Jardine, Mancini, Cuca: como fica o SPFC?

Por Pedro Galante

O último mês foi agitado no CT da Barra Funda. Muita coisa aconteceu: eliminação na Libertadores, queda de Jardine, anuncio de Cuca e Mancini assumindo o comando provisório. Já foi dito, mas vale lembrar que toda essa situação só evidencia a incompetência administrativa do clube.

Jardine buscava um jogo mais posicional, o time passará por uma mudança drástica com Cuca no comando, que prefere um estilo menos posicional, com mais liberdade. Não sendo suficiente, ainda temos Mancini, que pensa um futebol totalmente diferentes dos outros dois e que, segundo entrevistas, comanda o time exclusivamente com suas ideias. Nesse contexto caótico, vamos a uma análise do jogo que o São Paulo tem praticado pós-Jardine e o que esse time pode se tornar nas mãos de Cuca.

Após sua primeira partida no comando – derrota para o Corinthians – Mancini falou sobre como faltava mobilidade e velocidade ao time, principalmente no meio campo. Na partida seguinte – contra o Red Bull- a equipe já teve algumas mudanças: três zagueiros, Luan de primeiro volante, e Antony e Helinho no meio campo. Esse sistema se repetiu com algumas alterações pontuais nas duas partidas seguintes (Bragantino e Ferroviária).

São apenas três jogos com a nova formação, ainda não há nenhum comportamento consolidado, o que se pode perceber são apenas intenções. De qualquer forma, esse esquema é bem interessante.

Com a bola, esse esquema possibilita muita superioridade pelo lado do campo, com os jogadores próximos, as triangulações saem de forma natural.

WhatsApp Image 2019-03-10 at 21.59.11Jogadores próximos, criando um lado forte no ataque. Esse mecanismo facilita a criação. (Foto: Instat/ Pedro Galante).

Defensivamente, o sistema permite uma pressão bem agressiva, principalmente nos lados, com os alas subindo e auxiliando na pressão.

WhatsApp Image 2019-03-10 at 21.59.21Igor Vinicius sobe e ajuda na pressão. (Foto: Instat/ Pedro Galante).

Ainda há muito a ser desenvolvido, mas o time já apresenta intenções muito boas. É preciso trabalhar para transformar esse intensão em mecanismos consolidados.

Apesar de Cuca não usar linha de cinco na maioria de seus trabalhos, o treinador pode sim aproveitar essa estrutura. Aliás, apesar de Mancini afirmar que o comando é exclusivamente dele nesse momento, já podemos ver um princípio de alguns comportamentos bem característicos das equipes de Cuca, os principais deles: os encaixes no momento defensivo, e liberdade e movimentação no ataque.

WhatsApp Image 2019-03-10 at 21.59.27São Paulo com a marcação encaixada. (Foto: Instat/ Pedro Galante).

Cuca só deve assumir depois do Paulistão e mesmo que o time já esteja concordando com seu estilo em alguns aspectos, ainda é pouco. O torcedor vai ter de ser paciente para que esse time se reconstrua e volte a ter uma cara. Até lá, seguimos acompanhando tudo que acontece.

@pedro17galante

Anúncios

Deixe uma resposta