O feitiço virou contra o feiticeiro – ANÁLISE TÁTICA BAHIA 0x1 GRÊMIO

Por Daniel Klabunde

WhatsApp Image 2019-07-19 at 10.02.16

A duas semanas atrás, 04/07/19, o nosso colega Breno Barbosa entrevistou o técnico Roger Machado, foram discutidas muitas questões táticas, mas uma pergunta se relaciona muito bem com esta análise que vamos iniciar agora: “Qual foi a melhor partida executada por uma equipe que você treinou?”

A entrevista completa você pode conferir aqui.

Quem se lembra daquela partida entre Atlético-MG vs Grêmio no Mineirão lotado em Agosto de 2015, onde aos 40 minutos do primeiro tempo o Tricolor inicia uma troca de passes maravilhosa no campo de defesa, com jogadores se apoiando e efetuando triangulações, com ultrapassagens, trocas de corredor e a linda finalização de Douglas para abrir o placar?

Esta foi a partida eleita por Roger Machado a melhor que uma equipe sua já executou.

E o que tem a ver com o jogo desta quarta-feira?

Vamos à análise.

Um início de partida não esperado por este que vos fala, com o Bahia deixando suas linhas mais recuadas e investindo nos contra-ataques, assim como havia atuado no primeiro confronto, e que havia dado certo, diga-se de passagem. Mas era esperado mais do tricolor baiano, um time bem treinado e com bons valores, como Artur, por exemplo, que atormentou a zaga gremista em Porto Alegre.

Mas quem tomou as ações da partida foi o Tricolor Gaúcho, com posse de bola, boa circulação no campo ofensivo nos pés de Maicon e Matheus que faziam o time jogar acionando muito os pontas (Alisson e Éverton), e Leo Gomes pela lateral direita. Lado este que foi o mais acionado no primeiro tempo.

O Bahia efetuava uma forte marcação posicionado no 4-5-1 tentando tirar os espaços em amplitude de Alisson e Everton, o que acabou conseguindo pelo lado esquerdo onde Éverton estava posicionado, tirando umpouco o melhor jogador do gremista da partida.

WhatsApp Image 2019-07-19 at 12.05.33Imagem: InStat / Edição: Daniel Klabunde.

Assim como em Porto Alegre, a grande válvula de escape era Artur, mas desta vez sem muito sucesso, pois Maicon e Matheus estavam melhores posicionados, podíamos ver mais vezes um efetuando a cobertura do outro, e não os dois subindo ao mesmo tempo. Este melhor posicionamento também se deve a um melhor entrosamento entre os dois e pudemos ver que Matheus ficava mais na base que em outros jogos, liberando mais o Maicon para subir ao ataque.

WhatsApp Image 2019-07-19 at 12.05.46Imagem: InStat / Edição: Daniel Klabunde.

Mas faltava Jean Pyerre entrar na partida, com pouca movimentação e muitas vezes visto ao lado de André no ataque, o tricolor Gaúcho não tinha quem fizesse a ponte entre o meio e o ataque, e este está sendo um problema recorrente do jogador (não sabemos se é orientação do Renato, ou se parte do próprio jogador este posicionamento). E quando Jean resolve aparecer entre as linhas é certo que haverá uma jogada perigosa contra o gol adversário, foi assim aos 43 minutos do primeiro tempo quando recuou, recebeu passe e deu assistência para André finalizar e obrigar o goleiro Douglas a fazer uma bela defesa.

WhatsApp Image 2019-07-19 at 12.05.52Imagem: InStat / Edição: Daniel Klabunde.

Um primeiro tempo com poucas chances para os dois lados, apenas uma para cada lado, mas com domínio da posse pelo lado dos gremistas, terminando a primeira etapa com 74% de posse.

E o segundo tempo não foi diferente, com domínio da posse pelo lado gremista e os baianos investindo mais na defesa, e assim como Jean pelo lado do Grêmio, Ramires pelo lado do Bahia destoava dos demais companheiros. Sem movimentação e bem marcado pelos volantes gremistas, o camisa 10 baiano acabou sendo substituído aos 37 minutos da segunda etapa.

Poucos minutos antes da substituição, a jogada que originou o título deste texto, Paulo Victor intercepta um cruzamento, lança para Cortez sair jogando, passa para Éverton na esquerda que conduz a bola até o meio, passa para Matheus que avança fazendo o fator surpresa, conduz a bola alguns metros e efetua o passe rompendo as linhas de defesa para o Alisson (passe de ruptura), o camisa 23 usa sua velocidade e capacidade de drible para passar por dois defensores antes de concluir e abrir o placar.

Um gol com a cara do Grêmio dos últimos anos, da forma como foi aquele gol tão exaltado por Roger Machado e todo o Brasil em 2015, um gol com a concentração, entendimento e aplicação dos jogadores em definir da melhor forma a jogada iniciada na defesa com Paulo Victor e alinhada com a lentidão de Moisés na recomposição da defesa, deixando um grande espaço para que Alisson avançasse para receber o passe.

Doze minutos depois, mais um bom lançamento para Alisson entre os zagueiros, o camisa 23 gremista avança e é derrubado por Moises próximo a linha da grande área. O jogador baiano acaba levando o cartão vermelho por ser o último homem na defesa.

Renato fez três boas substituições na partida, colocou Luan no lugar de Jean por questões físicas (câimbras), Romulo no lugar de Maicon também por questões físicas (cansaço) e Pepê no lugar de Alisson, perdendo um pouco na parte defensiva mas mantendo a velocidade e capacidade de drible no ataque.

WhatsApp Image 2019-07-19 at 12.08.33Alisson 23 com mais aplicação defensiva do que Pepê 25.

Um bom jogo na Arena Fonte Nova, onde venceu quem foi em busca do resultado positivo, mas era esperado mais do Bahia de Roger Machado, ainda mais por estar jogando em casa e conseguido um bom resultado em Porto Alegre.

Que venha a 14º semifinal…

@dktricolor do @barra1903

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s