O DESAFOGO DE KLOPP

Por Daniel Klabunde

WhatsApp Image 2019-05-24 at 16.11.33

Temporada chegando ao fim e podemos dizer que foi um ótimo desempenho da equipe nas competições mais importantes que disputou, abdicando da FA Cup e da Copa da Liga e disputando o título da Premier League até a última rodada com o Manchester City, além de estar na grande final da Uefa Champions League pelo segundo ano consecutivo.

Como os Reds de Klopp chegaram a final novamente? Jogando da mesma forma que na temporada passada. Mas pudemos ver um grande detalhe nesta temporada, que foi a bola aérea.

Não é somente aquela bola aéreano famoso estilo inglês, onde a jogada principal seria lançar o lateral na linha de fundo para que ele execute o cruzamento, ou ensaiar alguma jogada em cobrança de falta ou escanteio. Klopp foi mais além, começou a mexer as suas peças para que, não somente efetuassem o passe em profundidade para o lateral, mas que começassem a liberar espaço para os avanços de Robertson e Arnold.

WhatsApp Image 2019-05-25 at 11.03.40Arnold com liberdade para receber o passe em profundidade.

Então, além da famosa pressão e intensidade do time comandado por Klopp, alinhado a movimentação de Firmino, onde o brasileiro recua para armar as jogadas, o alemão conseguiu inserir em seu elenco a capacidade de executar bolas longas com extrema precisão, e os jogadores mais requisitados para esta função foram Fabinho e Van Dijk. Mesmo o holandês sendo um defensor, possui grande técnica com a bola nos pés, não com dribles é claro, mas sim em executar passes, assim como o brasileiro, que possui uma grande qualidade nos passes de ruptura, onde aciona seus companheiros executando passes entre as linhas adversárias.Este sendo um dos motivos por Klopp ter contratado o brasileiro para ser um meio campista, e não um lateral direito.

Aproveitando da qualidade nos passes e cruzamentos de seus laterais, esta se tornou uma poderosa arma para os Reds, a qual era utilizada não somente como jogada de ataque, mas também para desafogo da defesa em casos de pressão do adversário, como pudemos ver no jogo contra o Barcelona em Anfield.

WhatsApp Image 2019-05-25 at 11.03.48

Com a execução desta arma, Klopp levou seus comandados Trent Alexander-Arnold e Andrew Robertson à serem os defensores com o maior número de assistências em uma Premier League, 12 e 11 respectivamente. Ao todo foram 932 cruzamentos realizados ao longo da temporada (Premier League e Champions League), com um aproveitamento de 24% (226). Na temporada foram 25 gols de cabeça dos 111 marcados, 22,5% dos gols marcados. Claro que nem todos foram de cruzamentos realizados com bola rolando, alguns de escanteio ou falta, mas é um alto índice de aproveitamento de um fundamento quase que deixado de lado nos dias de hoje, onde os clubes focam mais na troca de passes e infiltrações na defesa adversária.

Sadio Mané é o grande goleador de cabeça do time, com 6 gols marcados durante a temporada, seguido por Roberto Firmino com 4. É de se espantar que Mané tenha tantos gols de cabeça por ser um jogador razoavelmente baixo, tem 1,75m de altura, mas a sua movimentação e inteligência fez com que se sobressaísse sobre os zagueiros grandalhões.

Uma jogada que muitas vezes passou despercebida aos olhos dos torcedores, mas que foi muito eficiente em momentos de ataque, quando Firmino encontrava-se muito bem marcado, ou em momentos de pressão do adversário.

@dktricolor do @LFC_Online_Br  

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s