As peças que fazem falta – ANÁLISE TÁTICA DE PAOK 2 x 2 AJAX

Por Ícaro Caldas Leite

huntelar

Os gregos e holandeses se enfrentaram na tarde desta terça-feira, na Grécia pela terceira fase pré- eliminatória da Champions League. 

Com um desempenho absurdo na temporada passada e para muitos, o melhor time da temporada 18-19, os holandeses foram a Grécia e continuaram mostrando o futebol encantador mesmo sem peças importantes da temporada passada

Destacando-se pelo seu futebol ousado, o Ajax mostrou no primeiro tempo que veio para agredir o PAOK, mas, o time holandês não contava que sua transição defensiva e bola aérea iriam deixá-los na mão. 

Quando tinha a posse, o Ajax alternava sua formação base, a equipe de Erik Ten Hag variou entre o 3-2-2-3 e o 4-2-3-1 sempre com o objetivo de ter mais jogadores que o rival no lugar onde a bola estiver.

Ajax 3-2-2-3Ajax pre ucl com bola

O Ajax passou a maior parte do primeiro tempo buscando envolver o PAOK no seu estilo de jogo com movimentações, passes, troca de posição constante dos jogadores. O PAOK por outro lado buscou dar a bola ao rival e apostar nos contra-ataques. 

Logo aos 10 minutos de jogo, o Ajax abriu o placar com uma bola parada no chute de Ziyech. Com uma desvantagem no placar, não fazia muito sentido naquela altura o PAOK continuar apenas apostando nos contra-ataques, mas aos 32 minutos os gregos chegam ao empate, após uma bela jogada e um erro grotesco de transição do Ajax. 

Meio campo ajax buracoajax lateral abertaGol poak

Oito minutos depois, a virada dos mandantes veio após uma bola parada e uma cabeçada de Léo Matos livre de marcação.

Assim como na etapa inicial, o Ajax foi dominante e por meio da posse controlava as ações da partida. Com o PAOK cada vez mais fechado e esperando um erro dos holandeses e sair em velocidade.

Aos 12 minutos do segundo tempo, o Ajax empatou o jogo após uma confusão na área. O Ajax conseguiu jogar da forma que quis, mas os seus gols não foram marcados da forma que deseja. A imagem que passa ao telespectador é de um time que sente falta de jogadores como De Jong, De Ligt e  Schone. 

O jogo de volta está marcado para a semana que vem, dia 13 de agosto, em Amsterdam. Para se classificar, basta vencer por qualquer placar e empatar até 1-1. 

@caldasicaro

2 comentários sobre “As peças que fazem falta – ANÁLISE TÁTICA DE PAOK 2 x 2 AJAX

  1. Queria ressaltar que, o erro que ocasionou o gol do PAOK, na péssima transição defensiva, foi com Dolberg. O ajax estava pressionando, e fechou todas as linhas de passe, quando Dolberg vai pressionar o zagueiro, porém ele recua a bola para o goleiro, o movimento certo a se fazer era o movimento em L (fecha a linha de passe e pressiona), porém Dolberg pressiona o goleiro sem fecar a linha de passe (o mesmo erro que cometeu várias vezes contra o Tottenham pelo 2°jogo da Champions), isso permitiu a devolução ao zagueiro, que achou Esiti livre no círculo central. Esiti estava livre, pois Blind foi marcar o jogador que o Taglifaco estava marcando (totalmente sem coerência essa marcação), deixando Esiti com o campo livre e gerando 2×1 em cima do Schuurs, e o gol.

    Curtir

  2. Gostaria de acrescentar o domínio do Ajax no 2° tempo e a mudança nas jogadas e na movimentação no intervalo. No 1°tempo, o Tadič gerava amplitude e o Tagliafico por dentro, quando o Tadič pegava na bola e o lateral do PAOK encostava, De beek passava nas suas costas, e o Zagueiro não podia avançar muito, se não Dolberg infiltrava sozinho.
    Van de Beek não participou muito do jogo, pois não tinha tanto espaço entrelinhas, com as 2 linhas de 4 esmagando ele. No 2°tempo, a Saída Lavolpiana foi mais utilizada, e houce inversão entre Tadič e Tagliafico (agora por fora), o Ajax tinha superioridade na saída de 3(3×2), e sempre sobrava um zagueiro livre para condução (na maioria das vezes o Martínez), com isso ele sempre tentava enfiar a bola no Tadič (por dentro), que dava de primeira no Tagliafico (por fora), e este tinha bastante espaço para sua tomada de decisão, esse espaço também se deve a movimentação do Tadič pós-passe, ele corria em direção a área, entre o zagueiro e lateral esquerdo do PAOK, com isso o lateral não podia subir no Taglia, pois se não Tadič receberia livre na linha de fundo acompanhado do zagueiro, o que gera quebra da linha de 4. Quando o Martínez não acionava Tadič, ele jogava no Taglia, que devolvia, mesmo com bastante espaço, não progredia, a bola tinha que ser pelo centro, ou dava um passe ao Mazraoui que dava prosseguimento a jogada

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s