O amor salvou mais uma vez – ANÁLISE TÁTICA CORINTHIANS 1 x 0 CSA

Por Jhonata Souza

WhatsApp Image 2019-07-15 at 18.42.17

Na tarde do último domingo (14), as equipes de Corinthians e CSA se enfrentaram na Arena Corinthians pela décima rodada do Campeonato Brasileiro. O técnico Fábio Carille escalou o Corinthians no 4-1-4-1 com os seguintes jogadores: Cássio; Fagner, Manoel, Gil e Avelar; Ralf (Régis); Pedrinho (Boselli), Urso, Sornoza e Clayson; Love (Gabriel). Já o estreante Argel Fucks escalou o CSA no 4-4-2 dá seguinte forma: Jordi; Celsinho (Cassiano), Alan Costa, Luciano Castán e Rafinha; Apodi, Nilton (Jean Cléber), Naldo e Gomez (Victor Paraíba); Ricardo Bueno e Alecsandro.

Primeiro tempo                            

A primeira etapa foi um clássico ataque x defesa. O Corinthians teve a posse de bola pela maior parte do tempo, enquanto CSA só se defendia e não conseguia levar perigo a defesa alvinegra. Os donos da casa tiveram um maior volume ofensivo, porém pecaram demais no acabamento das jogadas, seja no momento do último passe ou dá finalização. Um exemplo disso foi o lance em que Vagner Love saiu de frente para o goleiro e finalizou fraco demais.

O Timão teve dificuldades em criar pelo meio, por isso usou bastante os lados de campo para atacar. Essa opção só mostrou o tamanho da dependência que a equipe tem Fagner. Algumas das melhores jogadas saíram pela direita com a participação do lateral. Um problema do Corinthians foi o uso excessivo de cruzamentos, sendo que o Timão não tinha um jogador capaz de disputar no alto com os zagueiros adversários.

Depois de alguns testes que não tiveram resultado positivos, o técnico Fábio Carille voltou a apostar na escalação dos melhores jogos do Timão no ano. 4-1-4-1 com muitas triangulações pelos lados e com os pontas tendo liberdade para flutuar pelo meio e ajudar na construção das jogadas. O problema foi que Clayson e Pedrinho tiveram atuações mais apagadas em campo.

WhatsApp Image 2019-07-15 at 16.39.52Corinthians organizado no 4-1-4-1 no momento ofensivo.

Essa partida marcou a volta do zagueiro Gil ao Corinthians. Ao lado de Manoel ambos tiveram uma partida bem segura, claro que pela fragilidade do adversário acabaram não sendo muito exigidos, porém quando necessário foram bem. A equipe alvinegra se defendeu no 4-1-4-1 esquema que acaba privilegiando as qualidades defensivas de Ralf como esse volante entre as linhas Corinthiana.

WhatsApp Image 2019-07-15 at 16.39.59Corinthians organizado no 4-1-4-1 no momento defensivo.

O CSA vem para a Arena Corinthians com a estratégia de primeiro se defender e recuperando a posse apostar na velocidade de Apodi com o objetivo da bola chegar à dupla de ataque. Na prática essa estratégia não deu certo. A equipe alagoana ate se defendeu bem 4-4-2, porém nos momentos em que teve a posse mostrou uma clara falta de ideias sobre o que fazer com ela, isso facilitou muito a vida do Corinthians.

WhatsApp Image 2019-07-15 at 16.40.04CSA organizado no 4-4-2.

Algo que o CSA fez bem no primeiro tempo foi dificultar a construção do adversário. A equipe azulina fez um bloco de marcação com a linha de meio junto à dupla de ataque a fim de não deixar o Timão encontrou seus jogadores livres nas entrelinhas alagoanas e com isso forçar o adversário a jogar pelos lados. Essa estratégia mostrou as dificuldades de Ralf nesse tipo de jogo, onde o Corinthians tem mais a posse e precisa que ele ajude mais na construção, algo que nunca foi o forte dele com a camisa alvinegra.

WhatsApp Image 2019-07-15 at 16.40.10CSA dificultando a construção de jogadas do adversário.

Segundo Tempo

O panorama do jogo se manteve o mesmo na segunda etapa. O Corinthians continuou tendo a posse, enquanto o CSA só ficou se defendendo. A diferença é que o Timão conseguiu encurralar mais o adversário no seu campo de defesa e fazer uma pressão maior no começo do segundo tempo. Um exemplo disso foi que Gil e Manoel jogaram boa parte da segunda etapa postada no campo de ataque.

WhatsApp Image 2019-07-15 at 16.49.42A dupla de zaga do Corinthians jogando no campo de ataque do CSA.

Carille vendo que o time não conseguia marcar o gol fez colocou Régis e Boselli em campo nos lugares de Ralf e Pedrinho com o intuito de deixar o time mais ofensivo. Isso fez o time jogar no 4-2-3-1 com Love atuando como segundo atacante atrás de Boselli, enquanto Régis e Clayson ficaram abertos pelo lado campo.

WhatsApp Image 2019-07-15 at 16.40.22Organização do ataque corinthiano após as mudanças.

Essas mudanças também fizeram com que se mudasse o posicionamento de Sornoza e Júnior Urso. Eles passaram a atuar mais na base da jogada auxiliando na construção das jogadas e com isso passaram a infiltrar menos na área. Destaque para a partida de Sornoza que na comparação com o primeiro semestre mostrou uma evolução sendo mais participativo no jogo e aparecendo dentro da área para finalizar, algo visto mais no primeiro tempo.

O lance do gol foi um claro exemplo dessas mudanças no time. Sornoza e Urso atuando mais atrás iniciam a jogada e encontram Boselli que com um pouco de liberdade fez um passe sensacional que deixou Love em condições de finalizar para marcar o gol da vitória alvinegra na Arena Corinthians.

WhatsApp Image 2019-07-15 at 16.40.28Jogada do gol onde temos Sornoza e Urso na base da jogada e a assistência de Boselli para Vagner Love marcar o gol.

À frente no placar, o técnico Fábio Carille sacou Vagner Love para colocar Gabriel e com isso estabelecer novamente o 4-1-4-1. O CSA até tentou fazer algum tipo de pressão. Só que obteve nenhum sucesso nas suas tentativas que se resumiram em bolas áreas a fim de tentar a sorte.

Conclusão

Essa partida mostrou o tamanho da fragilidade que a equipe do CSA tem. Em nenhum momento conseguiram levar perigo ao gol de Cássio e na defesa dependeram bastante de Jordi para se manter vivo na partida. Argel vai ter muito trabalho na tentativa de evitar o rebaixamento. Já o Corinthians teve um desempenho melhor na comparação com os últimos jogos, porém a equipe precisa melhorar bastante no acabamento das jogadas, seja no momento de dar a assistência ou na hora da finalização. A vitória foi para o time que buscou vencer a partida e que criou para fazer até mais. Os 3 pontos vieram é isso o mais importante nesse tipo de jogo que não se pode tropeçar.

@jhonny14souza

Anúncios

2 comentários sobre “O amor salvou mais uma vez – ANÁLISE TÁTICA CORINTHIANS 1 x 0 CSA

  1. Boa análise!

    A falta que nos faz um bom basista pra organizar e distribuir tudo na base da jogada. Recuar Sornoza e principalmente Urso para exercer essa função, nos tira muito do poder que esses jogadores oferecem na chegada, pisando na área.
    Ralf é jogador de apenas um momento do jogo (o defensivo), com raríssimos lampejos nos outros e no BP (bola parada).

    O mercado do Corinthians foi muito mal planejado nesse sentido, principalmente quando fica evidente que uma saída/distribuição mais limpa, mais fluida, aumentaria muito nosso poder de municiar e, com certeza, Mauro teria mais argumentos para engrenar uma boa fase e guardar alguns gols para nós.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s