Vitória importante – ANÁLISE TÁTICA CEARÁ 0 x 1 SANTOS

Por Rodrigo Costa

WhatsApp Image 2019-06-02 at 23.53.01

Santos viajou até Fortaleza para enfrentar o Ceará com vários desfalques, tendo um time titular bastante modificado. Derlis e Cueva foram para suas seleções, Gustavo Henrique, Soteldo e Pituca suspensos e Rodrygo cortado de última hora por não ter sido desconvocado pela CBF. Portanto, Sampaoli escalou o Peixe com Éverson; Ferraz, Veríssimo, Aguilar e Jorge; Sánchez, Jean Lucas e Jean Mota; Eduardo Sasha, Uribe e Copete. A princípio, um 4-3-3.

Na fase ofensiva, como de costume, o Santos fazia uma saída de bola sustentada com os dois zagueiros + Jorge, Jean Lucas e Ferraz, tendo Sánchez e Jean Mota mais à frente. Na criação (quando o time tem a bola no campo de ataque), Sampaoli deixou Jorge mais atrás, na base da jogada com Jean Lucas e Sánchez (direita). Já Victor Ferraz tinha liberdade para dar amplitude pela direita, enquanto Copete ficava pela esquerda. Jean Mota atuava entrelinhas e Uribe e Sasha mais centralizados, detalhe para Sasha afunilando da direita para o centro. Com isso, muitas vezes o esquema tático santista saia do 4-3-3 para o 4-4-2.

WhatsApp Image 2019-06-03 at 11.18.26Fonte: TNT/Esporte Interativo. Edição: Rodrigo Costa

Apesar de ter muita posse de bola, 29% x 71%, o Santos não foi objetivo na primeira etapa, com o Ceará finalizando mais vezes e com mais perigo. O time estava muito espaçado, não existia conexões entre os setores, e isso muito por conta da escalação “improvisada”. Copete, por exemplo, esteve muito abaixo do esperado, sem conseguir dar sequência nas jogadas ofensivas, quebrando muitos contra ataques e ajudando pouco defensivamente.

WhatsApp Image 2019-06-03 at 11.18.33Fonte: SofaScore

Na fase defensiva, vimos o Peixe se defender no 4-4-2, onde Uribe e Sasha realizam o primeiro combate e Copete (pela esquerda), Jean Mota, Jean Lucas e Sánchez (pela direita) formavam a segunda linha de marcação. O mesmo problema do espaçamento era visto nesse momento. Espaços eram nítidos entre os setores (defesa e meio; e meio e ataque), podendo ser explicado pelo baixo poder de marcação dos jogadores escalados, visto que Jean Lucas joga melhor como segundo homem de meio campo, e não como primeiro, assim como atuou hoje, além de Jean Mota, tentando pressionar pelo meio, sem tanto êxito.

WhatsApp Image 2019-06-03 at 11.18.39Fonte: TNT/Esporte Interativo. Edição: Rodrigo Costa

No segundo tempo, Sampaoli sacou Copete e pôs Felipe Jonatan no intervalo, modificando alguns mecanismos táticos que fizeram com que o Santos melhorasse bastante. A saída de bola continuava da mesma forma, mas quando a equipe santista conseguia avançar no campo e se postar no campo de ataque adversário, a mágica acontecia:

WhatsApp Image 2019-06-03 at 11.18.45Fonte: TNT/Esporte Interativo. Edição: Rodrigo Costa

Jorge ficava postado como um terceiro zagueiro, tendo mais à frente Jean Lucas. Sánchez e Jean Mota atuando entrelinhas melhoraram bastante no jogo, principalmente o uruguaio, e Victor Ferraz e Felipe Jonatan bem abertos, “pisando na linha”, gerando bastante amplitude e assim saiu o golaço santista.

WhatsApp Image 2019-06-03 at 11.18.52Fonte: Globo/Premiere. Edição: Rodrigo Costa

Após o gol, o Santos continuou pressionando, tendo mais objetividade, explorando os corredores laterais com os alas, criando boas chances de gol; Felipe Jonatan entrou muito bem. Por volta dos 30 minutos, o Ceará conseguiu se reorganizar e equilibrar a partida, fazendo com que Sampaoli colocasse Alison na vaga de Uribe, liberando assim Jean Mota para atuar como falso 9. Além disso, o Santos passou a se defender com linha de 5 jogadores: Jorge como zagueiro e Felipe como lateral, tendo Jean Lucas, Alison e Sánchez pressionando no meio. Com isso, o Alvinegro Praiano começou a buscar contra ataques para tentar matar a partida, tendo chance com Marinho, que entrou no lugar de Sasha.

A vitória veio num momento importante, após três jogos sem marcar gols. Apesar dos vários desfalques, vimos que o Santos pode almejar voos mais altos na temporada, pois está com um elenco mais completo e recheado que os últimos anos, tendo um grupo forte e de qualidade (menos o Copete). Além da coragem de Jorge Sampaoli para ousar, modificar e criar estratégias sempre em busca da vitória.

@costa_rodrigo95

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s