Vitória de um time em formação – ANÁLISE TÁTICA DE GOIÁS 1 X 2 SÃO PAULO

Por Pedro Galante

Pela segunda rodada do Brasileirão, o São Paulo foi até Goiânia enfrentar o Goiás. Mesmo com susto no final, o tricolor garantiu os três pontos e fez uma partida interessante.

A principal novidade na escalação foi a entrada de Jonas Toró na vaga de Igor Gomes. O jovem, que estreou contra o Botafogo, entrou como centroavante, Pato foi recuado para a posição de meia.

Desde os primeiros minutos, percebia-se a proposta do São Paulo com a bola: mobilidade e velocidade, com Pato acelerando o jogo por dentro. A dinâmica do time foi muito boa com Antony, Pato e Toró se aproximando para desenvolver as jogadas.

O Goiás trocava passes com velocidade pelo lado do campo, e por vezes desestabilizou a marcação são-paulina. De qualquer forma, nenhuma chance clara.

Aos 31 minutos, Pato abriu o placar. Depois de ótima jogada pela ponta direita, Igor Vinicius cruzou para trás e o atacante finalizou com espaço. Cinco minutos mais tarde, Antony serviu Toró na ponta esquerda, que cortou para o meio e acertou um lindo chute.

456.pngPrimeiro gol do São Paulo: cruzamento para trás e Pato sozinho para marcar. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

O São Paulo vencia e controlava bem a partida. Nos últimos minutos de primeiro tempo, Arboleda deixou o campo lesionado. Ainda na primeira etapa, o Goiás diminuiu em lance revisado pelo VAR.

Na volta para a segunda etapa, Cuca alterou o posicionamento de Toró e Antony, o primeiro foi para a ponta direita e o segundo para o meio de campo. A alteração tirou a profundidade do ataque e dificultou a criação do time. O Goiás conseguia se defender de forma efetiva, mas não conseguia criar quando tinha a posse.

7.pngComo a troca de posição de Toró e Antony influenciou no time: com Antony e Pato por dentro, o tricolor perdeu a profundidade no ataque. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

Aos 28 minutos, Hernanes entrou na vaga de Pato, voltando Toró para o centro e Antony para o lado do campo. Seis minutos mais tarde, Toró sairia para entrada de Brenner.

O time teve uma queda natural de ritmo e não conseguiu produzir grandes coisas. Brenner, que entrou para imprimir algum ritmo, não foi bem. O São Paulo foi controlando o jogo, esperando o apito final.

No último lance da partida, Igor Vinicius parou contra-ataque com falta e foi expulso. O lance foi revisado pelo VAR e a decisão foi mantida. A falta parou na barreira e o jogo foi encerrado.

O São Paulo conseguiu uma vitória importante, as oito primeiras rodadas são essenciais para definir pelo que o time brigará no campeonato. E o melhor de tudo, o desempenho foi muito positivo, principalmente na primeira etapa; uma ótima amostra da liberdade ofensiva que Cuca proporciona a seus atletas. Melhorando a qualidade da circulação de bola, com o crescimento de Tchê Tchê e Hernanes e as voltas de Liziero e Luan, o São Paulo deve melhorar consideravelmente seu jogo ofensivo.

Na próxima rodada, um desafio difícil contra o Flamengo. E sem Arboleda e Igor Vinicius.

@pedro17galante

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s