Love is in the air – ANÁLISE TÁTICA CORINTHIANS 2 x 1 SÃO PAULO

Por Pedro Galante e Jhonata Souza

Corinthians e São Paulo decidiram nesse domingo (21) o título do Campeonato Paulista. O Corinthians de Fábio Carille conquistou o tricampeonato com gol de Vagner Love.

Cuca mais uma vez não pode contar com Igor Liziero e escalou o contestado Jucilei. Na frente, sem Carneiro e Pablo, o escolhido foi Everton Felipe.

Nos últimos jogos Carille buscou fazer algumas mudanças na equipe titular do Corinthians a fim de melhorar a parte ofensiva. Só que essas mudanças não surtiram efeito, por isso o treinador resolveu apostar na volta da escalação que foi usada nos melhores jogos do Timão em 2019. O time foi a campo com: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Avelar; Ralf; Pedrinho, Ramiro, Sornoza e Clayson; Gustavo. Com essa escalação o Corinthians voltou a atuar no 4-1-4-1, Pedrinho e Clayson aberto nas pontas com liberdade para circular em campo e ajudar na criação, enquanto Ramiro e Sornoza atuaram por dentro ajudando na construção de jogadas e dando liberdade para os pontas e os laterais subirem ao ataque.

WhatsApp Image 2019-04-22 at 17.17.51Corinthians organizado no 4-1-4-1.

O Corinthians buscou propor mais o jogo, porém esbarrou nas suas limitações. A equipe rodava a bola no campo de defesa e na maioria das vezes buscou o lado direito com Fagner, Ramiro e Pedrinho para tentar construir alguma coisa, só que por várias vezes terminou em passes errados ou lançamentos que acabavam em nada. Ramiro não tem a característica de infiltração na área que Júnior Urso tem, mas a sua presença em campo deu mais liberdade para as subidas de Fagner. O lateral tem bastante qualidade técnica e isso pode ser percebido nos duelos 1×1 que travou com jogadores do São Paulo, inclusive em um desses duelos obrigou Volpi a fazer uma grande defesa para impedir o segundo gol alvinegro.

WhatsApp Image 2019-04-22 at 17.18.10Fagner fazendo a ultrapassagem e atacando o espaço.

O tricolor paulista se defendia bem através de seus encaixes individuais. Conseguia manter pressão no portador da bola e eliminar linhas de passe. As tentativas de bola longa para Gustavo foram bem controladas pela dupla de zaga.

Já a parte ofensiva era problemática, a começar pela saída de bola. Sem Liziero o time perde seu grande organizador. Jucilei e Luan se alternavam nas funções, um recuava entre os zagueiros e o outro avançava no campo, quase ao lado de Igor.  A defesa e o meio campo estavam muito distantes e o time não conseguia romper a primeira linha adversária com um passe, seja por falta de atitude dos passadores ou por falta de movimentação de potenciais receptores.

WhatsApp Image 2019-04-22 at 17.18.18Saída de bola do São Paulo: defesa e meio sem conexão. Liziero fez falta.

O lance do primeiro gol surgiu após uma jogada ensaiada de escanteio, Sornoza cruzou na segunda trave para Ralf mandar de cabeça para a pequena área onde Avelar fez o gol. O Corinthians teve uma atuação segura na defesa. Sabendo dos problemas de criação do rival, o Timão marcou bem a saída de bola forçando o tricolor a utilizar de lançamentos que acabavam em nada. Além disso, o Corinthians se defendeu de forma compacta sem dar espaços para as infiltrações, movimentações e passes entre as linhas de marcação. No único momento de falha na defesa o São Paulo chegou ao gol de empate. Destaque para as atuações individuais de Manoel e Ralf que foram muito importantes para a segurança defensiva alvinegra.

O empate veio no final do primeiro tempo, Antony dominou bola mal afastada e bateu no canto de Cássio para marcar.

Cuca trocou Everton Felipe por Hernanes no intervalo. Hernanes entrou para atuar ao lado de Igor em um 4-2-4. No entanto a estratégia não funcionou, pois os dois jogadores atuaram posicionados entre as linhas adversárias. A proposta de Cuca é interessante mas requer movimentação dos dois jogadores, um recua para receber enquanto o outro infiltra e arrasta a linha de defesa. Nenhuma dessas movimentações foi vista

WhatsApp Image 2019-04-22 at 17.18.26Hernanes e Igor posicionados na entrelinha, faltou movimentação.

No segundo tempo o Corinthians continuou a ter mais a posse e a ter dificuldades na criação. As entradas de Love e Boseli foram para dar mais qualidade e agressividade ao ataque, só que a bola pouco chegou a eles. O segundo tempo conseguiu ser ainda pior no quesito criação de jogadas do que o primeiro tempo. Destaque para a defesa que foi segura e não sofreu. O gol da vitória nasce após um chutão da defesa que Love disputa no alto, a bola sobra para Boselli que protege ela e aciona Sornoza, o meia equatoriano teve espaço para executar um lançamento espetacular que encontrou Vagner Love livre na área para marcar o gol do titulo corintiano.

WhatsApp Image 2019-04-22 at 17.18.34Vagner Love atacando o espaço livre nas costas de Arboleda para receber o lançamento de Sornoza e marcar o gol do titulo.

Depois de chegar à final desacreditado, atuando bem dentro de sua proposta, não é nenhum fim de mundo que o São Paulo não tenha sido campeão. A derrota evidencia falhas administrativas que serão detalhadas em outro texto. Mas no que diz respeito ao jogo, a equipe entregou tudo que pode. Agora é levantar a cabeça, incorporar os novos reforços, dar respaldo aos jovem e buscar se desenvolver como equipe para buscar algo na temporada.

O Corinthians tem muitas coisas a melhorar, hoje tem um sistema defensivo sólido, mas ainda tem muitas dificuldades na criação de jogadas, mesmo assim se mostra uma equipe muito competitiva em mata-mata. O titulo é muito importante para dar confiança no trabalho que vem sendo feito e até para dar um pouco de paz nas criticas, porém a decisão de quarta contra a Chapecoense pode voltar a instaurar aquele ambiente de desconfiança na equipe.

@jhonny14souza e @pedro17galante

Anúncios

Deixe uma resposta