Vitória histórica no Bernabeu – ANÁLISE TÁTICA REAL MADRID 1 x 4 AJAX

Por Pedro Galante

Voltando a ChampionsLeague depois de um tempo, o Ajax jogaria a vida no Santiago Bernabeu, pela jogo de volta das oitavas de final contra o Real Madrid. Na Johan Cruyff Arena, os espanhóis saíram vencedores com 2×1 no placar, podendo perder até de 1×0.

O jovem e destemido Ajax, com uma média de idade de 24 anos, foi com tudo para cima do atual tricampeão europeu. Desde o primeiro minuto, impressionou a postura e intensidade dos holandeses. A marca do primeiro tempo, foi, sem dúvida, a alta pressão por parte do Ajax. O Real Madrid buscava em Tony Kroos e Modric argumentos para vencer essa pressão, mas os dois meias têm apresentado um futebol abaixo do esperado.

WhatsApp Image 2019-03-06 at 15.38.00Pressão encaixada do Ajax. (Foto: Instat/ Pedro Galante).

O primeiro gol é sintomático. O Ajax pressiona e ganha a bola no meio, e parte para o ataque com muita rapidez. Tadic carregou e serviu Ziyech que marcou.

Aliás, precisamos falar sobre DusanTadic. O sérvio foi o melhor em campo, dono de uma atuação individual memorável. Atuou como centroavante, mas sempre abandonava sua posição para receber a bola e acionar seus companheiros em velocidade, com muita precisão e inteligência. No segundo gol, outra ótima jogada de Tadic. Passou por Kroos com facilidade, deu um giro para cima de Casemiro e colocou David Neres na cara do gol.

WhatsApp Image 2019-03-06 at 15.38.10Tadic recebendo fora da área e acionando seu companheiro. (Foto: Instat/ Pedro Galante)

O Real Madrid estava perdido. O Ajax poderia ter marcado o terceiro, mas David Neres desperdiçou frente a frente com o goleiro. Os holandeses controlaram muito bem o ritmo do primeiro tempo e aqui é preciso destacar a importância e atuação de Frenkie De Jong. O garoto dominou o meio-campo com sua mobilidade. Estava em todos os lados, oferecendo apoio ao portador da bola.

WhatsApp Image 2019-03-06 at 15.39.41Mapa de calor de Frenkie De Jong (Foto: SofaScore)

Santiago Solari queimou duas substituições ainda no primeiro tempo, pois Lucas Vazquez e Vinicius Jr. saíram machucados. Entraram Bale e Asensio, respectivamente.

O Real voltou do intervalo buscando o gol que garantiria a prorrogação. Mas o Ajax controlava muito bem a partida. Quando não tinha a bola, pressionava com muita intensidade. E quando tinha, a movia com velocidade e movimentações que confundiam a defesa adversária.

Tadic marcou o terceiro em um lindo chute. O VAR foi acionado para confirmar se a bola havia saído na origem do lance. As imagens não eram conclusivas e segundo a regra, o gol foi bem validado.

O Real diminuiu com Asensio, mas sequer teve tempo de se empolgar. Dois minutos depois, Schone fez um golaço de falta que enterrou de vez o tricampeão da Europa.

Nacho foi expulso por reclamação bem no final da partida. Vale destacar, que Nacho substituiu o importantíssimo Sérgio Ramos, que não atuou por ter recebido terceiro amarelo no jogo de ida. Ramos fez muita falta ao sistema defensivo espanhol, que ficou perdido com as trocas de posições.

O Ajax conseguiu uma vitória memorável, digna do grande clube que é. Agora todos estão atentos nessa talentosa geração holandesa, que apesar de não terem o prestigio dos grandes astros, tem muita qualidade e sonhos. É claro que os adversários na maior competição europeia são mais preparados, ricos e consequentemente favoritos, mas como diria Cruyff “Eu nunca vi um saco de dinheiro fazer gol.”

@pedro17galante

Anúncios

Deixe uma resposta