Testes sem sucesso – ANÁLISE TÁTICA SÃO PAULO 0 x 1 BAHIA

Por Pedro Galante

WhatsApp Image 2019-05-23 at 15.38.58

Depois de um empate pelo Campeonato Brasileiro, São Paulo e Bahia se enfrentaram mais uma vez, agora pela Copa do Brasil. Novamente se viu um jogo morno no Morumbi, só que dessa vez o Bahia conseguiu marcar ao encaixar um contra-ataque depois de erro de passe.

WhatsApp Image 2019-05-17 at 23.54.07Escalações de São Paulo e Bahia. (Foto: SofaScore)

Cuca escolheu uma abordagem interessante e diferente do que vinha fazendo: optou por um ataque mais posicional. Abria bem os laterais e trazia os pontas por dentro para criar superioridade. A ideia era jogar pelo centro, criando linhas de passe entre as linhas do Bahia.

WhatsApp Image 2019-05-23 at 15.38.48Laterais abertos e Pato mais pontas por dentro: a estratégia ofensiva do SPFC. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

Roger Machado repetiu a escalação trocando apenas Gilberto, suspenso, por Fernandão. A estratégia era travar o jogo pelo centro com a trinca de volantes e buscar transições com a velocidade de seus pontas.

WhatsApp Image 2019-05-23 at 15.38.56Bahia se defendendo inteiramente no seu campo de defesa. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

Nos vinte minutos iniciais, o jogo foi bem definido. O São Paulo atacava e o Bahia se defendia. O tricolor paulista arriscava muitos passes entrelinhas, mas não acertava, o que é compreensível visto que foi a primeira vez que o time atuou assim. Fica o destaque negativo para Everton que pouco agregou – e pouco tem agregado – com a bola. É um jogador que busca a linha de fundo. Atuando com os pontas por dentro, Cuca seria mais coerente escolhendo outro jogador. O tricolor baiano se defendia bem, mas não conseguia acertar transições. Fernandão é pesado e os pontas, ocupados com a marcação dos laterais adversários, pouco apareciam.

WhatsApp Image 2019-05-23 at 15.41.38Comparação entre Everton e Elber. (Foto: Instat)

Sem sucesso com sua estratégia o São Paulo foi diminuindo seu ritmo e permitindo alguma posse ao Bahia. Os times voltaram ao campo sem alterações, seja na escalação ou na estratégia, consequentemente o ritmo do jogo foi o mesmo da primeira etapa.

Depois dos vinte minutos, as duas equipes fizeram alterações. No São Paulo, Everton saiu para a entrada de Antony, afim de dar mais movimentação e qualidade no passe. No Bahia, saiu Fernandão e entrou Rogério para dar mais velocidade no contra-ataque.

Alguns minutos depois, Nenê entrou na vaga de Igor Gomes machucado. Na sequência, o Bahia aproveitou erro na saída de bola, e no contragolpe, Élber marcou. Léo tentou cortar, mas não conseguiu.

O gol foi um banho de água fria para o mandante. Faltando oito minutos para o fim da partida, Cuca trocou Luan por Vitor Bueno, para buscar o gol de empate. No entanto, o time circulava, rodava a área, mas não conseguia penetrar. Quando conseguiu, Pato parou na trave.

Na última análise, o autor falava sobre o desafio de Cuca em dar profundidade ao ataque sem centroavante. O treinador testou uma alternativa que não funcionou bem em função da falta de prática. Veremos se a estratégia será mantida, buscando aperfeiçoamento, ou se Cuca vai buscar encarar o problema de outra forma.

O Bahia constrói uma vantagem importante fora de casa e encaminha a sua classificação.

@pedro17galante

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s