Deu pro gasto – ANÁLISE TÁTICA CORINTHIANS 1 x 0 CHAPECOENSE

Por Jhonata Souza

Na última quarta-feira (1), feriado do dia dos trabalhadores, as equipes de Corinthians e Chapecoense se enfrentaram na Arena Corinthians pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. O treinador Fábio Carille escalou o Corinthians da seguinte forma: Cássio; Fagner, Manoel, Pedro Henrique e Carlos Augusto; Ralf; Pedrinho (Janderson), Ramiro (Vagner Love), Sornoza e Clayson (Vital); Boselli. Já o treinador Ney Franco escalou a Chape da seguinte forma: Tiepo; Eduardo (Perroti), Gum, Douglas e Bruno Pacheco; Régis, Tharlis (Aylon), Marcio Araújo, Gustavo Campanharo e Alan Ruschel (Renato); Everaldo. O Timão manteve o seu padrão ao atuar no 4-1-4-1 com e sem a bola. A Chape quando não tinha a bola se postava num 4-4-2 e quando tinha a bola atacava no 4-2-3-1 com Campanharo tendo a liberdade para avançar e encostar em Everaldo.

WhatsApp Image 2019-05-02 at 19.13.18Corinthians postado no 4-1-4-1 e a Chape com Everaldo e Campanharo a frente da linha de quatro do meio campo (Fonte: Premiere).

A Chapecoense foi a Itaquera com a proposta de jogar no erro do Corinthians. A equipe de Chapeco se postou muito bem na defesa no primeiro tempo, de forma compacta sem dar espaços para o Corinthians trabalhar pelo meio e acionar Boselli, uma jogada que causou estragos no segundo jogo da Copa do Brasil. Só que quando recuperava a bola não conseguia levar perigo ao gol de Cássio que foi espectador de luxo no primeiro tempo.

Como já era esperado, o Corinthians teve mais a posse de bola no primeiro tempo, porém foi uma posse improdutiva. As poucas vezes que o Timão conseguiu produzir algo foi quando conseguiu trabalhar melhor a posse de bola, com troca de passes rápidos, movimentação e usando as qualidades de Boselli no passe curto ou no pivô. Porém foi algo pouco feito. O Corinthians quase sempre buscava fazer a sua saída de bola pelos lados de campo, foi utilizando as triangulações entre Fagner, Pedrinho e Ramiro de um lado e Carlos, Clayson e Sornoza do outro. Assim como fez o Bahia, a Chape marcou muito bem essas triangulações, o que tornou ainda mais difícil a vida alvinegra no primeiro tempo, já que o Corinthians é muito dependente das jogadas pelo lado campo para fazer a saída de bolas e criar alguma coisa.

WhatsApp Image 2019-05-02 at 19.13.25Chape buscou ter superioridade numérica na marcação para dificultar as triangulações do Corinthians (Fonte: Premiere).

Insatisfeito com o desempenho do time, o técnico Carille colocou Vagner Love no lugar de Ramiro já na volta do intervalo. Com essa mudança o Timão variou entre o 4-1-4-1 e o 4-4-2 sem a bola e no momento ofensivo Vagner Love tinha liberdade para se movimentar como bem entendesse. Essa liberdade fez o time perder aquela previsibilidade que teve no primeiro tempo, o que confundiu a marcação da Chape que passou a ceder mais espaços para o Timão jogar. Os primeiros 15 minutos do Corinthians foram bons, onde o time elevou o nível de intensidade, criou chances e passou a pressionar o adversário no seu campo de defesa. O gol de Carlos Augusto premiou a equipe por esses bons 15 minutos de jogo.

Após o gol, o time visitante realizou duas substituições para tornar a equipe mais ofensiva. Com isso a Chape passou a ter mais a posse, enquanto o Corinthians recuou as suas linhas de marcação para jogar no contra-ataque, atitude padrão quando abre o placar. O fato de sair atrás do placar evidenciou os problemas que a Chapecoense tem em propor o jogo. A única forma que a Chape conseguiu de levar um mínimo perigo foi na base de cruzamentos, porque de resto a equipe não conseguiu criar nada com a bola no chão. A sensação que se teve após o gol de Carlos foi que o jogo tinha acabado ali, tanto que a partida voltou para aquele ritmo morno do primeiro tempo. O Corinthians bem postado na defesa contra um adversário que não conseguia criar, o resultado disso foi que o placar se manteve até o final e o Corinthians conquistou a sua primeira vitória no Brasileirão.

WhatsApp Image 2019-05-02 at 19.13.35Estatísticas que mostram a diferença entre os dois tempos de jogo (Fonte: SofaScore).

Tirando os primeiros 15 minutos do segundo tempo, o Corinthians teve mais atuação fraca ofensivamente, porém foi seguro na defesa. O objetivo até a pausa para a Copa América é conseguir se manter vivo nas competições que disputa. Para cumprir este objetivo será preciso melhorar o desempenho para no mínimo ser uma equipe mais competitiva. Contra a Chapecoense esse desempenho deu pro gasto, mas contra o Vasco vai ser preciso mostrar um pouco mais caso queira sair com a vitória.

@Jhonny14Souza

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s