O atual campeão vence aos gritos de olé – ANÁLISE TÁTICA PALMEIRAS 4 x 0 FORTALEZA

Por Breno Barbosa e Gêra Lobo

WhatsApp Image 2019-04-29 at 21.11.42

A abertura oficial do Campeonato Brasileiro 2019 foi em grande estilo e contou com a presença dos dois últimos campeões nacionais. Após vários anos, o Fortaleza retornou a primeira divisão e ostentando o título da última série B, enquanto o verdão busca defender o título conquistado na última temporada. O Palmeiras foi superior e ampliou uma goleada por 4 X 0, fazendo uma belíssima estréia.

O técnico Felipão escalou o Palmeiras no tradicional 4-2-3-1, tendo algumas variações dentro da partida. Quando tinha a posse, o time optava por um 3-4-3, dando liberdade para o quarteto Dudu, Scarpa, Zé Rafael e Deyverson, com os laterais avançando o corredor, enquanto Felipe Melo recuava até a base e iniciava às construções do time.

WhatsApp Image 2019-04-29 at 21.11.27Felipe próximo dos zagueiros para iniciar a jogada, os laterais sobem e se aproximam dos extremos.

Nos momentos defensivos, o professor Scolari utilizou, em alguns momentos, um 4-4-2, com os extremos acompanhando os laterais até a linha de fundo. Logo aos 4 minutos, um fatídico lance mudou todo o panorama do confronto, pois o meia atacante Ricardo Goulart saiu lesionado e veio a campo Zé Rafael, para formar uma trinca com Dudu e Gustavo Scarpa, o trio realizou diversas variações e confundiu a marcação do oponente.

WhatsApp Image 2019-04-29 at 21.11.35O verdão utilizando um 4-4-2 com bloco baixo/médio, os extremos bem recuados e intensos na marcação.

O Palmeiras aproveitou os buracos na defesa do Fortaleza, soube utilizar a velocidade para gerar superioridade numérica e teve um grande volume, foram 15 finalizações, sendo 8 no alvo de Felipe Alves. O verdão foi intenso na marcação pressão, subindo os blocos e recuperando rapidamente a posse. Desta forma, foi encurralando seu adversário, aproveitou para usar a amplitude e contou com infiltrações dos seus jogadores na área adversária. Em uma jogada que contou com passes rápidos, o lateral Diogo Barbosa recebeu com espaços e fez o toque para dentro da área, achando Zé Rafael que foi feliz na finalização e abriu o placar no Allianz Parque.

  • Marcos Rocha teve muita liberdade e fez o passe em direção a área, Bruno Henrique aproveitou os espaços e deu números finais ao duelo.

O Palmeiras venceu com autoridade e poderia ter tido até um placar mais elástico, os mandantes sofreram apenas uma vez na defesa, em um lance isolado de Osvaldo, aonde Weverton foi muito bem na jogada. Diferente das últimas partidas, a postura foi agressiva e com uma marcação alta, inibindo que o Fortaleza tivesse espaços e tempo para organizar suas jogadas. Quando teve a posse, o verdão foi vertical e veloz, soube aproveitar os espaços e contou com os jogadores bem próximos, gerando superioridade e inúmeras chances. Estréia muito interessante e resultado merecido do atual campeão.

Mantendo a ideia dos últimos jogos, onde a equipe atuou numa espécie de 4-4-2/4-2-4, o Fortaleza teve extrema dificuldade em todos os sentidos do jogo. Defensivamente, um time completamente espaçado e desorganizado, com muitos problemas na transição e cedendo muito espaço entrelinhas. Para um time como o Palmeiras, que sabe aproveitar os espaços cedidos e acelerar extremamente bem o jogo, foi um prato cheio em todos os sentidos, e o time de Felipão soube como utilizá-los da melhor forma.

WhatsApp Image 2019-04-30 at 12.09.17Defesa do Fortaleza completamente desajustada, o que trouxe toda a última linha para o lado direito e criou um espaço gigante para Dudu. Tudo isso numa transição (Foto: Reprodução)

O 4 a 0 do Palmeiras foi pouco para o que foi a partida. Felipe Alves, que foi titular, fez um grande jogo, com várias ótimas defesas, evitando o que podia ser pior. Além de um sistema defensivo muito falho durante todo o jogo, com ninguém da última linha jogando bem ou passando segurança em algum momento, o ataque, grande esperança do time pela versatilidade, também teve uma noite bem apagada e pouquíssima criatividade.

Wellington Paulista e Júnior Santos, esse que até tentou algumas investidas, mas parava na fortíssima defesa adversária, não se entenderam em momento algum. Edinho tentou quebrar linhas jogando mais por dentro e buscando velocidade no seu primeiro toque, mas também não foi bem. Osvaldo foi apagado.

Pode-se dizer que o jogador de linha de maior destaque foi o melhor jogador do time: Felipe Melo. A organização do time passa por ele e o próprio não foi incrível, mas soube achar bons passes, tanto pelos lados, como por dentro. O grande problema foi que a última do Palmeiras estava tão retraída, e com dois “seguranças” como: Felipe Melo e Bruno Henrique. O Leão simplesmente não conseguia quebrar as linhas, seja em desmarques de Júnior Santos e Edinho, ou em dribles. Além disso, a falta de um camisa 10 é nítida, exatamente como forma de atrair os defensores e quebrar linhas ali no último terço do campo.

A Série A chegou e o choque de realidade também para o Fortaleza. Como esperado, existem muitas coisas a melhorar, isso é óbvio. O resultado não foi o grande problema, mas sim o tamanho dele e a atuação extremamente passiva e sem vontade do Leão. Muitas coisas a serem trabalhadas e analisadas. A estreia não era nada fácil. Foi contra o melhor time do país e o atual campeão da competição. Serão mais 37 jogos e o Leão, se consertar as coisas, tem tudo para fazer um campeonato tranquilo.

@brenobmarketing e @gerinhalobo_

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s