Ochoa salva o México mais uma vez – ANÁLISE TÁTICA MÉXICO 1 (5)x(4) 1 COSTA RICA

Por Jhonata Souza

WhatsApp Image 2019-07-01 at 09.28.11

Na noite da última quarta-feira (29) as seleções de México e Costa Rica se enfrentaram em Houston pelas quartas de final da Copa Ouro 2019. Os mexicanos se classificaram em primeiro no grupo A, enquanto os costarriquenhos ficaram em segundo no grupo B. Geraldo “Tata” Martino escalou o México da seguinte maneira: Ochoa; Rodriguez, Salcedo, Araújo e Gallardo; Álvarez, Guardado e Jonathan dos Santos; Antuna, Pizarro e Raul Jiménez. Já a seleção da Costa Rica foi escalada pelo técnico Gustavo Matosas da seguinte forma: Leonel Moreira; Fuller, Waston, Oscar Duarte e Oviedo; Campbell, Borges, Allan Cruz e Leal; Bryan Ruiz e George.

Assim como nas outras partidas a seleção mexicana se organizou em campo no 4-1-4-1, onde os jogadores tiveram bastante liberdade para se movimentar e trocar de posições em campo. Para esta partida a Costa Rica mudou um pouco a sua organização, saindo de um 4-3-1-2 para um 4-4-2 com Bryan Ruiz ficando mais livre na hora da defesa.

WhatsApp Image 2019-07-01 at 09.13.11Jiménez á frente da linha de quatro do meio mexicano (Cima). Linha de quatro do meio atrás dos dois homens de frente da Costa Rica (Baixo).

Primeiro Tempo

Na primeira etapa a seleção que mais teve a posse e volume de jogo foi a do México, porém isso não significou na prática uma grande quantidade de oportunidades claras de gol. Tata Martino ainda está no começo do seu trabalho, mas nesta Copa Ouro já dá para perceber alguns conceitos que pretende trabalhar ao longo do tempo.

No duelo contra a Costa Rica pode ser percebido que os mexicanos se sentem confortáveis trabalhando mais a posse para achar os espaços, como também gostam de sair em velocidade e buscar lançamentos em profundidade para Raul Jiménez. Tanto que o primeiro gol sai numa jogada de contra ataque onde Jiménez recebe na área para abrir o placar em Houston.

O México de Tata Martino já se caracteriza por ser uma equipe que pressiona bastante o adversário quando ele esta com a posse, em vários momentos se tinhamtrês ou quatro jogadores cercando os adversários. Além disso, o México faz na saída de bola um 3-1, com Álvarez recuando a fim de se juntar aos zagueiros enquanto Guardado se posta á frente dos três.

WhatsApp Image 2019-07-01 at 09.13.18México fazendo uma saída em três com um jogador na frente.

A Costa Rica entrou com uma estratégia de jogar nos erros do adversário. Postava-se bem na defesa e quando recuperava já saia em velocidade, usando bastante George e Campbell. Mesmo tendo menos posse, foram os costarriquenhos que tiveram as chances mais perigosas na primeira etapa. Foi um time que quando tinha a posse já partia em direção ao gol.

O México até conseguiu chegar várias vezes na parte final do ataque, porém a Costa Rica conseguiu se defender bem ao evitar possíveis finalizações perigosas do adversário, destaque para a atuação da linha de defesa. Com a bola a equipe teve bastantes dificuldades em sair jogando pelo chão, já que o México subia seus jogadores para pressionar no campo de ataque, o que fazia a Costa Rica apostar em lançamentos buscando o ataque.

WhatsApp Image 2019-07-01 at 09.13.29Costa Rica tendo a sua saída de bola pressionada pelo México.

Segundo Tempo

Mesmo atrás do placar a seleção da Costa Rica não mudou muito a sua estratégia. Continuaram apostando nos contra ataques e foi assim que surgiu o lance do pênalti. Depois de um chutão para o alto, Campbell ganhou na força de dois defensores e partiu em direção a área para sofrer o pênalti que foi convertido por Bryan Ruiz.

Após o empate no começo do segundo tempo a partida voltou ao mesmo panorama da primeira etapa, onde o México tinha mais a posse e a Costa Rica jogava no contra ataque. É os costarriquenhos levaram perigo ao gol de Ochoa em alguns momentos. Conforme ia chegando o fim de jogo a Costa Rica foi trazendo suas linhas mais perto do seu gol a fim de levar o jogo para a prorrogação.

WhatsApp Image 2019-07-01 at 09.13.36Costa Rica com as suas linhas de defesa e meio mais recuadas.

Na comparação com o primeiro tempo o México continuou tendo mais posse e volume de jogo, mas a diferença foi que conseguiram pressionar mais e levar perigo o gol de Leonel Moreira. Uma das principais armas usadas pelos mexicanos foi à amplitude gerada pelos seus laterais que ficaram bem abertos e espetados em campo com a intenção de alargar a defesa adversária. Durante o jogo a inversão buscando o lateral livre do outro lado foi bastante utilizada.

WhatsApp Image 2019-07-01 at 09.13.43Laterais do México bem abertos em campo.

Um jogador que chamou a atenção no México foi Rodolfo Pizarro. Assim como os outros jogadores, ele teve muita liberdade para se movimentar e pode ser visto em todos os setores do campo, sempre se postando como opção de passe para os companheiros e participando ativamente da criação.

Além dos laterais bem abertos, outro ponto importante na pressão mexicana foi o fato da seleção sempre chegar com vários jogadores na área para finalizar. Normalmente os pontas, os meias por dentro e o lateral do lado oposto da jogada chegam à área adversaria a fim de tentar o gol, o que acaba exigindo da defesa do oponente.

WhatsApp Image 2019-07-01 at 09.13.51México chegando com vários jogadores na área.

Prorrogação e Pênaltis

Com o cansaço começou a aparecer mais espaços nas defesas duas equipes. Ambos fizeram substituições a fim de colocar sangue novo em ambos os times. O México continuou a ter mais a posse de bola, porém a melhor chance foi da Costa Rica que obrigou Ochoa a fazer uma grande defesa. No segundo tempo da prorrogação o jogo virou uma trocação de contra ataques entre as duas seleções, só que mesmo assim o empate permaneceu. Nos pênaltis vimos mais uma vez Ochoa ser decisivo com a camisa mexicana e classificar a sua seleção para semifinal onde enfrentaram a surpresa Haiti que eliminou o Canadá.

Num todo a Copa Ouro de 2019 foi decepcionante para a Costa Rica que esperava chegar ao mínimo a semifinal, porém o duelo contra a Costa Rica mostrou que a seleção tem condições de jogar melhor e ser mais competitiva. O trabalho de Tata Martino está no começo, mas este jogo mostrou que ainda tem pontos a se melhorar. O objetivo foi alcançado e agora o México tem um confronto onde é muito favorito, mas vai precisar tomar cuidado com esse Haiti que já mostrou ser capaz de realizar grandes surpresas.

@jhonny14souza

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s