DERROTA DE DOMINGO MOSTRA QUE AMÉRICA PRECISA MELHORAR NAS BOLAS PARADAS DEFENSIVAS

Por Davi Magalhães

Na derrota diante do Atlético, o América sofreu 2 gols que tiveram origem da bola parada. Mostrando que Givanildo tem alguns ajustes a fazer no time.

No futebol atual, a bola parada é muito importante para o jogo. Na Copa do Mundo de 2018, ficou evidente essa relevância importância. Segundo os critérios da FIFA, 70 gols de 161 marcados no torneio surgiram dessa forma. Principalmente em confrontos equilibrados e em torneios de mata-mata, as faltas ou escanteios ganham ainda mais importância. A bola parada é tida como a quinta fase do jogo. As outras quatro são: a organização defensiva; transição ofensiva; organização ofensiva e transição defensiva. Para um time obter sucesso, é vital estar preparado e ter atenção nessas 5 fases do jogo.

ATLÉTICO 3X2 AMÉRICA

No último domingo (17), Atlético e América se enfrentaram pelo Campeonato Mineiro e nos comprovaram como essa quinta fase do jogo é importante. Dos 5 gols marcados na partida, 4 se originaram da bola parada. Ainda que seja preciso contextualizar e falar sobre como a expulsão de Matheusinho prejudicou a equipe americana, é válido falar sobre as falhas que a equipe apresentou nos dois gols sofridos através dos escanteios cobrados pelo Atlético.

ESCANTEIOS DEFENSIVOS

Nos escanteios defensivos, Givanildo adotou uma marcação individual, onde cada jogador americano marca um adversário para impedi-lo de cabecear. Geralmente, são 6 ou 7 jogadores na área, mais um jogador na 1° trave e mais 2 no rebote. Por serem mais altos, os zagueiros costumam marcar os zagueiros adversários, que em tese são os melhores cabeceadores.

Essa marcação individual exige muita atenção por parte dos jogadores para ter sucesso. Por outro lado, se um jogador se desconcentra, ele acaba deixando o marcador livre. Foi exatamente isso que aconteceu no primeiro gol sofrido pelo América na partida. O volante Zé Ricardo por ser baixo tinha a responsabilidade de marcar o Luan, que também não é um jogador alto. Porém, o jogador americano marcou mal. Marcando o Luan de costas, quando o certo é marcar o adversário de frente. Resultado: no rebote, Luan cabeceia livre e acerta o travessão, deixando o gol escancarado para o zagueiro Réver marcar o gol.

O erro de desconcentração custou caro no segundo gol marcado pelo Atlético. Em um primeiro momento, a defesa americana obteve sucesso afastando a bola da área, ganhando o duelo contra o ataque atleticano. Após o time rebater a bola para fora da área, o América procurou sair em conjunto da área para deixar os atacantes do adversário em posição de impedimento. Impedindo que eles recebessem a bola e finalizasse no gol. A ideia é muito boa. Mas também exige concentração de todos os jogadores. Por ser um movimento a ser realizado em conjunto. No segundo gol sofrido pela equipe, Marcelo Toscano não acompanha o restante do time, dando condições aos jogadores do Atlético na área.

O América competiu bem no último domingo e vendeu caro a derrota para o Galo. Entretanto, a derrota mostrou o que ainda é nítido, o time ainda precisa melhorar em muitos aspectos. Um deles é na bola parada defensiva. Que como vimos é muito importante e pode decidir alguns jogos. Principalmente, nos jogos importantes é preciso dar muita atenção a esses detalhes.

@magalhaesDavi_

Deixe uma resposta