GUIA SUPER LIGA DA CHINA 2019

Por Leonardo Hartung

A sexta-feira traz consigo o início do mês de março e a abertura da Super Liga da China 2019. O Shanghai SIPG é o atual campeão e luta pelo bicampeonato da competição, enquanto o vice-campeão Guangzhou Evergrande deseja retomar o caminho das conquistas e vencer o campeonato pela oitava vez.

16 equipes disputam a Super Liga da China e as duas piores na tabela de classificação disputarão a Segunda Divisão em 2020. Mas antes de falarmos das equipes, é importante lembrar rapidamente algumas das principais regras da competição:

1) Cada equipe pode inscrever até, no máximo, quatro jogadores estrangeiros em seu elenco.

1.1) Apenas três destes jogadores estrangeiros podem entrar em campo.

1.2) Cada equipe também pode registrar um atleta com nacionalidade de Hong Kong, Macau e Taiwan que serão considerados como jogadores locais.

2) Cada time deve iniciar a partida com, no mínimo, um jogador Sub-23.

2.1) Cada clube é obrigado a utilizar, no mínimo, três jogadores Sub-23 por partida.

Shanghai SIPG: há vida sem Wu Lei?

O Shanghai SIPG lutará pelo bicampeonato da Super Liga da China sem o seu principal artilheiro. Wu Lei foi para o Espanyol e o clube seguiu a sua linha de atuação e não contratou um jogador para a sua reposição. Lu Wenjun, Li Shenglong e Chen Binbin podem aproveitar a oportunidade para somar mais minutos em campo na temporada.

Assim, o lado vermelho de Xangai aposta as suas fichas na dupla Oscar e Hulk para garantir transições velozes e mortais numa equipe sólida e bem organizada defensivamente que foi a menos vazada na última Super Liga com 33 gols sofridos. Sem Wu Lei, é bem possível que o 4-3-3 da última temporada seja substituído por outras plataformas táticas (o Shanghai SIPG já atuou no ano com uma linha de cinco defensores).

Técnico: Vítor Pereira (Portugal)

Destaque chinês: Yan Junling (91). O Shanghai SIPG perdeu o seu artilheiro, mas hoje tem o melhor goleiro em atividade na China. Além de ser o goleiro titular da Seleção Chinesa, Yan Junling comandou o que foi a defesa menos vazada da Super Liga 2018 com 33 gols sofridos. Com elasticidade e boa velocidade de reação, o goleiro de 1,91m de altura está sempre bem posicionado debaixo das traves.

Jogadores estrangeiros: Oscar, Hulk, Elkeson e Odil Akhmedov

Contratações: nenhuma

Guangzhou Evergrande: projeto renovação iniciado

Após o término da fantástica sequência de sete títulos de Super Liga, o Guangzhou Evergrande deu ênfase ao processo de renovação de seu elenco chinês (que já era necessário). O clube contratou seis novos jogadores chineses, todos com passagem pelas Seleções de base da China (quatro já atuaram pela principal). Além de dois estrangeiros: o sul-coreano Park Ji-su e o inglês Tyias Browning, este último passando pelo processo de naturalização mas ainda contando como jogador estrangeiro.

Há muita expectativa pela união da antiga geração chinesa liderada por Zheng Zhi, Gao Lin e Zeng Cheng com algumas das principais revelações do país. Também se espera que os decisivos Paulinho e Anderson Talisca mantenham o altíssimo rendimento apresentado na temporada anterior. Como de costume, o Guangzhou Evergrande e o seu ofensivo futebol de transições inicia a Super Liga da China como favorito ao título.

Técnico: Fabio Cannavaro (Itália)

Destaque chinês: Wei Shihao (95). Revelado pelo Shandong Luneng, o atacante de 23 anos não rendeu o esperado no Beijing Guoan em 2018. Ainda assim, Wei Shihao carrega uma enorme expectativa pelo seu forte potencial nos duelos 1×1 e pela finalização acima da média para a sua idade que o credenciaram a uma oportunidade no Guangzhou Evergrande.

Jogadores estrangeiros: Anderson Talisca, Paulinho, Tyias Browning e Park Ji-su

Contratações: Tyias Browning (D, Everton), Park Ji-su (D, Gyeongnam FC), Liu Yiming (D, Tianjin Tianhai), Wu Shaocong (D, Shimizu S-Pulse), Zhang Xiuwei (M, Tianjin Tianhai), He Chao (M, Changchun Yatai), Yan Dinghao (M, Gondomar SC) e Wei Shihao (A, Beijing Guoan)

Shandong Luneng e o jejum de títulos que vem desde 2015

O maior campeão da Copa da China (cinco títulos) bateu na trave em 2018 e foi vice-campeão da competição. O Shandong Luneng perdeu a final para o Beijing Guoan, mas garantiu uma vaga na Champions League da Ásia em 2019. E sedento por um meio-campista estrangeiro há anos, o clube foi atrás do belga Marouane Fellaini.

Além de deixar o time mais físico, a chegada de Fellaini tende a potencializar uma das principais armas do Shandong Luneng: a bola aérea, que ainda conta com Graziano Pellè (1,93m) e Gil (1,92m). A tendência é que o clube mantenha o modelo de jogo da última temporada buscando uma construção direta em Pellè e apostando na velocidade de seus velocistas Jin Jingdao, Wu Xinghan e Roger Guedes.

Técnico: Li Xiaopeng (China)

Destaque chinês: Hao Junmin (87). Um dos jogadores mais criativos que a China tem. Hao Junmin possui uma rara visão de jogo no país e é o principal articulador de sua equipe (além de cobrador oficial das bolas paradas). Há muita expectativa para que a dupla com Fellaini potencialize ainda mais o seu futebol, tendo em vista que o belga oferece mais físico e o chinês não é dos melhores marcadores.

Jogadores estrangeiros: Gil, Marouane Fellaini, Graziano Pellè e Roger Guedes

Contratações: Wu Lei (D, Tianjin Tianhai), Luo Andong (M, Inner Mongolia Zhongyou), Huang Cong (M, Gondomar SC B), Marouane Fellaini (M, Manchester United) e Song Wenjie (M, Hebei China Fortune)

Beijing Guoan e o retorno ao continente

Após três anos de ausência, o Beijing Guoan está de volta à Champions League da Ásia. O título da Copa da China no final de 2018 ainda quebrou o jejum de nove anos sem troféus e dá mais tranquilidade à sequência do trabalho do alemão Roger Schmidt que comanda o clube desde meados de 2017.

Mantendo a base do ano anterior, a tendência é que o Beijing Guoan continue apresentando o futebol propositivo e dominante demonstrado na última temporada. A chegada do sul-coreano Kim Min-jae reforça a defesa que deixou a desejar em 2018. Há também muita expectativa pelas estreias de Nico Yennaris (Li Ke) e John Hou Sæter (Hou Yongyong), os primeiros estrangeiros a passarem pelo processo de naturalização chinesa, além da chegada da jovem promessa Zhang Yuning, atacante de 22 anos.

Técnico: Roger Schmidt (Alemanha)

Destaque chinês: Zhang Xizhe (91). Dono de um pé direito preciso e de uma grande capacidade de criação. Zhang Xizhe é muito bom passador e auxilia bastante na criação de jogadas do Beijing Guoan. O meia tem sido mais intenso sob o comando de Roger Schmidt e está evoluindo defensivamente. Além de ser uma opção nas bolas paradas.

Jogadores estrangeiros: Renato Augusto, Jonathan Viera, Cédric Bakambu e Kim Min-jae

Contratações: Zou Dehai (G, Zhejiang Greentown), Kim Min-jae (D, Jeonbuk Hyundai Motors), Wang Gang (M, Beijing Renhe), Li Ke (M, Brentford), Hou Yongyong (M, Stabaek) e Zhang Yuning (A, West Bromwich Albion)

Jiangsu Suning tentando retomar um lugar de destaque

Campeão da Copa da China em 2015 e vice-campeão da competição e da Super Liga em 2016, o Jiangsu Suning se reergueu na última temporada após um conturbado 2017. O romeno Cosmin Olaroiu potencializou o elenco e fez a equipe de Nanquim voltar à parte de cima da tabela.

Sem grandes novidades no elenco, o Jiangsu Suning continua uma equipe que sabe o que fazer com a posse da bola, mas com enorme capacidade para ser vertical e jogar em transição. Se o entrosamento da dupla Éder e Alex Teixeira é a esperança de gols no ataque, a dupla Gabriel Paletta e Li Ang traz segurança defensiva já que o clube sofreu apenas 33 gols na última Super Liga. Atenção ao retorno de Ramires ao time principal da equipe de Nanquim.

Técnico: Cosmin Olaroiu (Romênia)

Destaque chinês: Wu Xi (89). Um legítimo box-to-box chinês. Wu Xi tem uma preciosa finalização, podendo pisar com eficiência na área ou arrematando de média/longa distância. O capitão oferece físico ao meio-campo do Jiangsu Suning com seus desarmes e interceptações. Embora não seja um jogador cerebral, Wu Xi pode surpreender na bola longa.

Jogadores estrangeiros: Alex Teixeira, Éder, Gabriel Paletta e Ramires

Contratações: Ye Chongqiu (M, Shanghai Shenxin), Luo Jing (M, Zhejiang Greentown) e Feng Boyuan (A, Liaoning)

Hebei China Fortune: agora vai?

Equipe de altos gastos e investimentos, o Hebei China Fortune teve um 2018 decepcionante apesar do sexto lugar na Super Liga da China. Com as saídas de Hernanes, Zhao Mingjian e Gui Hong, o galês Chris Coleman terá que trabalhar com a base da última temporada e com contratações mais modestas.

Com Ezequiel Lavezzi lesionado para o início do ano, o Hebei conta com o retorno do meia Yin Hongbo para auxiliar na criação de jogadas. Marcão chega para atuar na referência e levar força na área aproveitando os precisos cruzamentos do lateral Jiang Zhipeng pela esquerda. Javier Mascherano garante uma saída de jogo segura e possibilidade de progressão pelo alto buscando Marcão e Ayoub El Kaabi. O Hebei também promete uma dupla de zaga sólida no jogo aéreo com o hongueconguês Andy Russell e o chinês Ren Hang.

Técnico: Chris Coleman (País de Gales)

Destaque chinês: Zhang Chengdong (89). A sua extrema versatilidade garante a sua titularidade em qualquer equipe que jogue. Zhang Chengdong pode atuar nas duas laterais e em qualquer posição no meio-campo. Pode desequilibrar com seus passes e cruzamentos na área. Tem boa recomposição e sabe ocupar bem os espaços. O capitão do Hebei ainda possui bom aproveitamento nas finalizações.

Jogadores estrangeiros: Ezequiel Lavezzi, Javier Mascherano, Ayoub El Kaabi e Marcão

Contratações: Chi Wenyi (G, Beijing Guoan), Andy Russell (D, Liaoning), Zhang Junzhe (D, Beijing SU) e Marcão (A, Gyeongnam FC)

Shanghai Shenhua em busca do prestígio perdido

O título da Copa da China em 2017 trouxe expectativas de mudanças para o Shanghai Shenhua, mas 2018 foi mais um ano irregular e com uma precoce (e decepcionante) queda na fase de grupos da Champions League da Ásia. Sem emplacar, Wu Jingui foi “promovido” para trabalhar na direção do clube e o espanhol Quique Sánchez Flores foi chamado para o seu lugar.

Odion Ighalo foi contratado (a pedido do técnico espanhol) para garantir gols, assim como Wu Yizhen (um dos goleadores chineses na Segunda Divisão). Mas a grande expectativa está por uma maior utilização dos jovens talentos do Shanghai Shenhua, em especial Liu Ruofan (99), Jiang Shenglong (00) e Zhu Chenjie (00). A observar também a utilização de Alexandre N’Doumbou, meia gabonês que também passou pelo processo de naturalização chinesa.

Técnico: Quique Sánchez Flores (Espanha)

Destaque chinês: Cao Yunding (89). O extremo destro que atua aberto pela esquerda. Bom cruzador, Cao Yunding sabe utilizar o pé fraco. Rápido, habilidoso e criativo, é um bom driblador em velocidade e tem bom poder de arranque. Cao Yunding ainda tem uma interessante pisada na área e finaliza bem.

Jogadores estrangeiros: Giovanni Moreno, Óscar Romero, Fredy Guarín e Odion Ighalo

Contratações: Alexander N’Doumbou (M, FK Verea Stara Zagora), Wu Yizhen (A, Shanghai Shenxin) e Odion Ighalo (A, Changchun Yatai)

Beijing Renhe: a meta é permanecer na elite

Sem grandes contratações e jogadores renomados, o Beijing Renhe cumpriu o objetivo de 2018: oitavo lugar na Super Liga da China e se garantiu por mais um ano na elite do futebol chinês. Mas ao final da temporada, o espanhol Luis García deixou o clube e foi substituído pelo sérvio Aleksandar Stanojevic (quarta passagem na China).

Para 2019, o clube de Pequim seguiu a linha de investimentos modestos (destaques para Sone Aluko e Zhang Wenzhao, ex-Guangzhou Evergrande) para se manter na Super Liga. A ideia de jogo tende a ser uma equipe mais compactada defensivamente que busca acelerar o jogo pelos lados em especial com Sone Aluko e Ayub Timbe Masika. Atenção ao jogo aéreo do Beijing Renhe com os bons cabeceadores Makhete Diop e o zagueiro Liu Jian.

Técnico: Aleksandar Stanojevic (Sérvia)

Destaque chinês: Cao Yongjing (97). Inicialmente um jogador de lado de campo, que aos poucos passou a atuar por dentro para gerar jogo e atacar os espaços entrelinhas. Cao Yongjing tem apenas 21 anos e é presença constante nas Seleções de base da China. A destacar o seu poder de arranque e sua evolução ao pisar na área adversária.

Jogadores estrangeiros: Makhete Diop, Ayub Timbe Masika, Augusto Fernández e Sone Aluko

Contratações: Mou Pengfei (G, Heilongjiang Lava Spring), Liu Peng (G, Qingdao Huanghai), Du Wenyang (D, Hebei China Fortune), Zhang Wenzhao (A, Guangzhou Evergrande) e Sone Aluko (A, Reading FC)

Tianjin Tianhai e a luta pela sobrevivência

De novo rico do futebol chinês e disputando a Champions League da Ásia à dificuldade em continuar na ativa. O Tianjin Tianhai (antes Tianjin Quanjian) mudou muito desde o mês de novembro e deve ter muitos problemas para se manter na elite do futebol chinês em 2019. A começar pelos atrasos salariais e a dificuldade em montar um elenco competitivo para o ano.

Shen Xiangfu (que comandou o clube interinamente após a saída do técnico português Paulo Sousa) será o treinador do time de Tianjin em 2019 e deve retomar o seu 4-2-3-1 com Alan, Renatinho e Alexandre Pato sendo os principais destaques da equipe. Wang Yongpo é um dos líderes do elenco e deve comandar o meio-campo. O goleiro Zhang Lu traz segurança debaixo das traves e o atacante Yang Xu é uma boa alternativa dentro da área.

Técnico: Shen Xiangfu (China)

Destaque chinês: Wang Yongpo (87). Destro, o meia tem capacidade e visão para criar o jogo de trás. Wang Yongpo é o cobrador oficial de bolas paradas do Tianjin Tianhai, e é bastante preciso nos cruzamentos e nas bolas longas. O jogador tem um bom chute de longa/média distância.

Jogadores estrangeiros: Alexandre Pato, Alan, Renatinho e Kwon Kyung-won

Contratações: Fang Jingqi (G, Guandong Southern Tigers), Zhang Chenglin (D, Guangzhou Evergrande), Wen Jiabao (D, Guangzhou Evergrande), Zhang Xiaobin (M, Jiangsu Suning), Yao Junsheng (M, Shandong Luneng), Renatinho (M, Guangzhou R&F) e Alan (A, Guangzhou Evergrande)

Guangzhou R&F e a volta do jogo bonito

O treinador Dejan Stojkovic tem um objetivo no comando do Guangzhou R&F: fazer com que o seu time jogue bonito (palavras do técnico sérvio). Durante um 2018 bastante irregular, a equipe acabou adotando uma abordagem mais pragmática e saiu de seu modelo característico. Mas a promessa é que isto não retorne a acontecer em 2019.

Para reforçar a saída de bola e permitir uma abordagem mais vertical, chegou o belga Mousa Dembélé. O israelense Dia Saba reforça o setor da armação e tem como missão alimentar um insaciável Eran Zahavi (o maior goleador estrangeiro na China nos últimos três anos). Apesar de resolver o problema na lateral-esquerda com o chinês Zou Zheng, o Guangzhou R&F costuma ser uma equipe que deixa a desejar em seu sistema defensivo, permitindo jogos com muitos gols (tanto marcando quanto sofrendo).

Técnico: Dejan Stojkovic (Sérvia)

Destaque chinês: Tang Miao (90). O lateral-direito de 28 anos sempre gera muitas dores de cabeça para os seus adversários com suas ultrapassagens e avanços pelo lado. Dotado de boa visão de jogo, Tang Miao gosta de ir até a linha de fundo sendo decisivo com seus cruzamentos e passes precisos. Os atacante Eran Zahavi, Xiao Zhi e Gui Hong agradecem!

Jogadores estrangeiros: Eran Zahavi, Dia Saba, Mousa Dembélé e Dusko Tosic

Contratações: Han Jiaqi (G, Desportivo Aves Sub-23), Fu Yuncheng (D, Dalian Yifang), Jin Pengxiang (D, Beijing Guoan), Zou Zheng (D, Guangzhou Evergrande), Mousa Dembélé (M, Tottenham Hotspur), Dia Saba (M, Hapoel Beer Sheva), Fan Yunlong (M, Guizhou Hengfeng), Li Long (M, Yanbian Funde), Jin Bo (A, Yanbian Funde) e Gui Hong (A, Hebei China Fortune)

Dalian Yifang: mais que permanecer na elite, é tempo de brilhar

O Dalian Yifang passou muitos sustos em seu retorno à Super Liga da China, mas conseguiu se manter na elite do futebol do país na última rodada da competição. E em 2019, o técnico sul-coreano Choi Kang-hee chega para colocar o time do Grupo Wanda em um novo nível técnico-tático e recebeu mão de obra qualificada para fazê-lo.

Além de Marek Hamsik, chegaram Emmanuel Boateng, Zhao Mingjian, Zhao Xuri, Zheng Long e Li Jianbin. Com Yannick Ferreira-Carrasco, Nyasha Mushekwi e Li Shuai, espera-se que Choi Kang-hee faça do Dalian Yifang um time ofensivo como feito pelo treinador no Jeonbuk Hyundai Motors (mas antes, o sul-coreano frisou que é necessário dar consistência defensiva à equipe). Ao contrário da última temporada, o time de Dalian tem hoje um elenco de qualidade para disputar a Super Liga da China.

Técnico: Choi Kang-hee (Coreia do Sul)

Destaque chinês: Li Shuai (95). O lateral de 23 anos fez do lado esquerdo a principal força ofensiva do Dalian Yifang se associando com Yannick Carrasco e Nico Gaitán. Li Shuai oferece muita profundidade com seus perigosos avanços e vai até a linha de fundo. Jogador de bons cruzamentos e finalizações, o lateral é veloz e tem bom 1×1 defensivo. Tem passagem significativa pelas Seleções de base da China.

Jogadores estrangeiros: Yannick Ferreira-Carrasco, Nyasha Mushekwi, Marek Hamsik e Emmanuel Boateng

Contratações: Yang Shanping (D, Tianjin Tianhai), Li Jianbin (D, Shanghai Shenhua), Zhao Mingjian (D, Hebei China Fortune), Zhao Xuri (M, Tianjin Tianhai), Qin Sheng (M, Shanghai Shenhua), Marek Hamsik (M, Napoli), Zheng Long (M, Guangzhou Evergrande), Alex Tayo Akande (A, Yanbian Funde) e Emmanuel Boateng (A, Levante)

Henan Jianye: ano novo, hábitos velhos

O Henan Jianye é uma das equipes mais tradicionais do futebol chinês e o maior clube da cidade que dá nome ao time (Henan). Mas em quatro das últimas cinco temporadas o Henan Jianye ficou na metade de baixo da tabela da Super Liga da China.

O modelo da equipe é um futebol mais reativo, na maioria das vezes jogando com linha de 5 defensores, apostando na velocidade do camaronês Christian Bassogog e na criação e talento do meia Ivo. Como Wang Baoshan não abre mão de um centroavante de área, Henrique Dourado foi contratado assim como o móvel e veloz Franck Ohandza. Wang Shangyuan, vindo do Guangzhou Evergrande, também se destaca.

Técnico: Wang Baoshan (China)

Destaque chinês: Feng Zhuoyi (89). Destro que rende mais jogando como um segundo homem de meio-campo ou interior. Feng Zhuoyi é preciso para iniciar transições ofensivas com seus passes e tem boa técnica para lançamentos. O meia também ocupa bem os espaços sem a bola e tem boa leitura para desarmar seus adversários.

Jogadores estrangeiros: Christian Bassogog, Ivo, Henrique Dourado e Franck Ohandza

Contratações: Huang Chong (D, Gondomar SC), Sui Donglu (D, Chongqing Dangdai SWM), Zhang Wentao (D, Shanghai Shenxin), Wang Shangyuan (M, Guangzhou Evergrande), Franck Ohandza (A, Shenzhen FC) e Henrique Dourado (A, Flamengo)

Chongqing Dangdai SWM e um novo ano para Cruyff e companhia

2018 foi um ano conturbado para o Chongqing Dangdai SWM. Contratado na metade da temporada, o holandês Jordi Cruyff conseguiu evitar o rebaixamento da equipe, mas não evitou a pior posição do clube nas últimas quatro edições de Super Liga da China.

Para 2019, em busca de uma melhor posição na tabela o Chongqing Dangdai SWM investiu em oito reforços, destaque para o meia polonês Adrian Mierzejewski, os defensores Jiang Zhe e Yang Shuai e o goleiro Yerjet Yerzat (estava em Portugal). O time deve manter o bom uso da posse da bola buscando uma saída de jogo limpa e tentando verticalizar no campo de ataque. Olho no goleador Alan Kardec e no velocíssimo Fernandinho Conceição.

Técnico: Jordi Cruyff (Holanda)

Destaque chinês: Peng Xinli (91). Meia canhoto que dá dinamismo ao time. Criativo e bastante combativo na marcação, Peng Xinli oferece muita mobilidade no meio-campo e possibilita uma boa progressão no campo de jogo com seus passes e visão de jogo. Tem bons dribles curtos e proteção de bola.

Jogadores estrangeiros: Fernandinho Conceição, Alan Kardec, Fernandinho Silva e Adrian Mierzejewski

Contratações: Yerjet Yerzat (G, Gondomar SC), Wang Zixiang (G, Granada B), Yang Shuai (D, Liaoning), Dilmurat Mawlanyaz (D, Xinjiang Tianshan Leopard), Jiang Zhe (D, Changchun Yatai), Bahtiyar Pezila (M, Xinjiang Tianshan Leopard), Dong Honglin (M, Dalian Yifang) e Adrian Mierzejewski (M, Changchun Yatai)

Tianjin TEDA em busca dos velhos dias de glória

Desde o vice-campeonato da Super Liga em 2010, o Tianjin TEDA tem sofrido para conseguir uma posição na metade de cima da tabela. A exceção foi um sétimo lugar na edição de 2014. Em busca de uma melhor posição em 2019 e da retomada do prestígio na cidade, o clube apostou na manutenção de seu técnico e na base do ano anterior.

Com a chegada do alemão Sandro Wagner, Uli Stielike garante uma presença de área e a possibilidade de um jogo mais direto que fica ainda mais físico com a chegada do meia Zheng Kaimu. O veloz e habilidoso Frank Acheampong deve ser o mais beneficiado com os pivôs do ex-atacante do Bayern de Munique. Olho nos extremos finalizadores Hui Jiakang e Zhang Chiming e nos bons cruzadores Mirahmetjan Muzepper e Rong Hao.

Técnico: Uli Stielike (Alemanha)

Destaque chinês: Mirahmetjan Muzepper (91). Meia de boa visão de jogo para verticalizar o jogo ou lançar em profundidade. Primeiro jogador da etnia uigur a vestir a camisa da Seleção Chinesa, Mirahmetjan Muzepper sempre se apresenta para o jogo. Homem das bolas paradas do Tianjin TEDA e dono de bons cruzamentos, o meia tem um bom chute de média/longa distância.

Jogadores estrangeiros: Frank Acheampong, Jonathan, Felix Bastians e Sandro Wagner

Contratações: Zhang Yan (D, Pinhalnovense), Rong Hao (D, Guangzhou Evergrande), Zheng Kaimu (M, Guizhou Hengfeng), Liu Yang (M, Beijing Renhe), Piao Taoyu (M, Zhejiang Yiteng), Su Yuanjie (A, Tianjin Tianhai) e Sandro Wagner (A, Bayern de Munique)

Wuhan Zall na tentativa de apagar o fracasso do passado

Incontestável campeão da Segunda Divisão chinesa em 2018, o Wuhan Zall vai disputar a Super Liga da China pela segunda vez em sua história e busca apagar a terrível campanha feita em 2013. Naquela edição, o time foi lanterna da competição com apenas três vitórias em 30 rodadas.

Comandado por um promissor Li Tie (ex-técnico do Hebei China Fortune), o Wuhan Zall deve manter o ataque vertical e veloz que marcou 60 gols em 2018. Como é de costume entre os recém-ascendidos à Super Liga da China, é bem provável que o time tenha uma abordagem mais pragmática e de muita velocidade nas transições para se manter na elite do futebol chinês.

Técnico: Li Tie (China)

Destaque chinês: Liu Yun (95). Ponta armador de 23 anos. Liu Yun é canhoto e jogou a última temporada aberto pela direita ajudando a municiar a dupla Rafael Silva e Jean Evrard Kouassi. Com bons passes e visão de jogo, o jogador revelado no Wuhan Zall deu oito assistências em 24 jogos disputados. Em 2019, ele disputará a Super Liga da China pela primeira vez na carreira.

Jogadores estrangeiros: Rafael Silva, Jean Evrard Kouassi, Stéphane Mbia e Leo Baptistão

Contratações: Dong Chunyu (G, Beijing SU), Liu Yi (D, Beijing SU), Han Pengfei (D, Guizhou Hengfeng), Liao Junjian (D, Hebei China Fortune), Jiang Zilei (M, Shanghai SIPG), Stéphane Mbia (M, FC Toulouse), Wang Kai (M, Zhejiang Yiteng), Chang Feiya (M, Guangzhou R&F), Leo Baptistão (A, RCD Espanyol) e Guo Tianyu (A, Shandong Luneng)

Shenzhen FC: o campeão volta para casa

Técnico: Juan Ramón López Caro (Espanha)

Vice-campeão da Segunda Divisão chinesa em 2018, o Shenzhen FC retorna à elite do futebol chinês após sete temporadas. A equipe foi campeã da Super Liga da China na primeira edição da competição em 2004.

Assim como o campeão Wuhan Zall, o Shenzhen FC apostou na permanência de seu técnico o espanhol Juan Ramón López Caro. O clube deve manter o modelo pragmático demonstrado na Segunda Divisão e torce pela sede de gols do colombiano Harold Preciado, autor de 46 gols nos últimos dois anos que pode fazer interessante dupla de ataque com o norueguês Ola Kamara.

Destaque chinês: Jin Qiang (93). Principal contratação chinesa do Shenzhen FC vindo do Dalian Yifang, o meia destro tem bons passes e capacidade para verticalizar o jogo. Jin Qiang geralmente atua como primeiro homem de meio e garante maior presença física ao meio-campo de sua equipe.

Jogadores estrangeiros: Harold Preciado, Ola Kamara, Cheick M’Bengue e Ole Selnaes

Contratações: Guo Wei (G, Shanghai Shenxin), Li Qiang (D, Yanbian Funde), Wei Liping (D, Meizhou Hakka), Cheikh M’Bengue (D, AS Saint-Étienne), Shi Yiyi (M, Shanghai Shenxin), Ole Selnaes (M, AS Saint-Étienne), Wang Peng (M, Shijiazhuang Ever Bright), Jin Qiang (M, Dalian Yifang), Zhou Xin (M, Stabaek), Li Yuanyi (A, Tianjin TEDA), Yan Guicheng (A, Shijiazhuang Ever Bright) e Ola Kamara (Los Angeles Galaxy)

@HartungLeo

caxirola-bahia-brown-1-original

Anúncios

Deixe uma resposta