Goleada animadora – ANÁLISE TÁTICA DE PERU 0 X 5 BRASIL

Por Rafael Maciel e Pedro Galante

Fechando a fase de grupos, Peru e Brasil se enfrentaram na Arena Corinthians. Naquele que seria o jogo mais difícil teoricamente, o Brasil fez sua melhor partida e venceu por 5 a 0.

Tite trocou os dois pontas, entrou com Gabriel Jesus pela ponta direita e Everton pela ponta esquerda. Mas a principal diferença em relação a equipe que empatou com a Venezuela foi o posicionamento de Dani Alves, Coutinho e Arthur. O Peru foi escalado no seu tradicional 4-2-3-1, com Gareca mantendo Polo na extrema direita, Farfan centralizado e Cueva aberto na esquerda.

Contra a Venezuela a saída de bola brasileira era em 2-3, com os dois zagueiros e Filipe Luis, Casemiro e Arthur à frente; com Dani bem avançado pela direita. No sábado, o desenho foi mantido, mas os jogadores se organizaram de outra forma. Filipe Luis, Casemiro e Dani formavam a linha de três, assim Arthur podia circular mais e ligar os setores como sabe fazer muito bem.

Saída de bola. Arthur ligando os setores e Dani mais recuado. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

Quanto a Coutinho, a principal mudança é que passou a atuar mais recuado, buscando a bola próximo aos volantes e não esperando de costas em meio a marcação adversária.

Mapa de calor de Coutinho. Contra o Peru, recuou mais para criar. (Foto: SofaScore)

O Peru começou o jogo de modo seguro, com suas linhas bem postadas e com Guerrero conseguindo prender e distribuir a bola no ataque. Até sofrer o primeiro gol, a posse peruana estava com 47% e era a única equipe que havia finalizado em gol.

Aos 12 minutos, Casemiro abriu o placar após cobrança de escanteio. Em jogada ensaiada – usada desde a Copa do Mundo – Tiago Silva desviou na primeira trave e depois de ser rebatida pela defesa, a bola sobrou para Casemiro. Neste momento, o jogo mudou completamente e o Peru não conseguiu mais conectar passes e reter a posse no ataque.

Sete minutos depois, Firmino ampliou. O Brasil pressionou a saída peruana e o goleiro Pedro Gallese errou o passe, Firminou foi frio e aproveitou o erro.

Pressão brasileira, forçou o goleiro ao erro. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

Everton fez ótima partida, sendo constantemente acionado no mano a mano contra o lateral Advíncula, por isso o lateral-direito ficou mais preso no campo de defesa, e não conseguiu usar seu vigor físico para apoiar no ataque peruano. As melhores ações surgiram pela esquerda, com Trauco, Cueva, Farfán e Guerrero se aproximando.

Aos 32, Everton fez lindo gol finalizando de fora da área.
Para o 2º tempo, Gareca acabou tirando o volante Yotun e colocou Edinson Flores, para explorar ainda mais o lado esquerdo de ataque. O Peru acabou se mudando sua plataforma para o 4-1-4-1. Porém nesta etapa a superioridade brasileira foi ainda maior, o Peru ficou com apenas 26% da posse e finalizou apenas 3 vezes contra 10 finalizações brasileiras.

Com confiança alta em função do excelente placar do primeiro tempo, e com boa circulação de bola em função das alterações já citadas, o Brasil se manteve protagonista e criando chances.

Dani Alves fez o quarto, acompanhando a jogada desde a defesa, triangulando com os jogadores próximos e atacando o espaço com muita intensidade.

Filipe Luis saiu para entrada de Alex Sandro. Mais tarde, entraram Allan e Willian nas vagas de Casemiro e Coutinho, respectivamente.

Willian fez o quinto finalizando de fora da área após cobrança de escanteio.

Esta derrota acabou expondo as fragilidades do Peru, porém não podemos esquecer que a equipe de Gareca enfrentou uma Seleção Brasileira bem encaixada e com um elevado nível de desempenho. Com grandes chances de se classificar na terceira colocação do grupo, os peruanos precisam de muitos ajustes para enfrentar um provável desafio nas quartas-de-final.

O Brasil conquistou uma vitória importante, ganha confiança e apoio da torcida. Tite fez alterações pontuais que eram necessárias, no entanto não se pode deixar que a vitória crie ilusões. O Brasil fez os dois gols em lances com muita influência de sorte e cresceu de produção no segundo tempo graças a confiança gerada pelo resultado e apoio da torcida. Vejamos como o time se comportará em outras situações e se as alterações serão mantidas.

@rafaellomaciel @pedro17galante

Anúncios

Um comentário sobre “Goleada animadora – ANÁLISE TÁTICA DE PERU 0 X 5 BRASIL

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s