Abram espaço na prateleira – ANÁLISE TÁTICA DE LIVERPOOL 2 (5)x(4) 2 CHELSEA

Por Daniel Klabunde

WhatsApp Image 2019-08-16 at 14.46.22

Segunda partida da temporada e de cara uma decisão Europeia entre os dois clubes ingleses, o Chelsea campeão Uefa Europa League e o Liverpool Campeão da Uefa ChampionsLeague. O Chelsea com Lampard no seu comando tentando encontrar as melhores peças para o seu time, enquanto do outro lado havia Jürgen Klopp, com seu trabalho já consolidado a anos e tentando buscar mais um troféu para as prateleiras de Anfield.

Klopp começa a partida surpreendendo com duas modificações no time, tirando Firmino e Alexander Arnold, e colocando Ox-Chamberlain e Joe Gomez respectivamente. Chamberlain com características de mais velocidade que Firmino entrou fazendo o lado esquerdo de ataque e colocando Mané mais pelo meio. Enquanto a escolha de Joe Gomez foi mais por questões defensivas, pensando nos avanços de Pedro por este lado e que poderiam complicar a partida de Arnold.

Mas Pedro iniciou a partida pelo lado contrário, atacando o corredor de Robertson, ai entrou a qualidade de marcação do lateral esquerdo e a inteligência de Klopp, criando um gatilho na organização defensiva. Com as linhas bem compactas, Robertson tinha a liberdade de se desprender da primeira linha de 4 no 4-3-3 de marcação dos Reds e efetuar uma perseguição a Pedro até o lado de fora da área de marcação estabelecida pelos seus companheiros.

WhatsApp Image 2019-08-16 at 14.28.13Área de marcação estabelecida pelo Liverpool, com Robertson se desprendendo da linha de 4 e perseguindo Pedro. Imagem: InStat / Edição: Daniel Klabunde.

Além da área de marcação na sua organização defensiva, os Reds também executaram muito bem a sua famosa marcação alta (pressing), ou marcação pós-perda (gegenpressing), com bons encaixes e delimitando uma barreira por onde a bola não deveria passar, e assim facilitando o desarme ou recuperando a bola em um lançamento longo da defesa.

WhatsApp Image 2019-08-16 at 14.28.23Encaixes com marcações individuais e delimitando o perímetro para que a defesa não evolua com a posse. Imagem: InStat / Edição: Daniel Klabunde.

Já no ataque, uma marcação mais “solta” da defesa do Chelsea, fazia com que Ox e Salah tivessem certa liberdade para transitar entre as linhas, criando algumas oportunidades contra a defesa.

WhatsApp Image 2019-08-16 at 14.28.50Ox atuando entre linhas com 4 defensores a sua volta. Imagem: InStat / Edição: Daniel Klabunde.

Já no segundo tempo e perdendo por 1×0, Klopp coloca Firmino no lugar de OX, saindo a característica de velocidade e armação e entrando uma maior movimentação entre a defesa e também sendo capaz de armar as jogadas. Com quatro minutos de partida no segundo tempo Firmino já conseguiria uma assistência para gol e uma assistência para finalização, produzindo muito mais que OX. Claro que o Inglês está voltando de uma grave lesão e uma temporada inteira fora dos gramados, e isso precisa ser citado.

A partida se desenrola para a prorrogação, onde Mané vira a partida logo aos 4 minutos com mais uma assistência de Firmino. Mas os Reds acabam sofrendo o empate 5 minutos depois em cobrança de pênalti de Jorginho.

Nos pênaltis o goleiro Adrián acaba superando Tammy Abraham e dando números finais à partida, colocando mais uma vez o clube de Liverpool no ponto mais alto do pódium, e dando o segundo troféu Europeu para os Reds em menos de 3 meses.

@dktricolor

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s