Prazer, Ansu Fati – ANÁLISE TÁTICA BARCELONA 5×2 VALENCIA

Por Kleyton Sampaio

WhatsApp Image 2019-09-17 at 11.49.02

O Barcelona entrou em campo contra o Valência com algumas novidades. Pela primeira vez Arthur e De Jong começaram juntos desde o primeiro minuto, além da estreia de Ansu Fati na equipe titular.

O panorama que era esperado para a partida acabou se concretizando. O Barcelona tentou impor seu ritmo, ocupando o campo adversário e tentando trocar passes para chegar até o gol de Cillessen, enquanto o Valência optou por um bloco baixo e saída em velocidade. Dessa forma o time da casa começou a todo vapor, com menos de 20 minutos já havia um 2×0 no placar, trazendo um indicativo de goleada. Adotando um 2-5-3, o Barcelona teve Lenglet e Piqué na dupla de defesa, Busquets como primeiro apoio para as transições ofensivas, Arthur e De Jong mais à frente na criação, Semedo e Alba usando a largura do campo, Ansu Fati e Carles Pérez alternando entre corredor externo e interno, se juntando a Griezmann no comando de ataque.

br.jpgOrganização ofensiva em 2-5-3 (InStat Kleyton Sampaio).

Barcelona tinha Arthur e De Jong como principais criadores da equipe. Volantes que ganharam uma liberdade maior do que é habitual para circular por todas as faixas do meio campo, variando entre a base da jogada e ocupação entrelinhas. Arthur partindo da esquerda e De Jong da direita, mas alternando os lados sempre que possível. A liberdade era tanta que foi possível ver os dois jogadores ocupando o mesmo corredor em certos momentos do jogo. Alternativas que os deixaram bem mais confortáveis dentro de campo.

br.jpgArthur construindo desde a base, De Jong na entrelinha (InStat Kleyton Sampaio)
br.jpgDe Jong e Arthur com liberdade para circular no mesmo corredor (InStat Kleyton Sampaio)

O primeiro gol da partida surgiu justamente em um movimento de apoio do volante holandês, que em uma troca de passes pela faixa direita, conseguiu projetar-se a área para achar Ansu Fati, vindo de trás para abrir o placar. Destaque para o movimento de Carles Pérez, que conseguiu levar a marcação, deixando um buraco na defesa adversária.

br.jpgDe Jong invadindo a área para servir Ansu Fati (InStat Kleyton Sampaio)

Ansu Fati que foi o nome do primeiro tempo, responsável por atuar na ponta esquerda, sempre buscando o enfrentamento com os defensores adversários, usando o movimento em diagonal a área, consequentemente, abrindo espaço para as ultrapassagens de Alba até a linha de fundo. A jovem promessa foi o autor do primeiro gol e acabou dando assistência pro segundo em uma belíssima jogada individual. Impressionou bastante com seus dribles e poder de finalização.

br.jpgAnsu Fati no 1×1 com Garay (InStat Kleyton Sampaio)
br.jpgMovimento interior de Ansu com ultrapassagem de corredor de Alba (InStat Kleyton Sampaio)

Há de se destacar o papel dos homens de frente para a transição defensiva. O Barcelona buscou recuperar a posse logo após a perda, pressionando o adversário a todo vapor. O problema é que as poucas vezes em que o comportamento não funcionou, o time visitante conseguiu encaixar bons contra-ataques, que resultaram em finalizações ao gol de Ter Stegen.

br.jpgPressão após a perda do Barcelona (InStat Kleyton Sampaio)
br.jpgContra-ataque do Valencia (InStat Kleyton Sampaio)

O segundo momento defensivo foi usar os mecanismos de zona pressionante, que é tão peculiar na equipe de Valverde, comportamento que traz um pouco mais de alternativas defensivas para uma eventual saída da pressão por parte do adversário. Posteriormente, a equipe baixou as linhas no 4-1-4-1, usando um bloco médio.

br.jpgZona pressionante em 3-4-3 (InStat Kleyton Sampaio)
br.jpgOrganização defensiva em 4-1-4-1 (InStat Kleyton Sampaio)

Apesar de encaixar boas transições, o gol do Valência saiu em um momento de organização ofensiva, onde Rodrigo conseguiu receber um passe entre as linhas, e mesmo sofrendo marcação achou um passe em profundidade para Gameiro diminuir o placar.

br.jpgRodrigo atacando a entrelinha adversária (InStat Kleyton Sampaio)

Para quem imaginava uma reação ou equilíbrio na partida, o panorama continuou o mesmo, com o Barcelona dono das ações até o final da primeira etapa.

brNúmeros do 1° tempo (Sofascore)

Durante o segundo tempo Valverde promoveu a entrada de Suarez, Rakitic e Vidal, com intuito de dar ritmo aos atletas que podem ser utilizados no jogo contra o Borussia, pela Champions League. O saldo das mudanças foi positivo, Luís Suarez aproveitou os minutos em campo para fazer dois belíssimos gols, que podem servir para trazer confiança diante de um confronto tão difícil que virá a seguir. Vidal e Rakitic participaram das jogadas dos gols e conseguiram manter a competitividade até o final.

Ajude a melhorar nossas análises táticas! Contribua com o MW Futebol e ajude a manter o acesso gratuito aos nossos textos.

R$10,00

No final das contas, o Barcelona conseguiu unir o bom futebol com um bom resultado, a goleada de 5×2 era tudo que o torcedor esperava – já que o time vinha de altos e baixos nas rodadas anteriores.

Saldo da partida:

  • Bom entendimento de De Jong e Arthur, tendo mais liberdade para circular por todo meio campo.
  • Estreia como titular de muita personalidade para Ansu Fati.
  • Volta de lesão em grande estilo de Suarez.
  • Minutos importantes para Rakitic e Vidal manterem a forma.

@SampaioKleyton1

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s