Empate sem emoção – ANÁLISE TÁTICA MANCHESTER UNITED 0 x 0 LIVERPOOL

Por Daniel Klabunde

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04

Maior clássico da Inglaterra e um dos maiores do mundo, o jogo entre Manchester United e Liverpool gera muito otimismo para vermos alguma jogada plástica, muitas finalizações gerando grandes chances de gol, e até mesmo, gols. Mas não foi o que aconteceu na partida deste meio dia de domingo, onde o Manchester foi para a partida claramente com a intensão de tirar a intensidade do Liverpoolcom marcação individual no jogador que ocupasse a base das jogadas, nesta partida sendo responsabilidade de Fabinho receber a bola dos zagueiros e inicia-las.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Escalação inicial do Liverpool. Imagem: TacticalPad.

Klopp mandou à campo o time novamente no 4-3-3, após boa melhora no desempenho diante de Bournemouth e Bayern, mas com uma pequena mudança, com Fabinho na base das jogadas e Henderson pela direita, deixando o brasileiro responsável por iniciar as jogadas. Uma boa ideia do alemão se formos pensar nos passes de ruptura, onde Fabinho tem melhor desempenho que Henderson. Mas Solskjaer pensando nisso colocou um jogador para marcar o brasileiro, sempre revezando entre Rashford e Mata (Lingard), obrigando o time a sair com lançamentos, e assim a bola acabava não passando por Firmino, deixando o trio de ataque praticamente fora do jogo.Klopp também mandou à campo Milner no lugar de Arnold, preocupado com as investidas de Rashford pelo lado direito, que sabendo da mudança, atuou mais pelo lado esquerdo da defesa do Liverpool.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Imagem: Sky Sports.

Em um primeiro tempo marcado por muitas lesões, os Reds perderam Firmino, que torceu o tornozelo sozinho, e em seu lugar entrou Sturridge, uma decisão errada tomada por Klopp, pois o Liverpool acabou perdendo o jogador da armação, o qual potencializa e coloca para jogar Mané e Salah, e com Stu isso não é possível, pois o camisa 15 é aquele homem de referência, até se movimenta bem no ataque, mas não tem a característica de armar as jogadas. Para isso Klopp poderia ter colocado  Shaqiri ou Keïta na partida, pois ambos podem trabalhar como meias armadores, tanto Shaqiri pela direita se movimentando por dentro e com Salah como 9, como Keïta pela esquerda se movimentando por dentro e deslocando Mané para a direita.

Klopp poderia até mesmo ter mudado o esquema de jogo para 4-2-3-1 na falta de Firmino, deixando como volantes Wijnaldum/Henderson, os três homens de meio seriam Mané/Fabinho/Shaqiri e Salah como 9. Fabinho como armador seria muito interessante, pois possui um ótimo passe de ruptura e é muito preciso no combate para recuperar a bola, então seria muito útil na pressão pós perda da posse de bola. Mudança que aconteceu apenas aos 25 minutos da segunda etapa, com Shaqiri entrando no lugar de Henderson.

Um primeiro tempo marcado mais pelas substituições por lesão que chances de gol, com três substituições do United (Errera, Mata e Lingard) e uma do Liverpool (Firmino), onde ambos os times não conseguiram jogar. No segundo tempo, não muito diferente, já com as três substituições gastas, o Manchester recuou ainda mais e abdicou de vez da posse de bola, não efetuando a marcação em cima de Fabinho, e mesmo assim o Liverpool não conseguia criar, com Klopp chegando a tirar Salah da partida e colocando Origi em seu lugar. Substituição que já era esperado que não surtiria efeito, pois o que faltava era aquele jogador da armação, da tabela curta para deixar o companheiro na cara do gol, função que Firmino executa muita bem na sua movimentação de recuo.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Gráfico de pressão da partida, com Liverpool muito mais atuante no segundo tempo. Imagem: SofaScore.

O jogador que poderia ser responsável por esse trabalho de organização era Keïta, além de ótima movimentação, é um jogador de drible fácil e velocidade que faltou ao time. Com o United muito bem defensivamente, principalmente Luke Shaw se sobressaindo em cima de Salah, tirando a sua velocidade e tendo desarmes precisos sobre o egípcio, que teve apenas uma finalização que foi pra fora em cobrança de falta.

Além da falta de um armador no time, a ausência de um bom zagueiro ao lado de Virgil também está sendo motivo de preocupação. Depois de quase marcar um gol contra no jogo diante do Bayern, Matip contra o United concluiu contra o seu gol, mas a sorte estava ao seu lado e o impedimento foi marcado. Matip é um defensor com uma certa qualidade técnica, de vez em quando dá boas arrancadas com a bola, mas deixa muito a desejar no combate contra os adversários.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Imagem: SofaScore.

Contra o United o defensor não conseguiu nenhum desarme de três disputados, além de vencer apenas 9 duelos de 19 disputados, e isso é muito pouco para o nível de partida deste domingo, além de muitas vezes ceder bolas fáceis aos adversários.

Agora com apenas um ponto de vantagem para o City, o Liverpool segue na briga pelo título, mas ainda precisa melhorar o seu desempenho nas partidas, principalmente na questão da intensidade e armação das jogadas, Firmino faz muito bem esse papel, mas sozinho não consegue resolver. Salah anda pouco partipativo, e o meio campo precisa de Keïta ao lado de Wijnaldum e Fabinho, dando mais movimentação e velocidade na transição ofensiva.

Acesse o nosso clube de vantagens.

caxirola-bahia-brown-1-original

@dktricolor

Deixe uma resposta