Um jogo abaixo do esperado – ANÁLISE TÁTICA LYON 0 x 0 BARCELONA

Por Breno Barbosa e Mathaus Pauxis

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04

No primeiro confronto das oitavas de final da Champions League, o Barcelona visitou o Lyon e acabou empatando por 0 X 0, uma partida bem disputada, porém com muitos erros e poucos lampejos de qualidade, decepcionado o público que esperava mais de ambos os clubes.

O Barcelona foi a campo no 4-4-2, com Semedo sendo a principal novidade. O português atuou como lateral-direito na primeira linha, enquanto Sergi Roberto jogou mais avançado, formando a segunda linha e preocupado com as investidas do lateral Mendy. Desta forma, Messi tinha mais liberdade para atuar nas entrelinhas e realizar associações com o centroavante Suárez.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Messi na entrelinha e com espaços para agir naquela zona.

No momento da organização defensiva, o time catalão utilizava um 4-4-1-1, com Suárez realizando a primeira pressão nos zagueiros adversário, enquanto Messi tinha liberdade na marcação, apenas cercando e temporizando quando algum rival tinha a posse de bola próxima do argentino, fazendo com que ele não tivesse muitos esforços e obrigações na marcação. Ousmane Dembele e Sergi Roberto aturam bem abertos e marcando o corredor, fazendo com que o Lyon concentra-se suas ações ofensivas no meio, sendo facilmente marcado.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Os espanhóis atuando no 4-4-1-1, com os blocos próximos e os dois homens ofensivos gerando uma densidade ofensiva, prontos para iniciarem um contragolpe.

O Lyon entrou em um 4-2-3-1, com Memphis sendo o homem centralizado na linha de três e Dembelé sendo o centroavante. Quando defendia, a equipe se posicionava em 4-4-2, com Memphis se alinhando na frente e os pontas, Traoré e Terrier, recuando para se posicionar ao lado de Aouar e Ndombelé. Em alguns momentos, também, a equipe se posicionava em 4-1-4-1 na defesa, sempre com a movimentação de Memphis. A estratégia inicial dos Gones foi de esperar o Barça e reagir.

O Barcelona começou com uma postura agressiva, marcando no campo dos Gones, e sempre pressionando o portador da bola. Neste momento, o Lyon já mostrou fragilidade na saída de jogo. Quase sempre a alternativa foi usar o lançamento longo a partir de Lopes, buscando o meio-campo. Porém, em alguns momentos a equipe francesa parecia “desligada” e foi comum vermos o Barça tomar a posse enquanto o jogador adversário pensava no que fazer.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Pressing do Barcelona encaixado, com marcações individuais e levando o adversário a uma zona específica do campo, até acontecer o erro/recuperação da posse.

Barcelona pressiona e recupera a posse da bola.

Essas fases de transição, da defesa para  ataque e do ataque para a defesa, foram as mais problemáticas para o OL. Os meias centrais deixavam espaço na hora de subir e Messi teve, em muitas oportunidades, um corredor livre para avançar e pensar no jogo. Porém, para a sorte do Lyon, o Barcelona pensou errado em muitas oportunidades e em outras acabou executando errado. Só no primeiro tempo foram 13 finalizações Culé, muitas pra fora.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Ao final da partida, o Barcelona teve 25 conclusões, enquanto o Lyon teve 5 finalizações. A pontaria foi o principal adversário dos Blaugranos.

Como a equipe espanhola não contou com o brasileiro Arthur (lesionado), o pivote Busquets teve uma liberdade maior para percorrer o campo, o jogador iniciava a construção no setor defensivo, participa das triangulações no meio-campo e ainda apareceu em alguns momentos no último terço, principalmente na pressão pós-perda e em passes de ruptura, sempre visando Messi.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Busquets acabou tendo mais liberdade que Rakitic, sendo importante para realizar tabelas com Messi e triangulações com os dois lados da equipe (Semedo e Sergi Roberto pela direita; Jordi Alba e Ousmane Dembele na parte esquerda).

O Lyon, porém, exigiu mais de Ter Stegen no primeiro tempo, com dois chutes de média distância, sempre da entrada da área. Mas, a equipe foi fraca ofensivamente, mostrando claramente dois problemas: sentiu a falta de Fekir, que não pôde atuar; e sentiu a falta de preparo de Ndombelé, que não atacou tanto quanto necessário, e de Mendy, que era dúvida momentos antes da partida por sentir no aquecimento. No segundo tempo, o Lyon fez uma marcação pressão inicial, mas logo foi cedendo campo para o Barcelona. Cada vez mais pressionado em seu campo, o time conseguiu achar bons espaços para imprimir velocidade, mas Dembele perdeu a chance mais clara.

WhatsApp Image 2019-02-14 at 16.08.04Lyon tentando realizar uma pressão no campo ofensivo com 6 jogadores, porém pouca estruturada e organizada, acabou não surtindo efeito.

Importante ressaltar a ótima partida de alguns jogadores de defesa do Lyon: Lopes, por ter segurado e impedido as poucas chances claras do Barcelona; Denayer, por ser um monstro na defesa, interceptando e cortando muitos passes, além de ganhar várias jogadas de Suárez e Messi; Dubois, foi seguro e não sofreu tanto quanto poderia ter sofrido para o Dembele Culé; e Ndombelé, que apesar de falhar na transição, apareceu muito bem na organização defensiva, cortando muitos passes e impedindo a progressão do Barça.

O Lyon mudou seu posicionamento para o 4-1-4-1/4-5-1 quando Tousart e Cornet, e posteriormente Cheikh, entraram nos lugares de Traoré, Terrier e Ndombélé. Assim, Dembelé passou a ser o jogador mais ofensivo, com Depay caindo pela esquerda e Conert pela direita, com Tousart, Aouar e Cheikh fechando o centro.

Desse jeito, sendo completamente pressionado pelo Barça, restou o time a afastar as bolas de sua área, sem conseguir contra-ataques eficientes e sem, ao menos, chutar certo de dentro da área adversária. O técnico Ernesto Valverde colocou Coutinho na vaga de Dembele, contando com a característica do brasileiro de ocupar o half-space, dando liberdade para Alba explorar o corredor, ocorreram algumas jogadas pelo setor, entretanto sem efetividade. O jogo do Lyon foi ruim, mas contou com dia péssimo de Messi e companhia.

O ponta construtor Coutinho afunila no meio, gerando espaços para Alba ocupar e criar uma grande oportunidadee acabou sendo desperdiçada por Suárez.

Apesar do Barcelona ter tido mais volume e finalizações, o empate acabou sendo justo ao desempenho de ambos os times. O Lyon segue vivo e buscando um gol fora de casa, enquanto a equipe da Catalunha terá o apoio da torcida para conquistar a classificação dentro do Camp Nou.

@12brenobarbosa e @mathauspauxis

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s