No clássico, vence quem erra menos – ANÁLISE TÁTICA CRUZEIRO 3 x 0 ATLÉTICO

Nos grandes jogos, vence quem erra menos. Essa foi a tônica do primeiro jogo das quartas de final entre Cruzeiro e Atlético.

Por Davi Magalhães

Pedro Rocha no lugar de Fred. Com essa alteração, o Cruzeiro perdeu em profundidade ofensiva. Porém, ganhou muito em mobilidade ofensiva. Ou seja, o ataque da  equipe foi mais móvel. Isso porque Pedro Rocha não é um 9 de origem, ele se movimenta bastante, caindo pelos lados, se oferecendo como opção de passe, confundindo a defesa rival e de quebra, abrindo espaço para os companheiros ocuparem. Como aconteceu no primeiro gol marcado por Pedro Rocha. O camisa 32 recua e se apresenta para o jogo e marca um belo gol.

WhatsApp Image 2019-07-12 at 11.20.41No 1° gol da partida, Pedro Rocha saí da área para receber a bola, criando uma dúvida no sistema defensivo atleticano.

Cruzeiro organizado e inteligente

Linhas próximas, marcação a partir do meio-campo e muita organização defensiva.

Foi o quê se viu do Cruzeiro após marcar o primeiro gol da partida. Com o resultado à seu favor, esse foi o comportamento da equipe. Se defendendo muito bem, sem dar campo e espaço para o adversário. Vale um destaque para a ótima partida da dupla de volantes que protegeu muito bem a zona á frente dos dois zagueiros. Principalmente, o volante Henrique, que venceu 8 de 12 duelos individuais e realizou 7 desarmes.

Posse de bola atleticana sem efetividade

Quando se enfrenta equipes organizadas defensivamente, a movimentação dos jogadores é essencial para vencer os sistemas defensivos. É a chamada intensidade sem a bola, ou seja, os jogadores que não possuem a bola, precisam movimentar-se com o intuito de oferecer ao portador da bola uma opção de passe e criar espaços na defesa adversária.

Movimento que os jogadores atleticanos pouco fizeram na partida. Sobretudo, os meio-campistas Luan e Elias, que pouco se movimentaram para ajudar na construção ofensiva.

O Atlético acabou a partida com 65% de posse de bola e apenas 8 finalizações. Dessas 8, apenas 2 acertaram o gol. Muito disso deve-se ao fato da equipe não conseguir progredir no campo com a bola. Como os defensores não possuíam apoio, a posse de bola atleticana não era efetiva.

WhatsApp Image 2019-07-12 at 11.20.49Interação dos jogadores alvinegros durante a partida mostra como a posse do time foi inútil. Os passes de lado sobressaíram. Maior interação dos jogadores era entre zagueiros e laterais. O sistema ofensivo da equipe não funcionou no clássico. (FootStats)

Apatia atleticana

Rodrigo Santana até tentou colocar Otero, Geuvânio e Jair. Mas, de nada funcionou. Os erros individuais do Atlético custaram caro. O futebol não é composto apenas por fatores técnicos e táticos. Ontem, foi possível observar como a equipe de Rodrigo Santana esteve apática. Com nenhum poder de reação e jogando sem a intensidade que havia demonstrado nos primeiros minutos da partida, quando tentou incomodar a saída de bola cruzeirense.

Como time copeiro que é, o Cruzeiro aproveitou muito bem os erros individuais de Elias, Revér e Victor para marcar os dois gols e abrir grande vantagem no confronto. Sem Fred, mas com Marquinhos Gabriel e Pedro Rocha (dois velocistas), o Cruzeiro foi muito perigoso nos contragolpes. Se no clássico, ganha quem errar menos, o Cruzeiro cumpriu direitinho essa máxima. Quase não errou e ainda não perdoou os erros do adversário. O quarteto ofensivo Thiago Neves, Robinho, Marquinhos e Pedro estiveram em grande forma no 1° primeiro jogo das quartas de final da Copa do Brasil.

Jogo da volta

Semana que vem tem o jogo de volta. O Atlético, notabilizado pelas grandes viradas em competições mata-mata tem uma missão muito dura pela frente. Precisará demonstrar muito mais intensidade, vontade, além de precisar jogar em seu mais alto nívelpara conseguir furar a defesa adversária e ainda não cometer erros defensivos. Afinal, do

outro lado, tem uma equipe cascuda, que sabe jogar de olhos fechados esse tipo de jogo. Se fora de campo, as coisas não vão bem para o Cruzeiro, na vitória de ontem, vimos uma atuação quase perfeita, com boas chances de disputar a semifinal da Copa do Brasil pela 4° vez consecutiva.

@magalhaesDavi_

Anúncios

Um comentário sobre “No clássico, vence quem erra menos – ANÁLISE TÁTICA CRUZEIRO 3 x 0 ATLÉTICO

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s