Gustagol está de volta — ANÁLISE TÁTICA FERROVIÁRIA 1 x 1 CORINTHIANS

Por Jhonata Souza

WhatsApp Image 2019-03-25 at 18.09.48

No último domingo (24), o Corinthians viajou até Araraquara para enfrentar a Ferroviária no primeiro jogo das quartas de finais do Paulistão 2019. O jogo acabou em 1×1 com os gols sendo marcados por Diogo Mateus (Ferroviária) e Gustavo (Corinthians), ambos no segundo tempo. Resultado que deixa tudo aberto para o jogo da volta na Arena Corinthians, já que não tem o gol fora no campeonato paulista. A Ferroviária comandada por Vinícius Munhoz foi escalada da seguinte maneira: Tadeu; Diogo Mateus, Rayan, Rodrigão e Arthur Henrique; Anderson Uchoa, Tony e Léo Arthur; Diego, Felipe e Lúcio Flávio. Já o Corinthians comandado por Fábio Carille, foi escalado da seguinte forma: Cássio; Michel Macedo, Manoel, Henrique e Avelar; Ralf, Urso, Sornoza, Pedrinho e Clayson; Vagner Love. As duas equipes se organizaram de formas bem parecidas, o 4-1-4-1 foi o esquema utilizado por ambos os técnicos para a partida de hoje. O começo do jogo teve um Corinthians pressionando bastante a saída de bola da Ferroviária, em alguns momentos até ocasionou alguns erros do adversário, mas em alguns momentos a Ferroviária conseguia sair da pressão usando da qualidade de passe do seu goleiro para encontrar jogadores livres. Quando isso aconteceu o Corinthians conseguiu ter uma recomposição defensiva rápida para combater a boa transição ofensiva da Ferroviária e evitar maiores danos, destaque para Clayson que ajudou bastante Avelar
na recomposição.

WhatsApp Image 2019-03-26 at 18.51.20Corinthians subindo seus jogadores para pressionar a saída de bola da Ferroviária.

A Ferroviária foi uma das sensações do interior na primeira fase e no primeiro jogo contra o Corinthians mostrou novamente ser um time bem treinado, organizado na defesa, boa saída de bola, rápida transição e que sabe trabalhar a posse de bola. O técnico Vinícius Munhoz adotou a estratégia de espelhar o esquema do Corinthians, isso trouxa muitas dificuldades para o Timão na saída de bola. Em várias ocasiões o Corinthians ficou trocando passes entre os seus jogadores de defesa sem que alguém do meio se apresentasse como opção de passe, a consequência disso era que depois de um tempo essa troca de passes acabava com algum dos jogadores de defesa fazendo um passe mais arriscado ou fazendo lançamentos em direção ao ataque. Love foi o camisa 9 do Timão em Araraquara, por não ter as mesmas características de Gustavo e Boselli, a bola quando lançada acabava voltando já que Love não conseguiu ganhar muitas disputas no alto e nem fazer tantos pivôs como os outros dois atacantes.

WhatsApp Image 2019-03-26 at 18.51.25Ferroviária atuando no 4-1-4-1 e dificultando a saída de bola do Corinthians.

O primeiro tempo teve poucas chances reais de gol. Foram 45 minutos onde as defesas levaram a melhor sobre os ataques. Na parte do Corinthians dá para se destacar positivamente no primeiro tempo a pressão na saída da bola e a recomposição defensiva. De negativo, dá para se destacar um meio de campo pouco criativo, falta de profundidade no ataque, troca de passes lenta e dependência da bola aérea para se levar perigo. No segundo tempo o Corinthians até ensaiou pressionar mais a Ferroviária no começo do segundo tempo, porém isso não durou muito tempo. Aos 9 do segundo tempo, após um corte errado de Henrique, a bola sobrou para Léo Arthur progredir com a bola e encontrar Diogo Mateus aparecendo livre no lado direito, o lateral aproveitou o espaço dado pelo Timão para acertar um lindo chute para abrir o placar para a Ferroviária. A recomposição defensiva do Corinthians, que foi muito boa no primeiro tempo, cometeu a sua primeira falha no jogo e a Ferroviária não perdoou
essa falha.

WhatsApp Image 2019-03-26 at 18.51.31Destaque para o espaço que Diogo Mateus teve para receber o passe e mandar um lindo chute para abrir o placar.

Após o gol o técnico do Corinthians colocou Gustavo e Jadson nos lugares de Pedrinho e Ralf para tornar a equipe mais forte ofensivamente. A consequência disso foi que a Ferroviária passou a ter mais espaço para contra atacar após o gol, porém a saída de Léo Arthur do time acabou matando o contra-ataque da Ferroviária e chamando o Corinthians para o seu campo. Mesmo assim o Corinthians criou poucas chances de gol, a tentativa de pressão foi mais no abafa do que na organização. As mudanças não tornaram a equipe mais criativa no meio já que Urso e Sornoza não fizeram boas partidas. Em vários momentos era Clayson quem saia da ponta para buscar a bola no meio para tentar armar alguma jogada, uma função que não é a dele. O ponta foi um dos destaques do Timão, já que foi o jogador de ataque que mais tentou fazer algo. É coube a Clayson fazer a jogada do gol de empate, o ponta roubou a bola e partiu em jogada individual para cruzar a bola na pequena área onde Gustavo apareceu para marcar o gol de empate e salvar o Timão da derrota no primeiro jogo.

  • Jogo com mais cruzamentos errados (25)
  • Jogo com menos desarmes (7)
  • Jogo com mais escanteios a favor (12)
  • Terceiro jogo com mais lançamentos (39)

Esses números ajudam a mostrar como foi a atuação do Corinthians. O time vinha numa crescente de rendimento, porém contra a Ferroviária apresentou uma queda, resta saber se foi só um ponto fora da curva ou não. De positivo dá para se destacar as atuações de Michel, Manoel e Claysonque foram bem na partida. Quarta-feira as duas equipes voltam a se enfrentar, só que agora na Arena Corinthians, para decidir qual dos times avança para a Semifinal. Dada às circunstâncias do jogo, o Corinthians saiu com um bom resultado de Araraquara e sai como favorito para a classificação, porém a Ferroviária mostrou que tem um bom time e que é uma equipe perigosa capaz de surpreender em Itaquera.

@Jhonny14Souza

Deixe uma resposta