Mil e uma variações – ANÁLISE TÁTICA SANTOS 4 x 0 AMÉRICA-RN

Por Rodrigo Costa

Buscando a classificação para a terceira fase da Copa do Brasil, no Pacaembu, o Santos confirmou o favoritismo vencendo a equipe de Natal sem sustos. Destaque para as variações de Jorge Sampaoli, com alguns jogadores podendo atuar em várias posições, além de fazer diversas funções durante o jogo. Sendo assim, sem confiança para escalar Copete ou Orinho na lateral esquerda, Sampaoli escolheu Jean Mota para atuar pelo setor. A escalação foi Éverson; Ferraz, Aguilar, G. Henrique e Jean Mota; Alison, Pituca e Sánchez; Derlis, Soteldo e Rodrygo.

Defensivamente o alvinegro praiano não foi exigido. Como de costume, o time pressionava em linha alta e mantinha uma marcação forte ao portador da bola, se organizando num 4-3-3 sem a bola. O América (RN) tentava encaixar contra ataques que dessem condições de fazer o gol, mas mesmo com as transições defensivas santistas ruins, o time de Natal não conseguiu levar perigo à meta de Éverson, que só foi exigido em bolas longas, saindo como líbero, cobrindo a defesa.

WhatsApp Image 2019-03-08 at 13.58.58Organização defensiva do Santos (4-3-3). (Fonte: SporTV. Edição: Rodrigo Costa).
WhatsApp Image 2019-03-08 at 13.59.08Detalhe da marcação alta e pressão. (Fonte: SporTV. Edição: Rodrigo Costa).

Com a bola, o 4-3-3 do Peixe se organizava basicamente num 2-3-5, sendo que na linha de 3 meiocampistas sempre estavam Alison e Pituca, que eram auxiliados Sánchez, Ferraz ou Jean Mota. Um time muito fluido. Apesar disso, cabe ressaltar um detalhe: na construção (momento de início das jogadas, ainda no campo defensivo), o Santos utilizava a saída Lavolpiana, com Alison baixando entre os zagueiros, mas na criação (momento de armação das jogadas, depois do meio campo), Alison se juntava à linha de meio campistas, deixando apenas os dois zagueiros atrás. Até os 30 minutos o Peixe teve algumas chances, explorando os corredores laterais, mas esbarrava na defesa compacta e de bloco baixo do América, sem deixar espaços entrelinhas.

WhatsApp Image 2019-03-08 at 13.59.15Momento de construção com saída de 3. (Fonte: SporTV. Edição: Rodrigo Costa).
WhatsApp Image 2019-03-08 at 13.59.22Na criação, Alison sobe para linha dos meio-campistas. (Fonte: SporTV. Edição: Rodrigo Costa).

O primeiro gol saiu após uma mudança de Sampaoli, por volta dos 32 minutos: Jean Mota foi para o meio, fazer a função de volante, e Pituca foi para a lateral esquerda. Com isso, o Santos passou a ter mais volume de jogo, o lado esquerdo ficou ainda mais forte, com as triangulações entre Pituca, Jean e Rodrygo. No ataque, também havia alternância de funções. A linha de três meio-campistas (do 2-3-5) era composta por Alison (centro), Jean Mota (esquerda) e Sánchez ou Ferraz (pela direita). Quando Ferraz fechava pelo corredor central, Sánchez infiltrava na linha de 5, geralmente por dentro, com Derlis abrindo pela direita. Já quando Sánchez ficava na linha de 3 meiocampistas, Ferraz avançava para a linha de 5, desse modo com Derlis mais próximo da área.

WhatsApp Image 2019-03-08 at 13.59.28Organização ofensiva pós mudança. Pituca gerando amplitude e profundidade pela esquerda; Ferraz e Sánchez trocando de posições, mas basicamente Ferraz como lateral, também gerando amplitude e profundidade. (Fonte: SporTV. Edição: Rodrigo Costa).

No segundo tempo o Santos voltou melhor e ainda mais dominante, muito por causa de outra troca de Sampaoli: inversão de Soteldo por Derlis. Com isso, o Peixe passou a criar mais chances pelos corredores laterais, tanto com Rodrygo (esquerda) e principalmente com Soteldo (direita), deixando Derlis bastante móvel como falso 9, realizando diversas infiltrações e “facões”. Outra variação no modelo foi a mudança da saída 3 na defesa para construir apenas com os dois zagueiros + o goleiro. Sánchez é peça chave no esquema de Sampaoli, pois dá equilíbrio ao meio campo e, principalmente, realiza infiltrações constantes encontrando espaços entre os zagueiros adversários para receber bolas (segundo gol).

WhatsApp Image 2019-03-08 at 13.59.362-3-5 com os laterais bem abertos e na última linha. Sánchez realizando infiltrações constantes. (Fonte: SporTV. Edição: Rodrigo Costa).
WhatsApp Image 2019-03-08 at 13.59.42Sánchez como elemento surpresa, partindo da linha de 3, cabeceia e o gol sai no rebote (nessa lance Jean Mota também infiltrou, Soteldo recuou para a sobra). (Fonte: SporTV. Edição: Rodrigo Costa).

Mais uma boa atuação do time santista, mostrando diversas variações táticas dentro do jogo, sem realizar substituições de jogadores, com atletas realizando mais de uma função em campo. Sampaoli tem um bom time em mãos, com peças que se adaptam à sua forma de jogar e que prometem briga boa por posições, como é o caso de Jean Lucas, que entrou no segundo tempo e dá um dinamismo enorme para o meio campo santista, além de ter poder de marcação (briga boa com Alison pela titularidade, problema do Sampaoli). Santos terá como adversário na terceira fase da Copa do Brasil o Atlético Goianiense.

@costa_rodrigo95

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s