Mais um ferrolho furado – ANÁLISE TÁTICA FORTALEZA 1 x 0 BOTAFOGO/PB

Por Gêra Lobo

WhatsApp Image 2019-05-24 at 16.09.18

A tarefa do Fortaleza na Arena Castelão nesta quinta-feira (23) não seria nada fácil, como realmente não foi. No primeiro duelo da decisão da Copa do Nordeste, o tricolor, favorito indiscutível, teve uma dificuldade gigante para furar mais o ferrolho da equipe muito bem treinada por Evaristo Piza, que foi para a partida com um objetivo bem claro: sair sem sofrer gols e levar a decisão ainda mais aberta para João Pessoa. A missão de Piza deu certo até o último terço do jogo.

Bom, vamos explicar as fases do jogo. No primeiro tempo, o Fortaleza, assim como o duelo contra o Santa Cruz, teve dificuldade de furar uma defesa bem postada. A utilização, mais uma vez, de um esquema com quatro homens de meio e dois atacantes teve seus problemas. É uma formação boa para acelerar no contra-ataque, criar associações contra times que jogam mais abertos, cedendo espaços, pois tem como objetivo explorar tais espaços dados pelo adversário. Contra um time com blocos baixos, compacto e completamente fechado, a falta de um homem mais por dentro para criar, quebrar linhas com o passe, foi sentida de novo. Por mais que Felipe seja esse cara que quebre as linhas com passes e lançamentos, ele não pode avançar tanto ao último terço, o que compromete algumas investidas.

Durante o primeiro tempo, muitas vezes Tinga/Edinho e Bruno Melo/Osvaldo ficaram em inferioridade numérica pelos lados, complicando a criação, o que acabava resultando em bolas alçadas na área contra uma defesa bem alta. Romarinho ainda descia para auxiliar na criação por dentro, mas nem tanto criando triangulações pelos lados. Wellington Paulista ficava muito preso com o zagueiro na área. Por mais que seja a função dele, é importante ajudar nas triangulações, pois serve para puxar o zagueiro e criar espaço. No ano passado, essas associações triplas eram vistas constantemente. Além disso, Araruna e Felipe não tem “cacoete” para ajudar nisso, algo que, no ano passado, Jean Patrick, primeiramente e principalmente, e Nenê Bonilha faziam bastante.

WhatsApp Image 2019-05-24 at 16.09.53Romarinho descendo para ajudar, Osvaldo puxando seu defensor e Bruno Melo atacando o espaço vazio, mas Romarinho preferiu o arremate. Assim que se criaram alguns espaços (Foto: Reprodução/LIVE FC)

No segundo tempo, o Fortaleza voltou mais intenso, principalmente após as entradas de Dodô e Marcinho nos lugares de Araruna e Osvaldo. Dodô não ser tão utilizado por Ceni é algo estranho, pois é um dos melhores passadores do time, dá uma ótima dinâmica, é intenso, circula muito bem a bola, com velocidade. Entrou como segundo volante e o time melhorou, porque a bola começou a chegar com mais velocidade nos pontas e laterais. Sua participação pela esquerda foi importante durante o jogo, seja ativando Marcinho ou Bruno Melo, que recebeu duas ótimas bolas do camisa 10, ou aparecendo para finalizar e criar por conta própria.

WhatsApp Image 2019-05-24 at 17.21.59Dodô observou algumas vezes Bruno Melo atacando o vazio. As chegadas renderam mais (Foto: Reprodução/LIVE FC)

Mas lembram das triangulações tão criticadas aqui? Foi mais ou menos assim que saiu o gol da vitória tricolor, e com uma espécie de “homem surpresa”. Como disse, Felipe não é de fazer triangulações/associações. É um cara de visão de jogo, passe, bom arremate. Porém, foi nessa chegada “diferente” que saiu o gol, com ele recebendo um lateral de Tinga livre e dando um belo passe pelo alto para Edinho cruzar e Wellington Paulista marcar. Finalmente o Leão conseguiu furar o ferrolho do Belo.

WhatsApp Image 2019-05-24 at 17.22.07(Reprodução/LIVE FC)

Defensivamente, falando em momento sem a bola, com a equipe postada atrás, o Fortaleza sofreu pouquíssimo. Porém, a quantidade de passes errados no círculo central, principalmente, contra uma equipe intensa nessa pressão do portador, foi quase fatal. Quintero, Roger, Felipe, Araruna. Todos erraram passes bobos no meio e quase complicaram a vida do Fortaleza na partida. Porém, de resto a dupla de zaga foi muito segura mais uma vez e os laterais sofreram bem pouco, ainda mais pela falta de efetividade lateral do Botafogo. Vitória sofrida, mas vantagem criada para o jogo de volta em João Pessoa.

@gerinhalobo_

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s