Nasce uma estrela — ANÁLISE TÁTICA BOTAFOGO-SP 0 x 1 CORINTHIANS

Por Jhonata Souza

No último domingo (24), o Corinthians voltou ao campo pelo Campeonato Paulista para enfrentar o Botafogo em Ribeirão Preto pela oitava rodada.Após uma sequência de jogos decisivos, o treinador Fábio Carillepoupou diversos jogadores visando a decisão de quarta contra o Racing, a equipe foi a campo com: Cássio; Michel Macedo, Marllon, Pedro Henrique e Carlos Augusto; Ralf, Júnior Urso, Ramiro, Vital e Love; Boselli. Já o Botafogo foi a campo com os seguintes jogadores: Rodrigo; Maicon, Ednei, Naylhor, Plínio e Pará; Nadson, Marlon Freitas, Evandro e Felipe Saraiva; Rafael Costa. Em campo o Botafogo se postou em diversos momentos num 5-4-1 que variava um pouco quando um dos zagueiros avançava para se tornar um volante quando necessário. O Timão repetiu o padrão dos últimos ao atuar mais uma vez no 4-1-4-1, dessa vez foram Love e Vital que jogaram abertos, enquanto Urso e Ramiro jogaram mais pelo meio.

Dá para dividir o jogo em antes e depois da expulsão de Plínio. Antes da expulsão era mais um jogo normal do Corinthians na temporada 2019. O Timão tinha mais a posse de bola, porém uma posse inofensiva que não resultava em chances de perigo e se concentrava principalmente no campo de defesa. Uma amostra disso e que as duas principais interações de passes entre jogadores foram de Marllon para Michel Macedo (21) e de Pedro Henrique para Carlos Augusto (20). O Botafogo tinha menos a posse, porém foi quem buscou mais o gol e levou perigo no primeiro a tempo. A equipe de Ribeirão Preto buscou bastante os jogos pelo lado de campo, mas não conseguiu se aproveitar das dificuldades do Corinthians na bola aérea. As estatísticas do primeiro tempo mostram que o Botafogo finalizou mais e foi melhor que o Timão no primeiro tempo, até o momento da expulsão.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Estatística via SofaScore.

Novamente o Corinthians sentiu falta de jogadores que oferecessem velocidade, profundidade e drible pelo lado de campo, já que com Love e Vital nas pontas quem ficava responsável de dar amplitude e profundidade ao ataque eram os laterais, pois os dois pontas no momento ofensivo caiam para o meio, seja para ajudar na criação, caso do Vital, ou para buscar se aproximar mais de Boselli, caso de Vagner Love. Esse movimento pode ser visto na imagem a seguir, pois quando Vital se movimentava em direção ao meio cabia a Carlos Augusto dar amplitude pelo lado de campo, o mesmo acontecia com Michel e Love do outro lado. Aliás, o lateral fez a sua estreia com a camisa alvinegra e fez uma partida ok se apresentando bem no ataque buscando dar amplitude e profundidade ao ataque e teve uma
atuação ok na parte defensiva.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Imagem via Premiere, na imagem podemos perceber que quando Vital ia para o meio ajudar na criação era Carlos que preenchia o seu espaço no lado de campo.

Além de ter sentido a falta de pontas de velocidade nos lados,o Timão sentiu a falta de jogadores de criação no meio, já que Ramiro não fez uma boa partida e Vital não conseguiu ser esse jogador de criação em campo.Parte dessa dificuldade se deve ao fato do Botafogo ter estado muito bem postado no campo de defesa, dando pouco espaço para infiltrações e para que os passes entrelinhas chegasse a alguém. A expulsão de Plínio deu uma mudada no panorama da partida, pois o Botafogo passou a jogar mais fechado na defesa e indo menos ao ataque incomodar o Corinthians.

Na volta para o segundo tempo Carille voltou com Clayson no lugar de Ramiro. Essa mudança deu amplitude, velocidade e profundidade ao ataque, Clayson entrou bem nesse sentido, ele deu mais agressividade ao ataque, pois diferente dos outros jogadores de ataque ele tentava fazer alguma coisa em campo, só que o problema foi a tomada de decisão do ponta que em 45 minutos se tornou o jogador com mais perda de posse em campo (10). O panorama no segundo tempo não mudou tanto, já que o Corinthians continuou a ter dificuldades de criação e só conseguiu levar perigo numa cabeçada de Pedro Henrique após um escanteio. Para buscar a vitória, Carille colocou em campo Pedrinho e Gustavo nos lugares de Júnior Urso e Vagner Love. Com isso o time passou a atuar com duas atacantes de área, com Pedrinho e Clayson pelos lados de campo e
Vital meio, algo que pode ser visto na imagem a seguir.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Imagem via Premiere.

Pedrinho teve como posição inicial em campo a ponta direita de onde tinha a liberdade de poder circular pelo meio para ajudar na criação das jogadas. Assim como no jogo contra o Avenida, ele se saiu bem se movimentando mais e aliando o lance individual a uma melhor distribuição de jogo. Um exemplo disso foi no lance do gol onde ele parte pelo meio num lance individual e cruza na área na cabeça de Gustavo que ajeitou para Boselli marcar o único gol do jogo. Esse foi primeiro gol do argentino com a camisa do Corinthians. Ele novamente pouco participou do jogo, já que a bola poucas vezes chegou para ele sem ser em busca do seu pivô ou em lançamentos vindo da defesa para ele disputar a primeira bola. A expectativa e que esse primeiro gol traga mais confiança e tire um peso das costas do argentino para que ele possa deslanchar de vez, para isso vai
precisar de um time que crie oportunidades para ele marcar gols.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Posicionamento médio dos jogadores do Corinthians antes das substituições (à dir.) e depois das mudanças (à esq.) via SofaScore.

A imagem do posicionamento médio dos jogadores mostra que após as mudanças a equipe ganhou em profundidade e amplitude com Clayson, isso mostra que hoje o time não pode atuar sem ter um ponta de velocidade pelos lados, o problema e que o único jogador com essas características no elenco que Carille confia é o Clayson, o que demonstra a necessidade da contratação de um ponta de velocidade que chegue para ser titular.

O Corinthians voltou a mostrar os mesmos problemas de outros jogos, porém desta vez mostrou mais segurança na defesa com Marllon e Pedro Henrique que vem sendo a dupla de zaga mais segura da temporada. Após a expulsão, o Botafogo só conseguiu levar perigo com a entrada de Pimentinha que deu um certo trabalho para a defesa do Timão. De resto foi uma partida segura defensivamente, algo que raro nessa temporada. O time ainda tem a melhorar, para que isso aconteça e preciso que Carille seja menos teimoso e pare de ficar insistindo em algumas ideias que não estão dando certo e que provavelmente não vão dar certo como um time sem um ponta de velocidade e a dupla de zaga titular. Até lá quando a equipe estiver com problemas ofensivos e só colocar o Gustavo em campo e jogar bola nele pois ele irá resolver a situação para o Timão seja com gol ou assistência.

@SuperJhonny14

Deixe uma resposta