Treinando movimentações – ANÁLISE TÁTICA CARDIFF 0 x 2 LIVERPOOL

Por Daniel Klabunde

WhatsApp Image 2019-04-23 at 08.28.25

Em uma partida onde os Reds tiveram 77% de posse de bola, 80% só no primeiro tempo, temos que destacar os homens do meio e ataque por suas movimentações em busca de espaços. E nesta partida pudemos ver uma nova movimentação do Liverpool em busca de espaços, ou se posicionar em campo em busca destes espaços, nunca alterando o seu modelo de jogo é claro, modelo pelo qual Klopp parece ter fixado no time e que não irá mudar tão cedo, ainda mais depois de tentar o esquema 4-2-3-1 sem muito sucesso, até tendo algumas boas partidas, mas na maioria ficando abaixo do esperado.

WhatsApp Image 2019-04-23 at 10.41.38Gráfico referente a pressão exercida de cada time, com Liverpool dominando os 90 minutos. Imagem: Sofascore.

Sempre postado no seu tradicional 4-3-3, os Reds se transformam em um redemoinho no campo de ataque, literalmente, fazendo com que os seus jogadores de meio e ataque girem entre si buscando espaços e também liberando espaços para os seus companheiros.

Em cima disto, pudemos ver uma forma diferente dos jogadores se postarem, formando uma pirâmide no meio com o recuo de Firmino para buscar a bola, e com isso um dos meias se adiantando e se alinhando com os jogadores de frente, criando assim uma linha de opções para passe na frente de Firmino, como se fosse um alvo que deveria ser atingido por uma flecha.

WhatsApp Image 2019-04-23 at 10.41.50Firmino recuando e formando a ponta da “flecha”.

E com isso se explica a escalação de Wijnaldum no lugar de Fabinho, além de dar um descanso para o brasileiro, com o holandês o Liverpool ganha maior poder de marcação, já que os outros dois meias estavam liberados para trabalharem praticamente como atacantes na partida.

WhatsApp Image 2019-04-23 at 10.41.57Wijnaldum fica posicionado para recompor defensivamente, enquanto Henderson avança e fica alinhado com os atacantes para dar opção de passe.

Com esta movimentação de colocar os meias ainda mais à frente no posicionamento no momento de ataque, fez com que os Reds criassem boas chances de gol, a principal delas com Firmino, que acabou finalizando por cima da meta.

Os gols, diferente do que falamos, foram marcados de bola parada, o primeiro por Wijnaldum em um belo chute após cobrança de escanteio de Arnold, e o segundo por Milner, após pênalti sofrido por Salah.

Adversário fraco e brigando para não ser rebaixado na PremierLeague, permitiu à Klopp fazer um experimento na partida, algo que pode voltar a acontecer contra o Huddersfield na próxima sexta-feira (26/04) em Anfield. Além desta movimentação, pudemos perceber também a falta de uma jogada muito usada nas últimas partidas do Liverpool, as bolas longas (lançamentos) e os cruzamentos de Robertson e Arnold.

Mas este é outro assunto que deverá ter seu espaço em um texto exclusivo aqui no MW FUTEBOL, aguarde.

@dktricolor

Anúncios

Deixe uma resposta