Superação acima do desempenho: ANÁLISE TÁTICA – INTERNACIONAL 2×1 CAXIAS

Por Luiz Martins

Mais um jogo dentro do Beira-Rio, que contou com um gosto de superação e oportunismo.
Em uma noite de atuação abaixo do esperado, com a escalação informada antes da partida, o Inter buscou forças para vencer a equipe do Caxias, pelo placar de dois a um e se consolidar na tabela zona de classificação do Gauchão.

Desde o início da partida o Inter se postou em formação 4-1-4-1, fazendo uma marcação no centro do campo (bloco médio), com seus jogadores realizando marcações individuais por setor. Se a bola caia no zagueiro da direita, Pedro Lucas realizava pressão, tendo Nonato aguardando a bola ser passada para o zagueiro do lado esquerdo. Quando a bola chegava neste jogador, Nonato pressionava, com Neilton em algumas situações dobrando a marcação, na tentativa de roubar a bola próximo à área. Nestas movimentações, Uendel não estava confortável, sempre deixando Bruno Alves, que levava perigo constante nas costas do lateral, sendo marcado por Victor Cuesta.

O Inter possuía suas melhores chances através de contra-ataques, com Pottker e Pedro Lucas, mas ao finalizar demonstravam erros na tomada de decisão.

inter1Pottker, buscava sempre as costas do volante e zagueiros, realizando infiltrações em velocidade. (Fonte: Instat/Edição: Juno Martins)

Já a equipe do Caxias realizava uma saída de bola com os 2 volantes se posicionando próximos aos zagueiros, principalmente com Juliano (camisa cinco), tendo Diego Miranda retornando, recebendo a bola e acionando Bruno Alves no espaço entre Uendel e Cuesta, que sentiam dificuldades com a velocidade do jogador adversário.

Mesmo sentindo desconforto com as ações adversárias, o Inter conseguia se defender e atacar através de seus contra-ataques e em um destes momento, em jogada individual de William Pottker, abriu o placar.
inter2Inter realiza subida de marcação, obrigando o Caxias a utilizar lançamentos longos. Esta ação foi algo que ocorreu bastante no primeiro tempo de jogo. (Fonte: Instat/Edição: Juno Martins)

Após o gol, Inter ficou mais confortável dentro do jogo, controlando os espaços e deixando a posse de bola com o Caxias. O time controlava o ritmo da partida, mesmo apostando em uma postura mais reativa, sabendo a hora de interceptar as ações do adversário, mesmo que com a bola recuperada sentia dificuldades de gerar jogadas de perigo, tendo muitas dificuldades em suas ações ofensivas.

inter3Posicionamento de Nonato na partida. Jogador era o principal criador de jogadas. (Fonte: Instat/Edição: Juno Martins)

Equipe rodava a bola entre a sua linha de defesa e os volantes. Edenilson era muito ativo na saída de bola e Nonato se posicionava sempre em um posicionamento acima, buscando se aproximar do companheiro, para receber a bola e progredir em campo. O estreante demonstrava muito controle da bola, qualidade nos passes sempre tocando e aparecendo como opção de continuidade de jogadas, mas tinha dificuldades em infiltrar bolas por dentro, assim como Neilton, quando aparecia como opção, saindo de seu posicionamento aberto na ponta esquerda e centralizando. O jogador não demonstrou tanto sua qualidade acelerando o jogo e driblando, muito em função de não receber tanto a bola próximo a área. O time continuava apostando em um jogo mais lateralizado, algo que vem ocorrendo bastante desde o ano passado, tendo dificuldades no momento de acelerar as jogadas.

A partir dos 35 do primeiro tempo e também no início da segunda etapa, o Caxias buscava muita movimentação de seus jogadores, com trocas de posições e rodando a bola com velocidade, empurrando o time colorado para próximo a sua área. O time colorado continuou com extremas dificuldades de criação de jogadas e com o ímpeto do adversário sofreu o gol, em um contra-ataque, sua melhor característica na partida.

inter4Caxias posicionava muitos jogadores em campo ofensivo, obrigando o Inter a baixar suas linhas. (Fonte: Instat/Edição: Juno Martins)

 

Com o empate o time colorado se viu obrigado a pressionar cada vez mais o time adversário. Assim Edenilson realizou duas faltas intensas, levando dois cartões amarelos e sendo expulso, logo no momento que o técnico Odair iria realizar uma alteração. Neste momento ocorreu a entrada de D´alessandro no lugar de Neilton, na tentativa de ter maior controle de bola, visto que o Caxias também começo a pressionar a defesa colorada, cedendo maiores espaços, que poderiam ser melhor explorados pelo veterano jogador.

inter5D´alessandro Posicionado na ponta direita, sem a bola. Com a bola ele buscava centralizar mais suas ações, na tentativa de tocar a bola junto aos companheiros. (Fonte: Instat/Edição: Juno Martins)

D´alessandro se posicionou em posicionamento pelo lado direito, com Pottker sendo invertido para o lado esquerdo, auxiliando na marcação do setor, na tentativa de fechar o corredor que era muito bem explorado por Bruno Alves, que realizava na partida as principais jogadas do Caxias.

Mesmo com dois jogadores de controle de bola, o Inter sentia as mesmas dificuldades, principalmente em defender bolas por dentro, sem a presença de Edenilson. Por conta disto, Nonato foi sacado da partida e a entrada de Patrick no setor foi uma ótima escolha do técnico colorado, por ganhar poder de marcação e intensidade para chegar à frente. O time melhorou na parte defensiva, mas ainda sentia dificuldades no ataque, apostando bastante em bolas longas, sem grande sucesso. Desta forma Pedro Lucas, que fez uma partida muito abaixo do esperado, em função da baixa produtividade do setor criativo, deu lugar a Rafael Sobis, que também sofreu da mesma dificuldade do jovem da base.

inter6Patrick entrou no jogo em posicionamento que antes era ocupado por Nonato, mas com maiorer obrigações ofensivas e chegada à frente com intensidade. Já Sobis atuou como jogador referência. (Fonte: Instat/Edição: Juno Martins)

Odair recebia muitas vaias, da maioria da torcida, pela escolha de Patrick, mas ela se mostrou coerente e correta, porque o jogador foi o responsável por desempatar a partida e garantir mais três pontos ao Inter, o colocando como segundo na tabela do Gauchão.

@ojunomartins

Anúncios

Deixe uma resposta