Erik, O Herói Alvinegro! ANÁLISE TÁTICA BOTAFOGO 1 x 0 DEFENSA Y JUSTICIA

Por Guilherme Monteiro 

caxirola-bahia-brown-1-original

Deixa com o homem que ele resolve! o “Flash Alvinegro” Erik salvou uma noite muito chuvosa e tensa para os alvinegros e cariocas. Com um balaço de fora da área fez explodir a nação alvinegra presente no Nilton Santos e faz com que o Botafogo leve uma pequena vantagem para a Argentina. Agora o Botafogo encara o Campinense na Paraíba na próxima quarta-feira 13/02.

O Botafogo foi a campo com: Gatito, Marcinho, Carli, Gabriel e Jonathan, Jean e Alex Santana como volantes, no meio Erik, Luiz Fernando e Pimpão e na frente Kieza. O Botafogo atuou no seu habitual 4-2-3-1. Forçando muito o jogo com base nas bolas longas. O Defensa teve a seguinte formatação: Unsain, González, Bareiro, Barboza e Delgado na defesa. Blanco, Miranda e Castro no meio e nas pontas Rius e Aliseda e no comando do ataque Nicolás Fernandez. O campo apesar de não apresentar grandes dificuldades de drenagem com a forte chuva que assolou o RJ; ainda sim fez com que no 1° tempo principalmente fizesse o Defensa a fugir um pouco da sua característica usual, sendo forçado a dar muitos chutões. O Botafogo com a chuva teve uma ligeira vantagem, pois como o campo não estava o ideal para o Defensa impor seu jogo de posse, logo o jogo foi muito mais direto e na base vitórias individuais nos duelos físicos. Ambos os times buscavam forçar o jogo pelo seu lado esquerdo de seus respectivos campos. O ponta Aliseda obteve algumas vitórias individuais em cima de Marcinho e cruzava as bolas na área, que a defesa alvinegra conseguiu na maioria dos lances cortar as bolas. E foi a principal forma de assustar a defesa alvinegra no 1° tempo. O Botafogo fazia boas associações com Alex Santana, Jonathan e Pimpão. Alex Santana foi uma boa arma que o Botafogo teve na partida com chutes de fora da área. Jean também teve uma apresentação digna de aplausos no Niltão, com botes perfeitos, boas coberturas e até arriscando dribles. Jonathan se apresentava bem na fase ofensiva com bons cruzamentos, com boa profundidade e sendo cirúrgico nos botes na fase defensiva. Nos poucos momentos em que o Defensa conseguiu sair jogando a sua maneira no 1° tempo o Botafogo fez uma marcação por encaixes individuais, como veremos abaixo:

caxirola-bahia-brown-1-original3 jogadores do Botafogo marcando por meio de encaixes individuais a saída de bola do Defensa. Fonte: DAZN/ Youtube, Edição: PicsArt Guilherme Monteiro.

Scouts do 1° tempo:

63% de Posse para o Botafogo

37% de Posse para o Defensa

1 finalização no alvo do Botafogo

E 0 do Defensa.

Dados: Transmissão da DAZN

Já no segundo tempo, O Defensa volta com uma alteração, com a entrada de Lisandro Martínez no lugar de Blanco, com a mexida o Defensa buscava melhorar as disputas na bola áerea. Com um gramado em melhores condições o Defensa conseguiu impor seu ritmo e teve mais posse e controle nas ações. O Defensa conseguiu na etapa complementar potencializar seu jogo com a sua já conhecida saída de 3 jogadores.

caxirola-bahia-brown-1-originalFonte: DAZN Youtube, Edição: PiscArt Guilherme Monteiro.

Leonel Miranda, um dos grandes destaques dessa equipe era quem retornava até a base da jogada e iniciava a construção das jogadas. A equipe de Beccacece conseguia atrair a marcação do Alvinegro encontrar por algumas vezes as linhas do Botafogo descompactas e conquistarem espaços para associações, principalmente com Aliseda, Fernandez e Castro. Castro e Rojas por vezes conseguia flutuar nas entrelinhas de marcação do Botafogo.

caxirola-bahia-brown-1-originalFonte: DAZN Edição: Guilherme Monteiro PicsArt.

Rojas e Castro na entrelinhas do Botafogo. Situação muito pertinente na partida.Onde o Defensa teve espaços para triangulações.

Apesar de muita posse os comandados de Beccacece não traduziram a superioridade com a bola em oportunidades. O Defensa só tentou ser mais efetivo em bolas paradas, porém com muitos insucessos.

Ainda foram a campo pela equipe Argentina; Rojas e Márquez, todavia não foram bem pouco assustaram a equipe alvinegra.

Já o Botafogo teve uma postura mais reativa e sendo muito vertical. O Botafogo abusou demais dos lançamentos e pouco trabalhou a bola, a equipe tentava assustar em alguns chutes de fora da área. o principal responsável por reter a bola obteve êxito em duelos físicos, porém após vencer esses duelos a 2° bola sempre ficava com o Defensa, isso se explica pela falta de aproximação dos jogadores de ataque do Botafogo. e foi pouco acionado por Luiz Fernando principal responsável pela criação das jogadas. Luiz por sua vez, novamente falhou na criação, Zé necessita entender que Luiz não é jogador pra esta posição. Luiz é um jogador de maior velocidade, 1vs1, drible. Suas características são potencializadas quando ele joga mais na extrema. Na fase defensiva o Botafogo sempre variava muito de sistema, ora 4-1-4-1 ou 4-5-1 ou 4-4-2.

caxirola-bahia-brown-1-originalVariação de sistemas de Marcação do Botafogona partida. Fonte: DAZN, Edição: PiscArt Guilherme Monteiro.

Na fase defensiva o Botafogo sofreu muito ao marcar as entrelinhas, deixou muitos espaços naquela área, logo o Defensa conseguia espaços para triangulações; Zé propôs que Jean e Alex se revezassem quem ocuparia aquele espaço, porém eles não se entendiam muito bem e o Defensa conseguia encontrar vários espaços naquela região. Outro ponto negativo foi a descompactação das linhas. Quando o pressing que o Botafogo exercia na saída de bola do Defensa não tinha resultado, gerava o problema da descompactação das linhas, fazendo com que o Defensa ganhasse campo aberto para atacar.

 Aos poucos Zé foi alterando as peças e é importante destacar que ele teve uma leitura excepcional do jogo, acertou nas alterações e eles foram decisivas para o Botafogo melhorar um pouco da circulação da bola e ter uma melhor qualidade na saída de bola, principalmente com a entrada de Bochecha. As outras mexidas foram a entrada de Ferrareis e Leandro Carvalho. Leandro Carvalho e Erik trocavam muito de posição; ora Erik  aparecia aberto pela direita, ora centralizado, Leandro ora centralizado, ora aberto pela direita, Ferrareis como um ponta-construtor aparecia mais aberto pelo lado esquerdo e cortava pra dentro até arriscando um chute de fora da área. Erik não vinha fazendo uma partida excepcional, sofreu muito com estado do gramado que não ajudava muito a ele acelerar o jogo e oferecer mais perigo ao gol adversário, mas ele no Botafogo se mostra um jogador decisivo e quando ele teve a sua chance ele fez isso aí ó:

O gol coroa uma atuação de muita bravura, raça da equipe alvinegra, que apesar de não ter feito uma grande apresentação, saiu com uma vitória importantíssima para a 2° partida na Argentina. Onde o Botafogo pode empatar ou perder com até 1 gol de diferença. Esta partida serviu também para afirmação de alguns atletas, como Jonathan e Ferrareis que cada vez mais se consolidando e aos poucos vão conquistando as suas vagas nos 11 iniciais do Botafogo.

@Guizaomb19

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s