O alivio de uma vitória – ANÁLISE TÁTICA ATHLETICO 0 x 2 CORINTHIANS

Por Jhonata Souza

Após a derrota para o Flamengo na Copa do Brasil, o treinador Fábio Carille promoveu algumas mudanças no time do Corinthians que entrou em campo contra o Athletico na Arena da Baixada. A escalação foi a seguinte: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Avelar; Ralf e Júnior Urso; Ramiro, Jadson e Matheus Vital; Vagner Love. A ideia de Carille era ter um time que pudesse ter mais a posse de bola e trabalhar melhor ela, além de usar das transições ofensivas quando tivesse a oportunidade, mesmo sem ter um ponta de velocidade e drible como Clayson. Assim como no último jogo, o Timão se organizou num 4-2-3-1 com a bola e na hora de se defender se organizava num 4-4-2 com Jadson e Love a frente das duas linhas de quatro, mas em alguns momentos Jadson recuava para se juntar a linha de meio campo formando um 4-1-4-1, esquema onde ele rende menos por ser mais exigido fisicamente no momento sem bola.

WhatsApp Image 2019-05-20 at 19.01.34Destaque para o posicionamento de Jadson que variou na fase defensiva.

Ataque: Mais uma vez o Corinthians teve muitos problemas na criação de jogadas. No primeiro tempo só uma finalização em 45 minutos. Mesmo com as mudanças a equipe continuou tendo muitas dificuldades na saída de bola, pois o lado direito do ataque estava bem marcado, o que fazia a equipe em muitos momentos optar por bolas longas que acabavam em nada. A posse de bola do Corinthians se concentrou muito mais na defesa do que no campo de ataque e no primeiro tempo ficou claro a falta de um jogador para ser o desafogo do ataque, algo que normalmente Clayson faz. Além disso, Vagner Love não tem a característica de ganhar no alto a primeira bola e segurar ela no ataque para a chegada dos companheiros. Mesmo assim, ele e Jadson foram decisivos para o Corinthians terminar o primeiro tempo com 1×0.

WhatsApp Image 2019-05-20 at 19.01.40Zonas do campo onde as equipes mais tiveram a posse de bola (Imagem: Footatats premium).

Esse cenário pouco mudou no segundo tempo até as mudanças. Após as entradas de Pedrinho e Gustavo, o Timão se fixou no 4-1-4-1 com Pedrinho e Love nas pontas com o meio formado por Ralf, Ramiro e Urso. Com essas mudanças a equipe melhorou ofensivamente, passou a ter mais escape para o contra-ataque, circular melhor a bola pelo campo. Em alguns momentos o Corinthians teve a chance de sair em contra-ataque com um bom numero de jogadores, só que ai a equipe esbarrou no principal problema ofensivo do time, a tomada errada de decisão. Várias e várias vezes o Corinthians teve jogadas promissoras no ataque, só que essas jogadas na maioria das vezes acabavam em erros de passes ou escolhas erradas dos jogadores alvinegros. Um problema que aflige a equipe de Carille em 2019. O segundo gol saiu após um chutão de Fagner onde a bola sobrou para Pedrinho encobrir o goleiro com um belo toque de cabeça.

Algumas estatísticas ofensivas do Corinthians no jogo contra o Athletico (estatísticas via Footstats Premium):

  • 3 finalizações
  • 294 passes certos (89% de acerto)
  • 30 lançamentos (50% de acerto)
  • 16 cruzamentos (18% de acerto)
  • 41,44% de posse de bola no total

Defesa: A equipe do Corinthians entrou com a estratégia de tentar marcar pressionando a saída de bola do adversário no seu campo de defesa, igual fez contra o Flamengo. Novamente essa estratégia não funcionou, foram poucos os momentos onde a marcação alvinegra provocou erros do adversário. O fato de Manoel e Henrique serem zagueiros lentos faz com a linha de defesa do Corinthians não suba junto com o resto do time para pressionar, o que cria um espaço onde o adversário se aproveita para encontrar alguém livre para receber o passe.

WhatsApp Image 2019-05-20 at 19.01.08Corinthians marcando pressão no campo de ataque.

No primeiro tempo o Corinthians conseguiu suportar bem a pressão do Athletico. O Timão soube controlar a amplitude do adversário no primeiro tempo e isso foi muito importante para que a pressão não fosse tão grande. Mas, esse cenário mudou no segundo tempo. O Athletico passou a pressionar ainda mais o Corinthians. A marcação dos jogadores que davam amplitude ao adversário não foi bem feita no segundo tempo e isso permitiu ao Athletico cruzou mais bolas na área do Timão, isso também se deve ao fato do Corinthians pouco pressionar o portador da bola na hora do cruzamento. Ai que entra a figura de Cássio que novamente teve uma atuação decisiva para o Corinthians sair com o resultado positivo.

WhatsApp Image 2019-05-20 at 19.01.14Os laterais bem abertos para abrir a defesa e com liberdade para receber o lançamento.

A bola aérea defensiva novamente foi um ponto negativo para o Corinthians. O Athletico levou muita vantagem nesse tipo de jogada e criou as suas melhores chances em bolas levantadas na área. Esse problema só melhorou quando Gustavo e Richard entraram, pois são jogadores altos que ajudaram nesse tipo de jogada. Esse era um problema que vinha sendo resolvido, porém nos últimos dois jogos voltaram a causar dor de cabeça para o torcedor alvinegro.

WhatsApp Image 2019-05-20 at 19.01.19Organização defensiva do Corinthians após as entradas de Richard e Pedrinho.

Algumas estatísticas defensivas do Corinthians no jogo contra o Athletico (estatísticas via Footstats Premium):

  • 8 desarmes certos
  • 38 rebatidas
  • 11 escanteios sofridos
  • 9 defesas no jogo
  • 19 finalizações sofridas

Esse era um jogo onde o Corinthians precisava mais de um bom resultado do que um bom desempenho. Mais uma vez o time teve uma atuação fraca onde mostrou os mesmos problemas de sempre. Mas, a vitória vem para dar mais confiança aos jogadores, também serve como alivio para pressão após a derrota pro Flamengo na Copa do Brasil e os três pontos impedem que o Corinthians fique distante dos quatros primeiros.Agora o Timão volta os seus olhos para a Sula onde recebe o Deportivo Lara-VEN para o primeiro jogo da segunda fase da competição.

@Jhonny14Souza

Anúncios

Deixe uma resposta