Londrina 2019 (e 2020) – MAZOLA JÚNIOR

Por Rafinha Santos

O Londrina Esporte Clube foi um exemplo de gestão entre 2010 e 2017, onde conseguiu inúmeros acessos, manteve apenas um técnico em seu comando por 7 anos e promoveu um trabalho especial tanto com a base quanto aos jovens promissores que vinham emprestados. Desde 2015 quando conquistou o acesso para a série B, o Londrino brigou pelo acesso nos quatro anos, variando entre dois e cinco pontos para o quarto colocado ao final do campeonato, ou seja, a equipe se consolidou na competição e o rebaixamento sempre foi pouco provável.

            Porem a temporada 2019 fugiu a regra, o técnico da Base Alemão foi promovido ao principal e o técnico Roberto Fonseca foi “emprestado” ao Grêmio Novorizontino para a disputa do campeonato paulista, porem na sua volta permaneceu apenas um jogo e pediu demissão, fazendo com que o Alemão voltasse ao comando, após resultados negativos o comando foi novamente trocado, mas dessa vez apostando pesado, o medalhão Claudio Tencati de volta ao Londrina, porem os resultados continuaram ineficazes, fazendo com que mais um técnico saia do comando, dando vaga para Mazola Júnior.

Estadual

            O técnico Alemão apostou fortemente na base durante o estadual, até por que essa era a ideia, seguindo uma tática usada pelo Athlético nesse período, enquanto isso jogadores já consolidados foram emprestados a diversos times como por exempli: Carlos Henrique, Paulinho, Raí Ramos, Higor Leite, Cesar, Marcinho, Alisson Safira e etc.

            De inicio foi positivo, por que os garotos conseguiram dar um padrão tático e técnico para a equipe, além disso, Silvio e Germano atuavam como lideres dentro de campo. Esse processo abriu espaço para bons nomes como Augusto, Felipe Vieira, Uelber, Anderson Oliveira, Luquinha, Pedro Cacho, Miullen e etc.

            O padrão utilizado sempre foi o 4-2-3-1 com o time base: Alan; Rai Ramos, Augusto, Silvio e Felipe; Rômulo e Germano; Luidy, Luquinha e Anderson Oliveira; Uelber. Essa equipe tinha uma estratégia de jogo consolidada e perigosíssima. A dupla de volantes tinha imposição com Germano atuando mais recuado auxiliando na saída de bola e Rômulo se aproximando do ataque, enquanto Luquinha atuava com liberdade para se aproximar tantos dos volantes quanto dos extremos, primariamente a equipe atacava pelo lado esquerdo contando os fortes avanços de Felipe Vieira se aproximando de Anderson Oliveira, essa parceria foi responsável direta por inúmeros gols e lances bem trabalhados.

Série B

            No decorrer da competição muitas coisas aconteceram, desde a saída em massa de jogadores e a chegada de inúmeros jogadores desconhecidos. Logo de inicio Rômulo, Luquinha, Anderson Oliveira e Felipe foram para o Portimonense/POR e isso modificou a estrutura, por mais que Anderson Leite repôs bem a vaga de Rômulo, o lado esquerdo que era o ponto forte da equipe sucumbiu aos inúmeros jogadores que atuaram nessa função e nenhum deles foi unanimidade, na vaga de Luquinha se iniciou uma competitividade interessante entre Matheus Bianqui, Higor Leite e Arthur Caculé, porem todos iniciaram bem e depois caíram de rendimento por motivos diversos, desde comprometimento até questões físicas.

            É bem difícil escalar um time base durante a passagem do Alemão na Série B, por que inúmeros jogadores saíram e chegaram, mas uma base seria essa: Matheus Albino; Raí Ramos, Silvio, Augusto e Felipe (Breno); Anderson Leite e Germano; Luidy, Higor Leite e Anderson Oliveira (Paulinho); Alisson Safira. Por mais que se manteve no 4-2-3-1 padrão, as construções de jogadas ficaram ineficazes e não tinham mais um padrão de execução, o ataque ficou refém de extremos que partem para o 1×1, mas nas partidas de mais dificuldade a cobertura defensiva anulava essa jogada e o time ficou refém de bons jogos de alguns jogadores pontuais como Anderson Leite, Germano e Alisson Safira que sempre mantiveram o bom nível.

            Após a volta de Claudio Tencati, o Londrina modificou seu modelo de jogo e tentou fazer algo impossível para o momento, o modelo de jogo priorizava a posse de bola e articulações, porem com um elenco limitado e sem entrosamento ficou impossível, jogadores foram chegando e não conseguiram impor sua titularidade, podemos dizer que inclusive o nível desceu e a equipe ficou ainda mais vulnerável e não conseguia propor jogadas, a partida contra o Coritiba animou o elenco, mas nitidamente os 2 gols são reflexos do ótimo momento de Anderson Leite e a estrela da Léo Passos.

            Se pudessem tentar (devido ao baixo numero de jogos) escalar um padrão seria isso: César; Alemão, Léo Rigo e Wallace e Juninho; Anderson Leite e Germano; Alisson Safira, Higor Leite e Paulinho, Junior Pirambu (Léo Passos). Comparando com as outras duas escalações de base, apenas Germano esteve nos três momentos, isso é reflexo do momento atual da equipe, não se tem um padrão em longo prazo, as modificações pilharam o time e não possibilitaram um formato de jogo que fosse favorável ou aceitável.

Dagoberto

            Precisamos falar desse caso com muito respeito, possivelmente o modelo de jogo de todos os técnicos passaram pelo atacante, porem ele não atuou como se esperava, não se manteve ligado ao clube e por diversas vezes ele foi ausente nos momentos críticos. Uma equipe não pode ser tão dependente de apenas um jogador, ainda mais quando esse jogador tem uma idade avançada.

Mazola Junior

            A estreia de Mazola Junior será no dia 5 de Agosto (Sábado) contra o Cuiabá fora de casa. Em sua primeira lista de jogadores relacionados temos algumas surpresas.

Goleiros: César e Emerson;

Defensores: Raí Ramos, Augusto, Lucas Costa, Sílvio e Juninho.

Meias: Anderson Leite, André Moritz, Bertotto, Germano, Higor Leite, Matheus Bianqui e Neris.

Atacantes: João Paulo, Junior Pirambu, Léo Passos, Matheuzinho, Paulinho Moccelin, Victor Daniel.

            Nomes como Emerson, Germano, João Paulo e Luidy já trabalharam com o técnico Mazola Junior anteriormente, por isso é provável que alguns ganhem espaço pelo padrão e identificação. Podemos notar algumas ausências, o goleiro Matheus Albino que falhou na ultima partida não está relacionado, Luidy não está relacionado de inicio e alguns reforços ainda não têm condição e jogo como o zagueiro Dirceu.

            As principais ausências são: o zagueiro Marcondes que recuperasse de lesão e retorno apenas para 2020, o lateral esquerdo Felipe Vieira que sofreu lesão no joelho e não tem previsão de volta, o lateral direito Alemão que se recupera de lesão na coxa e o zagueiro Léo Rigo que sofreu lesão no joelho.

            Provavelmente a equipe deve ser modificada novamente pela quarta vez no ano, mas dessa vez é necessário pela situação. As informações dão a entender que o padrão de jogo será fortemente defensivo e a condição física deve ser o preponderante para definir vagas.

            A linha defensiva vem sofrendo muito, porem não se tem opções na base ou mercado, dessa forma a equipe deve ir a campo com Emerson no gol, Rai Ramos e Juninho nas laterais, a dupla de zaga deve ser feita com Augusto e Lucas Costa, porem Silvio tem condições de ganhar a vaga pela experiência, mas para isso precisa estar bem fisicamente, devido à idade avançada e inúmeras lesões de longo período, além disso, Dirceu que chegou a pouco tempo precisa de ritmo de jogo por que em condições normais é titular.

londrina 2Silvio é facilmente ultrapassado quando precisa se impor no 1×1, precisa sempre de cobertura e não consegue impor sua experiência devido à parte física.

            Os laterais Rai Ramos e Juninho têm capacidade de atacar mais sem fazer com que a defesa fique vulnerável, mas para isso precisa de aproximação e usar isso no tempo certo e na quantidade correta, por mais que o modelo defensivo seja implantado os laterais precisam avançar e auxiliar no jogo em profundidade, por que a equipe não pode ficar refém de cruzamentos aéreos de qualquer lado.

lon 3Os avanços dos laterais com associações dos extremos e meio-campistas eram as principais armas ofensivas, hoje pouco acontece.

            A principal duvida será nesse meio campo, provavelmente Anderson Leite e Germano serão titulares inevitavelmente, porem especulasse jogar com três volantes, isso pode abrir espaços para Matheus Neris e Mathes Bertoto, não imagino o Silvio nessa vaga por que já foi volante no inicio de carreira, acho pouco provável, o articulador pode ser o recém-chegado André Moritiz, Matheus Bianqui ou Higor Leite, seguindo a lógica Higor Leite parte na frente, mas André Moritiz é bem visto pela comissão técnica, essa é a segunda duvida para o jogo.

lond 4Anderson Leite avança e pressiona o portador, não fica a segunda linha.

           O ataque é impossível de assegurar qualquer coisa, não temos nenhuma unanimidade ou jogador que vem em crescente. A função de atacante está entre Léo Passos e Junior Pirambu, devido aos últimos jogos Léo Passos sai na frente, mas está em aberto.

lond 5Léo Passos é instintivo e consegue atuar tanto pelo lado, quanto pelo centro e pode ganhar espaço.

            O jogador ou os jogadores que atuam abertos pelo extremo tem vários perfis, desde promessa da base, medalhão e recém-chegado. Não seria impossível ter Léo Passos e Junior Pirambu juntos, mas perderia totalmente a amplitude e seria ainda mais previsível. Por isso Matheusinho, Victor Daniel e Paulinho estão fortemente na briga. O contra-ataque de uma onda já foi utilizado nas partidas de maior complexidade, mas para isso o armador precisa de velocidade e tempo de reação, além dos extremos avançarem.

lond 6Contra-ataque em aceleração conseguindo igualdade numérica.

            Na sua entrevista de apresentação ele falou bastante sobre o desenho tático e movimentações, além da entrega física durante os 90 minutos, confira alguns trechos:

  • “Conheço praticamente todos os jogadores do atual plantel. Muitos inclusive já foram meus atletas em outras equipes”.
  • “Conheço as condições de trabalho que o clube oferece e acredito que temos tudo para conseguir reverter à situação. O que posso dizer ao torcedor é que ele esteja conosco nessa retomada da confiança e da alegria do time. Com certeza, nós vamos retomar o crescimento para a parte de cima da tabela”.

            O Londrina tem mais 13 jogos até o final da série B, nesse momento o ideal seria manter um padrão tático defensivo, iniciar um processo de seleção para a temporada 2020 e organizar ou balancear o elenco.

@rafinha_esporte

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s