Pulsa, São Januário – ANÁLISE TÁTICA VASCO 2 x 0 SÃO PAULO

Por Henrique Mathias, Ricardo Leite e Pedro Galante

WhatsApp Image 2019-08-26 at 20.01.08

Em São Januario, o Vasco recebeu o São Paulo pela 16º rodada do Brasileirão. Em momentos opostos as equipes buscavam três pontos para subir posições na tabela.

Existe um tema muito importante sobre o futebol e que muitas vezes passa batido é saber diferenciar posição de função. Durante toda semana foi noticiado que Luxemburgo treinou o Vasco com 4 volantes para o duelo contra o São Paulo. O que não é exatamente uma mentira, mas não diz tudo que precisa ser dito ao torcedor.

O Vasco começou o jogo com Richard, Marcos Jr, Andrey e Raul entre os 11 titulares. Quatro volantes de origem. Contudo o sistema utilizado foi o mesmo que vem sendo trabalhado nos ultimos meses, o 4-1-4-1, com Raul trabalhando como um meia aberto pela direita, Richard a frente da linha de zaga e Marcos Jr-Andrey encostando em Marrony no comando do ataque.

O que Luxemburgo buscou com essa escolha de peças?

Raul oferece força física, intensidade e agressividade pelo lado direito, o que foi muito importante para lidar com a dobradinha entre Leo e Everton pelo lado esquerdo do São Paulo, já que Pikachu não é um lateral que se destaca pelo trabalho defensivo e tem muitas atribuições na construção ofensiva da equipe.

Os visitantes vieram em um 4-1-4-1 com Daniel Alves, Liziero e TchêTchê compondo o trio de meio campo. Na zaga, Anderson Martins, que vinha bem, ganhou a posição de Bruno Alves. Léo foi o lateral esquerdo na ausência de Reinaldo.

A equipe de Cuca repetiu seus comportamentos com bola: os laterias abertos e avançados e o trio de meio campo bastante recuado para fazer a saída de bola. Como o Vasco pressionava avançado e agressivamente, nenhum dos três meias conseguia encarar a jogada de frente e dar continuidade.

WhatsApp Image 2019-08-26 at 20.03.12Trio de meias buscava ajudar a saída de bola, mas eram acompanhados de perto. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

O Vasco jogou de maneira compacta, buscando deixar o controle da posse de bola com o São Paulo, trabalho uma pressão forte sobre o portador em bloco médio e acelerar as jogadas sempre que possível. Talles e Marrony são atletas versáteis e que alternam muito de posicionamento o tempo inteiro. Vale destacar a proximidade de ambos e Marrony mais próximo do gol adversário. Mais objetivo e com ótimo aproveitamento nas jogadas de explosão curta. Criou três boas chances no primeiro tempo.

O primeiro tempo do Vasco foi muito positivo até os 35 minutos, somando ações efetivas em transição, contando com muitos apoios de Marrony para ajudar o Raul a progredir pela direita, mas o gol não saiu.

Ajude a melhorar nossas análises táticas! Contribua com o MW Futebol e ajude a manter o acesso gratuito aos nossos textos.

R$10,00

Aos 36 minutos, Raniel foi expulso em lance revisado pelo VAR, o que impactou diretamente na dinâmica do jogo.

Ainda que seja sempre positivo jogar com 11 contra 10, o Vasco passou a ter outra missão dentro da partida: propor diante de um São Paulo bem fechado, com duas linhas de 4 bem postadas. Assim sendo, a equipe acabou se lançando ao ataque com muitas peças e oferecendo o contra-ataque para a equipe de Cuca.

Pelo lado do São Paulo, Daniel Alves virou o centroavante à frente das duas linhas de quatro. A equipe paulista tinha agora espaço para contra-atacar e viu Antonycrescer na partida, principalmente em momentos de condução.

WhatsApp Image 2019-08-26 at 20.04.05São Paulo se organizou no habitual 4-4-1 pós-expulsão. Dani virou centroavante. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

O segundo tempo começou com enredo parecido. Vasco com dificuldade de propor e São Paulo tentando encontrar formas de se defender com a posse. E até conseguia, mas a equipe vascaína assim como no 1T pegava bem os espaços nos setores criativos, utilizando de encaixes no setor da bola e com pressão no portador. No intervalo, Luxemburgo optou pela entrada de Rossi no lugar de Andrey para ganhar volume, e mobilidade ao ataque. Com isso Raul, jogando quase como extremo,voltou a ser o volante pela direita.

Vale lembrar que por conta de um amarelo, Luxa tirou Henrique ainda no primeiro tempo, para entrada de Danilo  Barcelos.

E foi com a já conhecida bola parada do lateral que o Vasco chegou ao primeiro gol. Escanteio, Castan desvia de cabeça, E o menino Talles de 17 anos, marca seu primeiro gol como profissional para explodir o caldeirão,com direito a belo domínio, antes da finalização de canhota.

Após o gol, Antony, com lesão no ombro, deu lugar a Vitor Bueno. Mais tarde, aos 28, Cuca colocou Everton Felipe no lugar de Léo, deslocando Liziero para a lateral esquerda, centralizando Vitor Bueno e recuando Dani Alves. As mudanças do treinador, ainda que tardias, garantiram uma estrutura mais vantajosa para a criação, mas a má circulação de bola somada a boa marcação cruz-maltina impediram qualquer vislumbre de empate.

WhatsApp Image 2019-08-26 at 20.03.53São Paulo depois das mudanças. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

Com a torcida já apreensiva, o Vasco começou a encontrar contra-ataques e explorar o potencial de mobilidade e velocidade do trio da frente: Rossi, Marrony e Talles. Após duas boas chances criadas, Danilo Barcelos recebeu bola na esquerda, e percebeu a infiltração de Felipe Bastos (que entrará há pouco), no já desorganizado sistema defensivo tricolor. 2×0 e alívio na Colina Histórica.

Em uma rodada onde Corinthians, Atlético-MG e Santos perderam pontos, seria essencial vencer. O São Paulo encontrou um adversário muito bem preparado e viu tudo se tornar ainda mais difícil com a expulsão de seu centroavante. Cuca deve tirar lições da partida, principalmente em relação ao trio de meio campo, que é muito criativo, mas que não fez uma boa jogada sequer enquanto ainda era onze contra onze.

A partida do Vasco foi cirúrgica. Estratégia correta, boa leitura de seu treinador, timing correto nas trocas e uma ótima dose de apoio das arquibancadas. A equipe já conta com um padrão de jogo assimilado pelos atletas, que precisa de ajustes e evoluções, obviamente, mas que tornou a equipe competitiva, móvel, e que vai ganhando algumas opções interessantes dentro do próprio elenco.

Na próxima rodada o Vasco enfrenta o Cruzeiro, e tentará um bom resultado jogando fora de casa.

@pedro17galante, @riquemathias e @analisevasco

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s