De virada – ANÁLISE TÁTICA DE BOLÍVIA 1 x 3 PERU

Por João Vitor Bonamin e Rafael Maciel

De virada, no Maracanã, o Peru bateu a Bolívia por 3×1 e somou os seus primeiros 3 pontos. Com 4, está praticamente classificado, e poderá complicar a vida da seleção brasileira no próximo sábado, que também tem a mesma pontuação. A Bolívia segue zerada.

Escalações iniciais

ESCALAÇÕESVia TacticalPad

Em relação à primeira rodada, houve apenas uma modificação (na seleção peruana). Polo (MD) entrou na vaga de Cristopher Gonzáles (MC) e com isso, a equipe passou de um 4-1-4-1 para um 4-4-1-1, sendo este primeiro “1” Farfán, que atuou por trás de Guerrero.

O Peru, que se propunha a ter a bola, começou melhor a partida, trabalhando-a dentro do campo de ataque, mas com dificuldades para romper as linhas bolivianas.

Quando a equipe de Eduardo Villegas recuperava-a, por estar toda agrupada (se defendendo), não conseguia progredir rapidamente. Marcelo Moreno, isolado lá na frente, era o alvo dos chutões, mas este pouco conseguia fazer, mesmo vencendo as disputas, por não ter suporte.

No entanto, quando a Bolívia tentava pôr a bola no chão e sair (mesmo que lentamente), a equipe conseguia, pela passividade peruana em fase defensiva. O time de Ricardo Gareca não pressionava e assim, na faixa dos 25min do 1T, em um ataque boliviano, a bola bateu no braço de Zambrano dentro da área e a penalidade foi assinalada. Marcelo Moreno, que era aniversariante, converteu-a: 1×0.

Depois da Bolívia ter quase igualado a % de posse de bola, o Peru voltou a exercer o domínio do início da peleja, mas continuou esbarrando na boa ocupação dos espaços dos bolivianos.

TATICAAqui praticamente um 6-3-1, com Saavedra e Chumacero (os meias mais abertos) alinhando-se aos defensores

O empate só saiu graças a um erro de Saavedra (no domínio), no último minuto da 1ª etapa. Cueva retomou a bola, aproveitou o momento de rara desorganização da defesa adversária e deixou Guerrero na boa para marcar.

No 2T, o Peru conseguiu encontrar mais espaços (já que a Bolívia também se propôs a atacar) e criar chances, exigindo boas defesas de Carlos Lampe. O gol da virada saiu aos 9′.

Guerrero saiu da área (algo que faz muito bem, diga-se – e fez-se necessário ontem, já que a bola não chegava até ele) e assistiu Farfán, que entrou, com um ótimo cruzamento.

A Bolívia até conseguia tramar algumas jogadas – desperdiçou uma grande oportunidade, inclusive, com Saavedra, após um bom chute de Raúl Castro -, mas o Peru controlava a partida.

O gol derradeiro – ou melhor, o golaço derradeiro – saiu no último lance da partida, com Flores, um meia-esquerda muito incisivo, que entrou muito bem. Farfán o assistiu, aproveitando, mais uma vez, um raro momento de desorganização da Bolívia, que já tinha se mandado em busca do empate.

STATS 1

STATS 2

@jvsb28 e @rafaellomaciel

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s