Ataque rápido e transições velozes em Dortmund – Modelo de Lucien Favre

Por Gustavo Johnson

caxirola-bahia-brown-1-original

“O movimento permanente é uma visão que eu amo, com a velocidade como força motriz. Tudo está indo mais rápido no mundo, Internet, trens, carros… Não há nenhuma razão para o futebol escapar dessa tendência”

– Lucien Favre

Quando Lucien Favre assumiu o comando do Borussia Dortmund após ótimo trabalho no Nice (Ligue 1), foi feita uma análise em cima de três amistosos de pré-temporada da equipe aurinegra e vislumbrando algumas ideias que ele implantara no time francês. Passados seis meses e metade da temporada, já vemos comportamentos e padrões no time alemão que possuem a cultura da cidade de Dortmund, as ideias do comandante suíço e o primeiro lugar da Bundesliga (Liga Alemã).

No futebol alemão há uma cultura de um futebol agressivo e de contra-ataques. As equipes possuem muita qualidade e velocidade nesse momento do jogo. Favre sabe disso, pois conhece muito bem a Bundesliga (comandou Hertha Berlin e Borussia M´Gladbach).E com o DNA da torcida/time de Dortmund caindo para este lado da agressividade e verticalidade, Lucien soube abusar de alguns conceitos.

Organização Defensiva:

Com balanço defensivo, intensidade, compactação e fechando linhas de passe como conceitos importantes, Dortmund opta por executar zonas pressionantes com duas linhas de 4, geralmente em bloco médio, deixando Reus e Götze avançados para uma possível transição ofensiva. Buscam bloquear o centro para coagir seu adversário a jogar pelas beiradas e assim pressionar intensamente.

Gif criado por: @CruyffTeam

Na saída de bola, cobrança de lateral no terço ofensivo e até utilizando como gatilho recuos do adversário, o time da muralha amarela procura subir a marcação com encaixes individuais para pressionar, impedir a progressão do oponente e forçar o erro e/ou a bola longa.

caxirola-bahia-brown-1-originalSeis jogadores no campo de ataque pressionando a saída de bola do RB Leipzig.

O objetivo dessa marcação é roubar a bola para poder acelerar o jogo verticalmente e aproveitar a desorganização do adversário que estava preparado para construir e não, defender. O time amarelo e preto utiliza do bloco baixo, dependendo da qualidade do time oposto, para atraí-lo e gerar espaços atrás da última linha de defesa, ou seja, a profundidade.

Nesta fase do jogo o Dortmund procura ser intenso e agressivo, procuram pressionar bastante e cortar linhas de passe.

Antes de ler a organização ofensiva, é interessante refletir sobre esta frase de Lucien Favre: “Exijo que minha equipe seja capaz de possuir a bola, mas também de realizar ataques rápidos. Quero que se adapte dependendo se joga contra uma equipe pequena ou uma equipe grande”

Organização Ofensiva

Neste momento Favre busca um ataque rápido, ou seja, criações de oportunidades de gol, de modo acelerado e vertical. Tanto na roubada de bola (transição ofensiva) como em sua organização ofensiva. Dortmund produz construções rápidas a todo momento, trabalham com toques curtos e rápidos para chegar à frente do gol. Mas como o próprio diz, ele gosta de ter a posse da bola, e faz com que suas equipes sempre se adaptem dependendo de seu adversário.

caxirola-bahia-brown-1-original

Paco Alcácer apesar de ser um dos artilheiros da Bundesliga e sempre fazer gols quando joga, não vendo sendo utilizado como titular. No início uma lesão o atrapalhou, mas Mario Götze substituiu-o muito bem, potencializando Marco Reus e fazendo com que o espanhol entrasse nas partidas ao decorrer, em vez de começar.  Götze nesta temporada jogando de falso 9 consegue lateralizar e se associar bastante com os pontas internos (Sancho, Pulisic, Larsen), além de trocar de posição com Reus e ativar desmarques de ruptura, joga fora da área e participa da armação, mas infiltra quando necessário.

Dortmund gosta de jogar pelos lados, com jogadores habilidosos no 1×1, velozes e que se associam muito, como o caso de Sancho e Pulisic. Os laterais em amplitude dão a liberdade a eles cortarem para dentro para buscar os desmarques de ruptura e interagirem com Reus. Favre vem escalando regularmente Raphael Guerreiro pelo lado esquerdo no ataque, porém ele possui uma função diferente, tem liberdade de movimentação para se associar com ambos lados, é menos incisivo comparado a Sancho. O destaque é Marco Reus, como ponta de lança vem somando números espetaculares e sendo crucial para o Dortmund, se associa desde a construção até a conclusão, com sua liberdade posicional e capacidade de finalização, é o jogador mais importante da equipe.

caxirola-bahia-brown-1-original

caxirola-bahia-brown-1-originalPassmapsby: @11tegen11

A saída de bola é limpa, pelo chão, Witsel é o responsável por ligar os setores defesa/ataque, mas também conta com o auxílio dos zagueiros, Akanji, Zagadou eDiallo possuem grande qualidade na hora de acertar passes de ruptura e facilitar a chegada da bola ao terço de ataque. Devido a algumas lesões de grande parte dos jogadores da zaga, Favre improvisou Weigl, volante de origem, também consegue alcançar os jogadores de frente com seus passes. Se adaptam ao time que estão enfrentando, se são pressionados com apenas um jogador, formatam a saída em 4-2 (Frame 1), porém se forem pressionados por dois jogadores, Witsel ou Delaney recuam entre os zagueiros (Frame 2) para fazer a saída de 3, para obter superioridade numérica e liberar os laterais em amplitude mais avançados.

caxirola-bahia-brown-1-originalNesse caso os 2 jogadores do Nurnberg não fazem pressão, só buscam fechar as linhas de passe para Witsel e Delaney.
caxirola-bahia-brown-1-originalContra o Schalke, os dois atacantes procuravam pressionar a dupla de zagueiros do Dortmund e Witsel cai para dar superioridade numérica e liberar os laterais.

Transição Defensiva:

Na transição defensiva, a equipe de Lucien Favre opta por uma pressão pós-perda. Quando perdida no campo de ataque apressão é imediata no portador da bola, jogadores próximos ao setor da bola fecham linhas de passe e possibilitam a recuperação da bola ou o atraso na progressão adversária.

caxirola-bahia-brown-1-originalTransição defensiva no campo de ataque.

Se a bola for perdida em fase de construção há uma pressão para temporizar (atrasar o adversário) para poder se recompor, ou seja, objetivo é dar tempo para os jogadores se reorganizarem defensivamente.

caxirola-bahia-brown-1-originalTransição defensiva no campo de defesa.

Dortmund procura sempre ter pelo menos 3 homens na última linha de defesa protegendo a profundidade, pressão no portador e fechamento de linhas de passe.O resultado final pode ser a roubada de bola, o recuo do adversário, o erro de passe, a bola longa, há inúmeras possibilidades.

Transição Ofensiva:

Nos contra-ataques Dortmund é objetivo. Com poucos toques, verticalidade e muita velocidade, exploram os espaços deixados pela defesa adversária. Buscam toques pelo chão, mas em determinadas situações, nada impede um lançamento pelo alto para a velocidade dos jogadores de ataque.

caxirola-bahia-brown-1-originalApós a roubada de bola, Dortmund busca ser rápido e vertical.

Witsel sempre é procurado e acionado para encontrar Reus ou Sancho que são capazes de arrancarem com rápidas conduções. Götze se associa no setor da bola, da opção para tabelas, abre espaço para os pontas cortarem para dentro e para os laterais ultrapassarem. Quando Alcácer está no jogo, busca desmarques de ruptura e entrar na área para concluir.Com inteligência de movimentação, conseguem atacar os espaços deixados de maneira rápida. Reus com a liberdade que tem, busca iniciar, se associar e entrar na área para uma possível finalização.

Contra-ataque com a velocidade de Reus e Sancho (Editado por: @CruyffTeam)

É um dos pontos fortes desse time. Em transição ofensiva costumam ser muito perigosos causando danos as defesas adversárias. Nesse momento Reus e Sancho ganham destaque por serem habilidosos com a bola e muito velozes. A equipe aurinegra se sente confortável abusando deste momento do jogo.

Lucien Favre já admitiu que essa oportunidade no comando do Borussia Dortmund é a chance de alavancar sua carreira para outro patamar, e vem aproveitando bem esta chance, é líder do campeonato alemão e está nas oitavas da Liga dos Campeões. Tudo isso com seu estilo de jogo rápido e buscando potencializar os melhores jogadores do elenco. Estilo alemão e vertical no melhor jeito Dortmund de ser, Favre vem conquistando a cidade com sua equipe e se destacando com grandes resultados dentro de campo.

@gujohnson03

Um comentário sobre “Ataque rápido e transições velozes em Dortmund – Modelo de Lucien Favre

Deixe uma resposta