Uma calma manhã de Domingo – ANÁLISE TÁTICA FLAMENGO 2 x 1 CHAPECOENSE

Por Felipe Henriques

WhatsApp Image 2019-05-13 at 22.44.42

Com o Maracanã cheio em uma partida que iniciou às 11h, o Flamengo bateu a Chapecoense por 2 x 1, com gols de Vitinho e Lincoln. Com a vitória, o rubro-negro carioca terminou a quarta rodada do campeonato com sete pontos e ocupando a sétima posição na tabela.

Abel Braga resolveu poupar a maioria dos titulares rotineiros visando o duelo contra o Corinthians, pelas Oitavas de Final da Copa do Brasil. Com isso, apenas Diego Alves (retornando de lesão) e Rodrigo Caio foram os únicos titulares que atuaram no duelo contra o alviverde catarinense.  Diego Ribas, que perdeu a posição para Arrascaeta no onze inicial, foi o capitão da equipe e principal organizador no meio-campo.

Defensivamente, a equipe defendeu com um 4-3-2-1 que migrava para o 4-5-1, com a prioridade maior de proteção ao lado esquerdo com Diego e Vitinho auxiliando o lateral peruano Miguel Trauco a fechar o flanco com uma marcação por zona. Nos primeiros quinze minutos, a postura defensiva foi mais intensa para pressionar e roubar a bola no campo ofensivo, sem esquecer a mescla baseada no calor e no desgaste físico.

WhatsApp Image 2019-05-14 at 10.49.02Defensivamente, o Flamengo postou-se com linhas baixas no 4-3-2-1, que migrava para o 4-5-1. Foto/Divulgação: Instat.

Na saída de bola, um detalhe interessante foi perceber como sempre havia a opção de sair com a bola pelos lados com variação na amplitude, hora com os laterais Rodinei e Trauco abertos, hora com Diego e Ronaldo ou Berrío abertos e com os laterais atacando por dentro. Diferente de usar os meio-campistas como interiores até para garantir um domínio territorial baseado na posse de bola, Ronaldo e Diego possibilitavam muito jogo pelos lados.

WhatsApp Image 2019-05-14 at 10.49.11Saída de bola do Flamengo com Trauco e Ronaldo abertos como opções de saídas pelos flancos. Foto/Divulgação: Instat.

Uma das opções mais usadas para fazer a transição defesa-ataque foi o passe de ruptura de Trauco buscando a velocidade e força física de Vitinho, Berrío ou Lincoln no último terço. Na jogada do gol, o peruano estava posicionado na faixa central e lançou Vitinho com muita qualidade para o camisa 11 abrir o placar.

A variação no posicionamento construtivo também aconteceu com Berrío e Lincoln quando a bola estava no último terço, quando migravam da função de Segundo Atacante pela direita para a função de centroavante.

Após o gol marcado, o Flamengo baixou suas linhas de marcação e esperou a Chape avançar ao campo ofensivo para forçar o desarme. Mesmo com uma postura sem muita pressão no adversário, a verdade é que houve poucas finalizações por parte da Chape e a vantagem poderia ser maior se não fosse o pênalti perdido de Diego Ribas e defendido por Tiago.

Diferente da busca de ataque pelos lados, outro fator interessante foi a busca de domínio territorial ao ocupar a região central até mesmo com Diego atuando na base da jogada e Vitinho vindo buscar jogo por dentro, com Rodinei e Trauco gerando amplitude desde a intermediária. Com isso, Berrío e Lincoln formavam uma dupla de ataque em uma espécie de 2-4-2 na fase ofensiva.

WhatsApp Image 2019-05-14 at 10.49.21Diego Ribas na base da jogada e os dois laterais abertos. Foto/Divulgação: Instat.

No segundo tempo, o segundo gol saiu logo aos seis minutos na jogada de Ronaldo pela direita que terminou no cruzamento rasteiro para a finalização do jovem Lincoln. Aliás, chama a atenção como um velho conhecido do torcedor rubro-negro falhou de forma decisiva no lance: Márcio Araújo estava marcando Lincoln, mas não percebeu o movimento de deslocamento que finalizou sozinho e sem a marcação do experiente volante.

Nem mesmo o gol de Gum tirou a tranqüilidade da manhã rubro-negra no Dia das Mães. Berrío, que fez uma bela partida principalmente em lances de um toque como um pivô aberto pela direita que possibilitou a descida em velocidade de Rodinei, puxou contra-ataques que quase resultou em mais gols, o que só confirma como a vitória poderia ter sido ainda mais larga.

Apesar da tensão que parece não sair do céu rubro-negro mesmo após a classificação na Libertadores, o Maracanã presenciou uma boa atuação em uma calma manhã dominical.

@lipe_henry

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s