Scout Sudaca #2 – Santiago Rodríguez

Por Henrique Mathias, João Victor Cardoso e Rafael Maciel

WhatsApp Image 2019-09-08 at 11.30.35
Santiago Rodríguez é mais um dos jovens uruguaios que surgem como verdadeiros fenômenos com a bola no pé. Um segundo-atacante clássico que é capaz de controlar o espaço e tempo do ataque de forma que se torne o ponto central de todas organizações ofensivas da equipe. Trata a “pelota” com carinho e sabe domá-la como poucos, trazendo muito brilho para as canchas uruguaias. Dita ritmos, desequilibra através do drible e do passe, gera variações de sistema com seus movimentos por todos setores de ataque e várias outras características que mostram o quanto é diferenciado.

Partindo muito da zona central, flutua por todas zonas de ataque para que sejam criadas superioridades numéricas e qualitativas no setor da bola. Essa “anarquia posicional” é extremamente saudável para a equipe, de forma que o garoto está sempre oferecendo desmarques de apoio (aparecendo como opção de passe) e articulando ataques em espaços reduzidos. Possui uma visão de jogo acima da média e um drible curto primoroso. Dessa maneira, mesmo cercado por adversários, consegue encontrar soluções para os ataques do time (tem uma média de 5 dribles e 2,5 passes para finalização por jogo, números que denotam a capacidade de improviso do garoto). Ademais, vale destacar sua orientação corporal para recepcionar o passe e já postar-se de frente para o campo rival. Por ser pequeno (1,69 de altura), não pode receber a bola de costas para os defensores rivais, então já perfila o corpo de maneira que ela não fique longe de seu pé, assim conseguirá ativar a sua imprevisibilidade no 1×1 ou na criação de algum passe que quebre as linhas adversárias.

Ajude a melhorar nossas análises táticas! Contribua com o MW Futebol e ajude a manter o acesso gratuito aos nossos textos.

R$10,00

Além de toda essa capacidade criativa na organização das jogadas, também tem um talento brutal no terço final do campo. Agrega muito em desmarques de ruptura (ataques de espaço nas costas da defesa adversária, o famoso “facão”), arremates de média distância e em cruzamentos, por ter uma tendência singular de escorar-se na esquerda para receber passes e, dessa forma, progredir até a linha de fundo para alçar bolas na área em busca dos outros atacantes da equipe. Com toda essa habilidade, ganhou protagonismo no Nacional do Uruguai, sendo uma das principais peças de ataque do time, como mostram os números abaixo:

Planilha com alguns números do meia-atacante.

WhatsApp Image 2019-09-08 at 11.30.48 Feita por Rafael Maciel

Dadas essas características, é possível traçar perfis de organizações ofensivas em que se encaixe melhor, utilizando exemplos práticos dos clubes brasileiros (obviamente não listamos todas equipes em que o jogador poderia se encaixar, somente 3 para elucidar melhor o modo que o atacante gosta de atuar):

Cruzeiro – Santiago poderia cair como uma luva no recente trabalho de Rogério Ceni, pelo fato de que o segundo-atacante da equipe possuir bastante liberdade posicional e conseguir criar bastante em tabelas curtas e velozes.

Grêmio – Facilmente se adaptaria ao ataque móvel e apoiado gaúcho. Atrás da referência, seria um bom articulador e e conseguiria estabelecer conexões interessantes com os outros meias gremistas, por verticalizar muito a organização ofensiva.

Flamengo – Jorge Jesus o trataria como outro “Joker” (Coringa) da equipe, provavelmente, como o faz com Gerson. Poderia ser um dos atacantes ou um dos meias-atacantes do estrelado elenco carioca, sendo outra opção de velocidade, drible e técnica no ataque.

Somente para efeito de comparação e de melhor entendimento da análise, buscamos alguns jogadores com perfil de jogo semelhante a Rodríguez:

Pedro Rocha (Cruzeiro)
Luan (Grêmio)
De Arrascaeta (Flamengo)

Três meias-atacantes/segundo-atacantes que gostam das zonas centrais, mas também conseguem cair pelos lados para criar. Sempre com a cabeça erguida para encontrar algum companheiro melhor posicionado ou para arriscar alguma jogada individual.

Por ter surgido nesta temporada, ainda não despertou grande interesse internacional. Mas, com certeza surgirão rumores de sua venda ao final da temporada, pois sobra em território uruguaio. Oportunidade ideal para clubes brasileiros ficarem atentos ao jogador, embora possa sofrer um tanto pelo quesito físico na adaptação

Por fim, produzimos uma vídeo-análise para resumir todo esse texto sobre o uruguaio. Curta, compartilhe e inscreva-se no canal do Youtube do MW Futebol.

@jvcardoso05, @rafaellomaciel e @RiqueMathias 

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s