Consistente e competitivo – ANÁLISE TÁTICA GALATASARAY 0x1 PSG

Por Alif Oliveira

br.jpg

O PSG foi a Turquia enfrentar a equipe do Galatasaray, pela segunda rodada da Champions League, ainda sem contar com o brasileiro Neymar que está suspenso, mas que deve voltar já no próximo jogo. A equipe contou com os mesmos titulares que enfrentou o Real Madrid na primeira rodada, e desempenhando um jogo consistente e competitivo contra um Galatasaray que contava com a forte pressão da torcida no estádio Türk Telekom Arena e com jogadores experientes no cenário europeu.

O time francês começou o jogo com muita pressão, subindo o bloco e apostando no perdeu-pressionou em campo rival para largar logo de cara no placar, principalmente com Verratti e Gueye que contava com a ajuda dos homens de ataque para pressionar a saída de bola do time turco. A equipe se lançava ao ataque na plataforma chamada de pirâmide em 2-3-5, onde Bernat atuava mais como um ala-ponta no corredor esquerdo e Di Maria indo mais por dentro, e nisso o time procurava alargar o campo, tendo superioridade numérica nos setores e buscando encontrar uma zona com espaço para seus jogadores terem condições de finalizar.

scre

Na parte defensiva, a equipe se comportava na plataforma de 4-3-3 com os laterais fechando os corredores, e com Marquinhos sendo o primeiro homem de combate do meio campo, e sendo muito seguro para bloquear as ações do Galatasaray, ainda que tenha chegado com pouco perigo a baliza defendida por Navas. O time turco se comportou na plataforma de 4-3-3, e com isso tinha dificuldade para ganhar terreno de jogo por causa da pressão exercida pelos parisienses, a maneira era lançar bolas para os homens de frente que era Falcão e Babel para criar situações de gol.

brasil 2-3-5

Assim, o início da equipe do PSG foi bom na primeira etapa tendo criado oportunidades para abrir o placar, com a soma do perde-pressiona e encontrando espaço nas costas da defesa rival. Com o decorrer da etapa, a equipe turca foi se arrumando e organizando no seu setor defensivo, anulando as principais ações do PSG que tinha o corredor esquerdo como único espaço para chegar à baliza defendida por Muslera, mas que ainda tinha dificuldades para criar pela boa postura da defesa parisiense.

Ajude a melhorar nossas análises táticas! Contribua com o MW Futebol e ajude a manter o acesso gratuito aos nossos textos.

R$10,00

Na segunda etapa, a equipe francesa se portou mais no 4-3-3 do que no 2-3-5 para atacar, mas continuando com perde pressiona em um bloco médio para lançar bolas em profundidade para Di Maria, e foi assim, em lançamentos longos e profundos as costas da defesa adversária que os comandados de Tuchel criava oportunidades. Aos 8 minutos, após boa movimentação, com triangulação e passes rápidos entre Verratti, Sarabia e Di Maria, a bola acabou nos pés de Icardi que abriu o placar para os franceses.

A segunda etapa se construiu dessa maneira, com os franceses dominando e controlando o meio campo e aproveitando lançamentos para os ataques, e o time turco procurando criar oportunidades na transição ofensiva quando a defesa parisiense estava em desvantagem numérica. Foi mais uma partida consistente e sólida do PSG, que viu seu adversário chegar pouco em sua baliza, e contando com Verratti e Gueye sendo chaves novamente para o time ter agressividade para ganhar o jogo.

@Alif_OR14

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s