O fim para Cuca, mas o São Paulo segue perdido – ANÁLISE TÁTICA SÃO PAULO 0x1 GOIÁS

Por Pedro Galante

1Foto: MARCELLO FIM/O FOTOGRÁFICO/ESTADÃO CONTEÚDO.

O Morumbi recebeu pouco mais de 12 mil torcedores para São Paulo x Goiás. Um reflexo da relação da torcida com a equipe. Os presentes não se pouparam da frustração de ver seu time perdendo a primeira partida dentro de casa no campeonato.

WhatsApp Image 2019-09-26 at 19.57.14Dani e Pablo pressionando a saída de bola do Goiás. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

O bom início tricolor, com Daniel Alves aparecendo ao lado de Pablo para fazer uma pressão alta, não foi suficiente. Na primeira oportunidade, aos 16, Leandro Barcia marcou após cobrança de lateral na área. Uma falha bisonha do sistema defensivo tricolor.

Naturalmente, o Goiás se retraiu e deixou a bola com o São Paulo que não soube bem o que fazer. Sem mecanismos ofensivos consolidados, a equipe de Cuca apelou para os cruzamentos. Só na primeira etapa, foram 19, com apenas quatro acertos; 21% de aproveitamento.

Cuca tentou criar variações. Daniel Alves, por exemplo, iniciou como segundo volante, mas trocou com Luan em vários momentos; com as entradas de Antony e Igor Gomes, virou ponta direita; e mais próximo do fim, virou lateral para Helinho jogar aberto.

WhatsApp Image 2019-09-26 at 19.57.46Uma das tentativas de Cuca: Dani de primeiro volante e Luan mais avançado. (Foto: Instat/ Pedro Galante)
WhatsApp Image 2019-09-26 at 19.57.52Já no segundo tempo, Dani passou a compor a linha de meio pelo lado direito. Junto dele, Igor Gomes e Antony. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

O problema não é a posição de Dani Alves. O craque do time é um dos melhores JOGADORES do mundo, no meio ou pelo lado – mesmo que seja potencializado em contextos específicos. A questão é que qualquer talento precisa de uma estrutura tática para desabrochar. O São Paulo é uma equipe sem padrões, em construção e isso reflete no desempenho de todos os jogadores.

Por isso que apesar de todas tentativas de Cuca, a equipe não conseguiu apresentar nada diferente. Nada substitui conceitos bem definidos e assimilados.

Na chance do empate, o pênalti de Reinaldo parou em Tadeu e seu capacete. O goleiro esmeraldino fez ótima partida.

As circunstancias fazem da derrota ainda mais amarga. Perder pontos em casa costuma ser decisivo. E custou o emprego de Cuca.

Ajude a melhorar nossas análises táticas! Contribua com o MW Futebol e ajude a manter o acesso gratuito aos nossos textos.

R$10,00

O trabalho do treinador não foi bom, isto é fato. Mas é preciso ser crítico e enxergar o todo. Mesmo com o trabalho minado por contusões recorrentes e com um elenco se formando no meio da temporada, Cuca montou uma equipe competitiva. Os números não mentem.

O torcedor se revolta porque entende que com a qualidade técnica do elenco, o time pode apresentar mais – e essa é uma tese verdadeira. Mas o São Paulo, enquanto clube, precisa entender que o futebol apresentado é resultado de um processo, ou seguirá sendo um time em eterna construção. Uma obra inacabada, inacabável.

@pedro17galante

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s