcação, que resulta em espaços e/ou inferioridade numérica de jogadores do seu lado.

Video: Nenê não acompanha marcação, lado direito do Fluminense exposto.

Com a vitória por 1 a 0, o Fluminense chega aos 25 pontos, a 15ª colocação e abre cinco pontos em relação ao Cruzeiro (primeiro clube na zona de rebaixamento). Na próxima rodada o tricolor das Laranjeiras fará mais um jogo de 6 pontos, na quarta-feira fora de casa enfrentará o Cruzeiro. Marcão não contará com Caio Henrique e Allan convocados para Seleção Olímpica Brasileira, e Digão por questão de acordo contratual.

Ajude a melhorar nossas análises táticas! Contribua com o MW Futebol e ajude a manter o acesso gratuito aos nossos textos.

R$10,00

O Botafogo estacionou nos 27 pontos e com 4 derrotas seguidas no torneio o técnico Eduardo Barroca não resistiu e foi demitido. A próxima partida do alvinegro será novamente no Estádio Nilton Santos contra o Goiás.

@guizaomb19 e @jorginhoffc

Anúncios

3 comentários sobre “Pra fugir da Zona – ANÁLISE TÁTICA BOTAFOGO 0x1 FLUMINENSE

  1. Contra O Cruzeiro q mantenha o toque d bola mas com esquema tático diferente.Cruzeiro esta mordido com o 4×1 vai querer reverter ou devolver.Flu precisa melhorar muito,cada jogo 1 esquema pois o times são diferentes. Diniz tivesse entendido isso estávamos + tranquilos. OSVALDO 🤮

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s