A ressurreição de Jesus 2.0 – ANÁLISE TÁTICA BRASIL 2 x 0 ARGENTINA

Por Ícaro Caldas Leite 

6Mt7hx6e

Seleção carimbou seu favoritismo, eliminou a Argentina e vai disputar a final no Maracanã depois de 6 anos. 

Podem até criticá-lo, questioná-lo… Mas, a seleção do Tite é uma das melhores do século XXI é atualmente uma das melhores do mundo. 

Defesa sólida que nesta copa américa ainda não sofreu nenhum gol, além de ser a equipe que mais dribla e cria chances de gols na competição. 

Brasil começou o jogo tendo a posse de bola, porém a equipe não encontrava os espaços diante de uma Argentina bastante compactada, organizada e negando os espaços. 

Com a ausência de Filipe Luís, Brasil passou a maior parte do jogo construindo pelo setor direito, Alexsandro não é tão eficiente jogando por dentro como é atacando por fora (corredor).

classico brasil saida de bola

A primeira chance de gol foi criada pelos hermanos com um chute de fora da área de Paredes. 

No lado brasileiro, Gabriel Jesus partia para cima através de dribles, mas era parado com faltas. 

Quando não tinha a bola, a seleção defendia-se no 4-1-4-1 com um bloco médio. 

clássico brasil sem a bola

Na saída de bola, o Brasil chamava a Argentina para o seu gol, ela subia os jogadores e fazia a marcação pressão, com poucos toques, os brasileiros saiam da pressão e já procuravam os jogadores de ataque. 

Com a bola e posicionado, a seleção atacava no 4-2-3-1, mas circunstancialmente, Firmino na posição do Coutinho (como meio centralizado) e o Coutinho na posição do Firmino (como 9). 

classico brasil com a bola

Querendo neutralizar as ações de Messi, o que eu havia citado no texto do pré-jogo foi o que aconteceu, marcação mista (setorizada/zonal) e com os encaixes individuais. Um jogador da seleção ficava na sobra. 

O fantasma do dia 8 de julho de 2014 tinha ido embora e no gol que abriu o placar, a seleção fez o gol que todos esperam, de pé em pé, com calma, esperando a individualidade aparecer para decidir.

Com dificuldades pelo setor esquerdo, William entra no lugar do Everton que foi muito bem marcado por Foyth.

O segundo tempo começou com os argentinos em cima. Com o placar contra, o jeito era atacar, tentar forçar um erro na saída de bola e contragolpear. 

classico brasil sofrendo pressao

A mesma arma era utilizada pela equipe brasileira, mas com 5 jogadores no campo do adversário. 

classico brasil pressao

Os hermanos no decorrer do segundo tempo levaram mais perigo ao gol brasileiro, mas não conseguiram transformar as chances em gols. Messi parava em Alisson e quando conseguia superá-lo esbarrava na trave.

A seleção brasileira apostava nos contragolpes e com um passe errado do Messi e um chutão do Thiago silva: 

Aos 25 o Brasil ampliava o placar e a Argentina ficou desolada por bater, bater, bater e não conseguir derrubar o seu oponente, enquanto a seleção deixava a Argentina bater, se cansar e contragolpear com um nocaute. 

Um belo jogo no Mineirão pelo tamanho do clássico, um jogo onde saiu classificado quem foi eficiente tanto na defesa quanto no ataque, no mais, esperar entre Chile x Peru para saber quem irá ao Maracanã tentar replicar 1950 ou sofrer como a Espanha em 2013.

@caldasicaro

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s