Qual é o time titular?

Por Rodrigo Costa

Jorge Sampaoli chegou ao Santos em janeiro. De lá pra cá foram 26 jogos oficiais, com 15 vitórias, 05 empates e 06 derrotas e uma característica pouco comum no futebol brasileiro: rodízio de jogadores. Foram 32 jogadores utilizados em 2019.

O técnico argentino é conhecido por ser estudioso e fissurado pelo esporte, assim sendo, busca conhecer o máximo de jogadores e equipes possíveis. Saber qual o modelo de jogo, pontos fortes e fracos, características de jogadores, enfim. Nessas 26 partidas, o treinador não repetiu uma escalação sequer. E mais, a mudança não é apenas de peças, mas de esquemas, e, em alguns jogos, mudanças no modelo de jogo!

WhatsApp Image 2019-05-04 at 09.39.44Grêmio 1 x 2 Santos (28/04)

Desde a chegada do técnico, a pedido dele, a diretoria reforçou bem o elenco, com jogadores de bom nível para quase todas as posições (falta o centroavante, apesar de Sasha ter correspondido nos dois últimos jogos). Com isso, o treinador tem em mãos um leque de opções, e não apenas 11 titulares, como estamos acostumados aqui no Brasil (mas tendo alguns jogadores como pilares). E essa cultura de “rodízio”, fará muito bem ao futebol brasileiro.

WhatsApp Image 2019-05-04 at 09.39.51Santos 2 x 1 Fluminense (02/05)

Sampaoli estuda os adversários e escala seu time de acordo com o que irá enfrentar. Apesar de quase sempre tentar propor o jogo e ter maior posse de bola, contra Redbull Brasil e Grêmio, por exemplo, a equipe se adaptou e jogou de maneira mais reativa. O técnico, através dos jogadores escolhidos, busca explorar os pontos fracos dos adversários e anular os pontos fortes, portanto, nem sempre os “11 titulares” serão ideais contra todos adversários, jogando dentro ou fora de casa, com ou sem vantagem no placar e assim por diante, portanto, sendo necessário utilizar outras peças do elenco.

WhatsApp Image 2019-05-04 at 09.39.58Altos 1 x 7 Santos (06/02)

Claro que com um elenco mais recheado, com boas peças em todos os setores facilita essa estratégia. Talvez por isso a dificuldade desse rodízio em terras brasileiras. Mas, equipes mais estruturadas e com elencos mais competitivos, seus técnicos têm total condições de mexer no time de acordo com os adversários.

WhatsApp Image 2019-05-04 at 09.40.05Santos 2 x 0 Vasco (17/04)

Óbvio que isso não pode ser regra, mas é um caminho que, principalmente a torcida santista, e brasileira, devem se acostumar a ver em gramados nacionais. Pois, para o futebol brasileiro de maneira geral, os jogos ficarão mais atrativos e diversificados taticamente (Grêmio x Santos, na 1ª rodada do Brasileirão), visto que a análise ao adversário será feita minuciosamente, tentando assim se adaptar para buscar o resultado, com isso, contagiando mais e mais treinadores e clubes a tentarem fazer o mesmo.

WhatsApp Image 2019-05-04 at 09.40.12Santos 3 x 0 Guarani (18/02)

O argentino, que já caiu nas graças do torcedor santista, tem tudo pra se firmar no comando técnico da equipe brasileira com um jeito “europeu” de administrar o time. Temos que nos desprender de rótulos (titulares x reservas) e esquema tático fixo (4-3-3, 3-5-2, 3-4-1-2, 4-4-2 losango) buscando assim abrir nossas mentes e aprender juntos.

@costa_rodrigo95

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s